Após ser informado sobre o incidente com a gerente da Unidade Básica de Saúde (UBS) José Augusto Barreto, no Japãozinho, o vereador Seu Marcos (PHS) cobrou, na manhã de hoje, 4, durante sua fala na tribuna da Câmara Municipal, a volta dos vigilantes terceirizados aos antigos postos de trabalho.

 

Através de imagens do ato de violência ocorrido na UBS , na tarde de ontem, 3, o vereador provou a necessidade do retorno imediato dos terceirizados e do alerta feito a gestora municipal da pasta no inicio de novembro. Seu Marcos relatou que durante o encontro na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no início do mês de novembro, questionou a substituição dos guardas pelo sistema de vídeomonitoramento.

 

“Fui direto dialogar com a secretária com uma pauta de reivindicação da população em mãos, onde pede a volta dos agentes de vigilância. Na reunião com técnicos e coordenadores, a gestora afirmou que a implantação do sistema foi uma decisão conjunta com a Guarda Municipal (GMA), depois de um estudo técnico. Mas a população não foi ouvida. Os funcionários não foram ouvidos. Ela é médica e sabe muito bem o que acontece nas UBSs quando os pacientes não têm suas demandas atendidas. Sou contra a saída dos guardas da forma que fizeram. Infelizmente, o que eu previa aconteceu: um usuário usou de violência contra uma funcionária dentro da unidade. Graças a Deus não aconteceu nada. Aracaju não está preparada para esse tipo de sistema ainda”, alertou o parlamentar.

 

Seu Marcos explicou que o uso isolado de tecnologia não é suficiente para conter ações imediatas e ressaltou que as câmeras devem ser mais uma ferramenta que auxilie a norma existente. " A saída dos vigilantes geram transtornos para toda a sociedade. No futuro, Aracaju pode se preparar para receber esse método, mas agora não têm condições . É preciso aliar os dois. A população quer ser ouvida. São mais de 80 pais de famílias que estão desempregados por causa dessa decisão. Quem vai se responsabilizar com a vida dos funcionários das UBS? Dos usuários? A Guarda não tem como chegar na hora para conter ações como a de ontem. O paciente jogou todos os computadores da sala da gerente, que é uma freira, que rezou para que nada de pior acontecesse. Defendo a volta dos guardas para ajudar na segurança" , concluiu.