YoutubeFacebookTwitterInstagram
UMA BARRA
Por Ascom | 20 de Nov de 2017, 19h58
Operários das obras da Termelétrica apelam por segurança
Bandidos armados invadiram três alojamentos das obras e ameaçaram 30 trabalhadores
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
10f48941305d265d

Governador Jackson Barreto

O governador Jackson Barreto se reuniu, na manhã desta segunda-feira, 20, com representantes do Grupo Celse, responsável pelas obras da Usina Termelétrica Porto de Sergipe (UTE), na Barra dos Coqueiros. Na última quarta-feira, 15, bandidos armados invadiram três alojamentos das obras e ameaçaram 30 trabalhadores, em nome de uma reserva de mercado. Por conta disso, esses trabalhadores pediram demissão e o restante está amedrontado, o que tem atrapalhado o andamento das obras. 

“A empresa veio fazer um apelo pedindo segurança na execução das obras da Termelétrica. Está havendo ameaças, inclusive, colocando em risco a vida dos trabalhadores. Me coloco solidário aos trabalhadores da empresa que foram ameaçados. Entendo que a empresa vem trazer muitos benefícios para Sergipe, de curto, médio e longo prazo. Uma empresa que tem potencial transformador para o futuro de Sergipe e que precisa ter a solidariedade. Isso nunca aconteceu no estado. O estado de Sergipe é conhecido, nacionalmente, como acolhedor e por pessoas pacíficas. A polícia vai investigar e chegar na raiz desta motivação. Tem algo muito estranho no ar e nós iremos descobrir”, declarou o governador Jackson Barreto.  

Segundo o vice-presidente de ações governamentais da General Eletric, Erik Camarano,  a Termelétrica emprega 1069 trabalhadores entre empregos diretos e indiretos. "Desses, 830 são diretos, sendo que 503 são sergipanos, 60 % do total de trabalhadores. Além disso, 211 são de moradores da região da Barra dos Coqueiros”.

Sobre o caso, a justiça concedeu uma liminar determinando que a polícia garanta a segurança aos trabalhadores. A Termelétrica por sua vez, contratou uma empresa de segurança privada e a polícia, por força da liminar, irá garantir a integridade física dos trabalhadores. 

“Não se pode admitir que esse absurdo aconteça para prejudicar um empreendimento que tem um potencial tão grande para garantir um futuro melhor para Sergipe. A termelétrica está buscando aqui  respeito ao trabalho. Essas ocorrências têm criado dificuldades, prejudicando os interesses do Estado. Estão criando uma imagem negativa para o estado. Sergipe sempre teve a imagem de um Estado muito acolhedor e fraterno, de sempre receber muito bem. A Termelétrica é um investimento que é feito para garantir empregos e desenvolvimento para nosso Estado”, colocou o governador. 

A reunião foi acompanhada pelo  vice-governador Belivaldo Chagas e o secretário estadual da Comunicação Social, Sales Neto. 

 

Termelétrica

A UTE Porto de Sergipe integra o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda e será a maior do gênero na América Latina. Irá receber um total de investimento de cerca de R$ 5 bilhões, o maior investimento feito pela iniciativa privada no Estado. A UTE, em funcionamento, gerará 1.700 empregos diretos.

A Usina está prevista para entrar em plena operação em janeiro de 2020, e terá a capacidade de gerar 1,5 mil megawatts (MGW) de energia elétrica. Para dimensionar o empreendimento deve-se assinalar que a UTE Porto de Sergipe poderá sozinha atender a 15% da demanda de toda a região Nordeste. Quando consolidado, é um projeto que equivale a Usina de Xingó.

Adicionalmente a UTE Porto de Sergipe, um terminal de Regaseificação será criado e operado pela Golar na costa de Sergipe, próximo às instalações do TMIB – Terminal Marítimo Inácio Barbosa. A realização desse investimento abrirá grandes oportunidades de investimentos na cadeia produtiva de petróleo, gás e energia em Sergipe, inclusive em razão da oferta de gás natural que poderá ser fornecido a partir do Terminal de Regaseificação.

O investimento recorde abrirá caminhos para outros investimentos. O Governo de Sergipe e Celse planejam ampliar a geração de energia termelétrica com os projetos Laranjeiras II e Marcelo Déda, também integrantes do Complexo de Geração de Energia, o que totalizará a geração de 3 GW. Ademais, funcionará também como um atrativo para investimento em outros setores de geração de energia renovável.A americana GE Power Services assinou contrato com as Centrais Elétricas do Sergipe no valor de US$ 1,116 bilhão. O contrato prevê operação e manutenção, além de soluções digitais para a UTE Porto do Sergipe. A duração do novo acordo da GE com a Celse é de 25 anos.