YoutubeFacebookTwitterInstagram
2018
Por Ascom | 08 de Jan de 2018, 13h13
IPTU ajudará retomada de obras em Aracaju
Consequência da reestruturação financeira
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
138282930af47482

Obra no Japãozinho garantirá saneamento básico (Fotos: Ascom/Emurb)

Depois de um ano de arrocho e busca por equilíbrio financeiro, a Prefeitura de Aracaju está retomando seu poder de investimento em obras e serviços. Diferente do que ocorreu no ano de 2017, quando uma grande parte do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) foi investido para sanar dívidas, sobretudo os salários atrasados, 2018 traz consigo a aplicação do imposto arrecadado em um leque mais amplo de áreas.

No caminho para retomada de posto como a capital da qualidade de vida a gestão precisou reorganizar suas contas. No ano que passou, investiu-se R$ 1,1 bilhão no pagamento de 15 folhas salariais em um ano: duas deixadas pela gestão anterior, as 12 folhas de 2017 e o décimo terceiro salário. “Em 2017, uma grande parte dos recursos do IPTU foi utilizado no pagamento dos servidores. Este ano poderemos investir mais em serviços e obras. Até o mês de novembro, nós pagamos R$ 246 milhões de uma dívida de R$ 540 milhões. Por conta de uma gestão rigorosa com os gastos públicos e com a firmação de um empréstimo junto à Caixa no valor de R$ 50 milhões, que serão alocados integralmente em contrapartidas de obras, nós poderemos retomar os investimentos em infraestrutura”, explica o secretário municipal da Fazenda, Jeferson Passos. 

7e02b591b915848fA construção da Emef está em fase final (Foto: Marco Vieira)

Uma parte da distribuição do valor arrecadado com o IPTU está prevista em Lei Federal. A Constituição determina que 25% sejam para a educação e 15% para a saúde, embora Aracaju disponibilize cerca de 20% para esta pasta. “Uma vez que os valores estipulados por Lei sejam repassados, o percentual restante poderá ser aplicado para a manutenção da limpeza da cidade, recapeamento asfáltico e alocação de recursos de infraestrutura municipal”, continua Jeferson.

Com o alívio nas contas, obras importantes para a capital serão finalizadas. A construção da primeira Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) do bairro 17 de Março, por exemplo, se encontra em etapa final. O projeto disponibilizará para os futuros estudantes estrutura moderna e eficiente, com oito salas de aula, sala de informática, espaço de música, biblioteca, sala de vídeo, refeitório, espaço multieventos, arquivo, jardins e quadra poliesportiva coberta.

Segue firme também o trabalho no bairro Japãozinho. No local, está sendo implementada rede de drenagem e rede coletora de esgoto, além da pavimentação de diversas ruas, que contarão com sinalização horizontal e vertical. A obra melhorará a mobilidade urbana, permitindo o tráfego de veículos e prestadores de serviços públicos, como caminhões de coleta de lixo e ambulâncias, por exemplo.

Com o trabalho árduo, a gestão vai seguindo o planejamento iniciado em 2017. Muitas conquistas já foram alcançadas e os obstáculos seguem sendo superados. A Prefeitura de  Aracaju segue se reestruturando para melhorar a vida de todos os aracajuanos.