YoutubeFacebookTwitterInstagram
Coronavírus
Por | 31 de Mai de 2020, 10h23
Artista plástico José Fernandes é diagnosticado com o Covid-19
Ele é um dos mais produtivos produtores de artes visuais de SE
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
A0b401d59cd752cc

José Fernandes: internado no Hospital do Ipes,  esposa Cyntia pede corrente de positividade pela recuperação

O artista plástico, José Fernandes, 60 anos, um dos mais produtivos e populares produtores de artes visuais de Sergipe, foi internado na última quarta-feira, 27, na Urgência do Hospital do Ipes com sintomas de pneumonia. 

Dias antes do internamento, José Fernandes reclamava de algumas dores e fraqueza no corpo, mas não sentia necessidade de ir ao médico. Porém, o caso se agravou ao ponto de ele não conseguir se alimentar mais corretamente.

Ao ser diagnosticado com pneumonia, a equipe do Ipes iniciou o teste para o novo coronavírus, onde foi avaliado e confirmado como positivo no dia 30 de maio, a última  sexta-feira. Ele desenvolveu a doença  Covid-19.

De acordo com o último boletim médico, José Fernandes está acordando aos poucos, mas ainda não apresenta um bom despertar, e está respirando com ajuda de aparelhos - ele é um diabético em estado preocupante. 

O artista plástico era acometido por problemas renais, devido ao histórico crítico, e segue o tratamento acompanhado pela nefrologia por causa de alterações nas funções renais.

Mantendo a fé, a esposa do artista plástico, Cyntia Maria Alves segue pedindo a todos os familiares e amigos que criem uma corrente de vibrações com base num “Volta Zé”, pois ela acredita que a união e pensamento positivo de todos ajudarão a dar forças à reabilitação de José Fernandes para a vida. 

"Precisamos acreditar e ter fé sempre. Esse é um momento delicado, no qual a nossa fé é renovada e os nossos pensamentos criam força. Por isso, ao lembrar dele, peço que todos falem em voz alta um "Volta, Zé". Quanto maior a nossa frequência em pensamento positivo, mais forças estaremos emitindo para o retorno dele", sugere Cyntia.

"Não quero ver ninguém triste com o quadro de saúde de Zé. Quero ver todo mundo alegre e imaginando ele voltando e contando suas longas e intermináveis histórias", sugere Cyntia Maria Alves, com esperança e bom humor.

Cyntia supõe, com base na vivência e nos depoimentos do marido, que ele tenha pincelado mais de 10 mil telas em toda a sua longa carreira de artista plástico. Em estado de saúde bom, Zé Fernandes costumava pintar todos os dias. 

Não era uma cena incomum encontrá-lo em bares e restaurantes com marcas de tintas nas mãos ou nas roupas. Zé Fernandes sempre levou a arte muitíssimo a sério. E, se depender do ânimo e da claque de Cyntia, continuará lavando depois de dar um tapa na Covid-19. "Estou supresa, graças a Deus, com o número de pessoas preocupados com a recuperação dele", diz ela.