YoutubeFacebookTwitterInstagram
PL aprovado
Por Ascom | 16 de Mai de 2019, 08h45
Vinícius Porto defende proibição de canudos plásticos em estabelecimentos
PL segue para a sanção do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
E0c3f1fc9e8c29f5

A  Câmara Municipal de Aracaju aprovou o Projeto de Lei - PL - que proíbe o fornecimento de canudos de plástico a estabelecimentos comerciais da cidade. De autoria do vereador Vinícius Porto, em parceria com mais dois vereadores,  o PL segue para a sanção do prefeito, Edvaldo Nogueira.

Pelo texto, fica proibido no município de Aracaju o fornecimento de canudos de material plástico em hotéis, restaurantes, bares, padarias entre outros estabelecimentos comerciais. A  lei também se aplica a clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais de qualquer espécie. Os estabelecimentos poderão fornecer canudos em papel reciclável, material comestível ou biodegradável, embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados feitos do mesmo material.

Entre as justificativas apresentadas, o vereador Vinícius Porto ressaltou que esse tipo de projeto de lei é importante, lembrando que os prejuízos que o plástico oferece ao meio ambiente são quase que irreparáveis. "O canudinho tradicional representa 4% de todo o lixo plástico do mundo e, por ser feito de polipropileno e poliestireno (plásticos), não é biodegradável, podendo levar cerca de 450 anos para se decompor na natureza. E seu tempo de uso é muito curto - cerca de quatro minutos. São quatro minutos que equivalem a centenas de anos de poluição para o meio ambiente”, alerta o parlamentar.

Para o vereador, Vinícius Porto trata-se de uma ação para o bem da humanidade. “ A natureza merece atenção. É nosso dever contribuir para uma gestão eficiente de resíduos e tornar nossa cidade mais sustentável. Precisamos sair da zona de conforto e perceber o mal que o plástico faz para nossa saúde. Quando os canudos e outros materiais plásticos são descartados no meio-ambiente, eles chegam aos oceanos e acabam contaminando toda uma cadeia alimentar”, enfatiza o parlamentar.