YoutubeFacebookTwitterInstagram
FÓRUM DE OBRAS
Por Ascom | 16 de Out de 2017, 21h28
Jackson participa anuncia PPP para duplicação da BR-235
O encontro teve como objetivo disseminar o conhecimento, discutir entraves
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
92f69d1b64cc61a1

Governador no Fórum de Obras Públicas

O governador Jackson Barreto participou, na manhã desta segunda-feira, 16, do Fórum sobre Obras Públicas, Parcerias e Programa Minha Casa, Minha Vida. O encontro teve como objetivo disseminar o conhecimento, discutir entraves e promover a aceleração de oportunidades de negócios de PPPs, de concessões e Mercado Imobiliário no Brasil.

O Fórum é uma promoção da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em conjunto com as entidades da construção de Sergipe, a Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário de Sergipe (Ademi/SE), a Associação Sergipana dos Empresários de Obras Públicas e Privadas (ASEOPP) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil em Sergipe (Sinduscon/SE).
 
O governador participou da abertura do Fórum que contou, ainda, com as explanações do presidente da Câmara Brasileira da Construção Civil (CBIC),José Carlos Martins e do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, sobre os entraves existentes para execução de obras públicas.
 
Em sua fala, Jackson enfatizou a importância das Parcerias Público-Privada (PPP) para execuções de obras estruturantes. “Acho que o debate principal deste Fórum deve ser entre as parcerias público-privada, por que é o assunto que está na ordem do dia. É o assunto da modernidade. Tanto o poder público, como a área privada não tem condições de executar obras que têm um valor muito grande. Desta forma, buscamos a PPP. Como exemplo, iniciamos, de forma objetiva, um PPP para a duplicação da BR-235, a rodovia que vai de Aracaju, passa por Itabaiana e vai na direção de Carira. Nós estamos dando exemplo que, através da parceria pública-privada, poderemos fazer muitas obras importantes e estruturantes. Com a democratização, formação e execução dessa obra, o poder público e a área privada estarão beneficiando a população”, enfatizou o governador Jackson Barreto.
 

Já o prefeito Edvaldo Nogueira falou da atuação dos gestores municipais frente à realidade da crise econômica. “Estamos passando por uma crise cíclica do sistema econômico que desenvolvemos. Uma crise social, ética e, sobretudo, crise de perspectiva. Acredito que as cidades têm um papel fundamental, de crescimento, independente da crise mundial. O polo dinâmico do mundo atual são as cidades. Por isso, acho importante a mudança do Pacto Federativo. Não é possível que os municípios só fiquem com 16% da receita do País. Estamos fazendo o que podemos para cortar os gastos e aumentar nossas receitas. Desta maneira, acredito que eventos como estes são importantes e ajudam a melhorar e abrir novos horizontes”,  frisou o prefeito de Aracaju.

 
O presidente da Câmara Brasileira da Indústria (CBIC), José Carlos Martins, enumerou as dificuldade enfrentadas pelo setor e alertou para a  oportunidade das empresas se adequarem a nova realidade.  “Estamos passando por muitas transformações e mudanças no país. O quadro está propício ao investimento, principalmente, pela taxa de juros, inflação, reforma trabalhista e abertura do mercado para pequenas empresas. Temos que aproveitar este momento. Defendemos o que for melhor para o País, sempre focando nas empresas pequenas. Durante algum tempo, as grandes empresas detiveram 2/3 do mercado. Agora, como essa nova realidade, elas estão perdendo um 1/3 do mercado que podem ser aproveitado por pequenas empresas ou empresas estrangeiras. É hora dessas pequenas empresas aproveitarem para se posicionar no mercado”, ressaltou.

Na opinião do empresário e presidente da Associação Sergipana dos Empresários de Obras Públicas e Privadas (ASEOPP), Luciano Franco Barreto, o momento é de se rediscutir o modelo adotado pelo País que propicia que as obras sejam paralisadas. “Nós estamos vivendo um momento difícil, em que se adota um modelo de controle que evita que as obras tenham um curso normal. São mil obras abandonadas com recurso do governo Federal, conforme declarou a assessora do Ministério do Planejamento, e precisamos buscar um modelo de controle que permita que as obras tenham qualidade e um prazo de execução. Afinal de contas é isso que interessa à sociedade”, pontuou.

O encontro contou com a presença de representantes de construtoras e entidades associativas da Construção Civil e do Governo Federal, que participaram com representantes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Hailton Madureira de Almeida e o secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura e do Ministério das Cidades, Maria Henriqueta Arantes, secretária Nacional de Habitação.
 
Hospital do Câncer


Na oportunidade, o governador comentou sobre as dificuldades enfrentadas na execução da obra do Hospital do Câncer e decisão de rescisão de contrato com a empresa que executa obra. “A proposta é fazer um acordo, de forma amigável, para fazer uma rescisão do contrato da obra do Hospital do Câncer, ou fazer uma rescisão unilateral e irmos à justiça. O que não pode é esse Consórcio enganar a população sergipana e enganar o governo do Estado, porque recursos nós temos, não temos uma empresa à altura para a execução da obra”, declarou o governador. 
 
Debates

Durante o evento, importantes temas foram discutidos através de três painéis. O primeiro painel abordou o tema: Construindo sugestões para aprimorar a relação com Fiscalização e Controle nas Obras Públicas. Os paileista foram: Angélica Petian – VG&P/ Arnaldo Gaspar Júnior – presidente SINDUSCON-RN/ Carlos Eduardo L. Jorge – presidente Comissão de Infraestrutura COP-CBIC/ Luciano Franco Barreto – Presidente ASEOPP/ José Soares Diniz Neto – Vice-presidente de Edificações Públicas do Sicepot-MG/ Sérgio Rodovalho – CAIXA.

O segundo painel abordou o Programa de apoio às Concessões Municipais, com painelistas: Angélica Petian – VG&P/ André Araújo Oliveira – CAIXA/ José Carlos Martins – presidente CBIC/ Ubirajara Madureira Rabelo – presidente SINDUSCON-SE/ Hailton Madureira de Almeida - secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura – SDI – Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPDG).

E para concluir o Fórum, o terceiro painel trouxe o temas: As  Perspectivas do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV), com os painelistas: José Carlos Martins – Presidente CBIC/ Mário Nunes de Oliveira – presidente ADEMI-SE/ Carlos Henrique Passos – presidente SINDUSCON-BA/ Nelson Antônio de Sousa – vice-presidente Habitação da Caixa/ Maria Henriqueta Arantes – secretária Nacional de Habitação do Ministério das Cidades.

Presenças

Estiveram presentes a presidente em exercício do Tribunal de Contas do Estado, a conselheira Suzana Azevedo; ex-governador Albano Franco; o secretário de Estado da Comunicação, Sales Neto; o prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana; o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, o deputado Luciano Bispo; deputado estadual Garibaldi Mendonça;  presidente estadual do PT, Rogério Carvalho;  Carlos Eduardo Jorge; presidente da CBIC; Mario Nunes de Oliveira, presidente da Ademi e Marcos Antônio de Queiroz,  superintende  regional da Caixa Econômica da Federal.