YoutubeFacebookTwitterInstagram
NEM AÍ
Por Ascom | 22 de Nov de 2017, 17h43
“A mudança no PHS não interfere no meu trabalho”, diz Augusto
Segundo Augusto, se ele nunca nutriu a vaidade de presidir o PHS em Sergipe
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
66e0639d0d6c7510

Deputado Augusto Bezerra

O deputado estadual Augusto Bezerra afirmou, nesta quarta-feira (22), que a decisão do Diretório Nacional do Partido Humanista da Solidariedade (PHS) de conduzir o ex-prefeito de Capela Manuel Messias Sukita à presidência do Diretório de Sergipe não interfere em nada no trabalho que vem realizando em prol de Sergipe, através dos mandatos de deputado que o povo lhe confiou.  

“Nunca fiz política pensando em comandar partido. Em negociar. Não tenho esta vaidade. Eu vejo uma legenda política como uma agremiação para receber amigos e servir ao povo. Então, não só Sukita como qualquer outro político que vier para o partido com este pensamento não terá problema comigo. Não sou empecilho. Sukita vem para somar. É pré-candidato a deputado federal, e eu estou cuidando da minha pré-candidatura a deputado estadual. Então, não vejo choque de interesses. Sukita e demais membros que estavam no Podemos sejam bem-vindos. A mudança no PHS não interfere no meu trabalho em prol de Sergipe”, disse Augusto.

Segundo Augusto, se ele nunca nutriu a vaidade de presidir o PHS em Sergipe, não seria agora, com a chegada de Sukita, que criaria problema. “Eu não tenho esse orgulho. Inclusive, o partido estava sob meu comando, mas eu nunca presidi. Quem dirigia era a pedagoga Leide. O PHS sempre teve uma presidente, porque eu não vejo em ser presidente de partido nada que acrescente meu projeto político”, disse.  

Sobre o palanque que o PHS estará, nas eleições de 2018, Augusto avalia que, faltando ainda praticamente um ano para as eleições, ninguém tem uma resposta concreta neste instante. “Hoje, estou muito alinhado com o governador Jackson Barreto e com o vice, Belivaldo Chagas. Mas está muito cedo para definirmos os rumos do partido. E não falo sozinho pelo PHS. Temos que ouvir outras lideranças que estão chegando”, disse, observando que ainda não se reuniu com Sukita e os novos correligionários.