YoutubeFacebookTwitterInstagram
AI-5 não
Por | 01 de Nov de 2019, 13h33
Opinião - Bolsonaro pede desculpas, mas o estrago institucional pode ser grave
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
Af449e1b6ad63187

Reprodução Redes Sociais

[*] Bertulino Menezes

Ontem, publicamos texto demonstrando nosso repúdio às declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro, que admitiu a possibilidade da volta do Ato Institucional Número 5, como resposta a uma possível radicalização da esquerda. Aliás, eu diria que praticamente toda a imprensa brasileira adotou a mesma postura.

Hoje, voltamos ao assunto, porque – democraticamente – abrimos espaço ao pedido de desculpas do deputado. Diz Eduardo que “talvez, tenha sido infeliz em falar do AI-5”.  Extremamente  infeliz, deputado.  Esse pedido era imperativo, o mínimo que poderia fazer, já que esse episódio nos leva a pensar no caminho da volta da ditadura.

O presidente da República, pai do deputado, lamentou as declarações, mas completou afirmando que não tinha que defender o filho caçula. E ontem mesmo adotou outra postura autoritária. Determinou a suspensão da assinatura da Folha de São Paulo em todos os órgãos do Governo Federal, afirmando que o jornal “faz um trabalho sujo”. E ameaçou a Rede Globo, dizendo que, no momento da renovação da concessão, será rigoroso...

Difícil dizer o que pode acontecer daqui para a frente, mas não precisamos de muita lucidez para afirmar que medidas de censura à imprensa não serão bem-vindas, muito menos qualquer retrocesso que permita a volta de um regime tirano e arbitrário.

Importante lembrar, também, que declarações infelizes como essas do deputado mostram o despreparo da família para os cargos que ocupa;  desacreditam o governo e só prejudicam possíveis interesses estrangeiros de investir no Brasil, em função da instabilidade política.

Difícil acreditar na boa vontade desses nossos líderes,   porém, tudo indica que haverá um processo de cassação de Eduardo Bolsonaro, já que a apologia à ditadura é passível de punição, como disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Aguardemos.

[*] Pai, Jornalista, Empreendedor, Flamenguista e um filho de Riachão apaixonado por Aracaju.