YoutubeFacebookTwitterInstagram
saúde pública
Por Ascom | 09 de Jul de 2019, 23h13
Samu 192 Sergipe completa 17 anos salvando vidas
Projeto criado em Aracaju serviu de modelo para o resto do país
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
71f68d6e87ea01b7

Márcio Barreto e Conceição Mendonça: médico e enfermeira na origem

Tudo começou em 2001, em Aracaju, quando o médico cirurgião plástico Marcio Barretto e a enfermeira emergencista Conceição Mendonça foram convidados pelo então secretário municipal de Saúde, Rogério Carvalho, e pelo prefeito à época, o saudoso Marcelo Déda, para implantar o projeto piloto do Serviço de Atendimento Municipal de Urgência - Samu - na capital. Na oportunidade, foi convidado também o médico Clóvis França.

Eles receberam o desafio de elaborar um projeto de atendimento pré-hospitalar seguindo o exemplo do que já estava implantado na França, pois ainda não havia um modelo aqui no Brasil. Foi o nascimento do Samu. No dia 8 de julho de 2002, há 17 anos, foi entregue à população o Samu 192 Aracaju, fruto dos estudos destes  profissionais.

"Na época, nós tinhamos o modelo de atendimento pré-hospitalar dos Estados Unidos, que são os paramédicos, e o modelo da França, que compõe médicos e enfermeiros. Então,  nós aceitamos  o desafio e começamos a estudar. O nome ficou Serviço de Atendimento Municipal de Urgência. Naquela época, tínhamos na cabeça um único objetivo: se o projeto desse certo, seria bom pra todos, mas se ele não evoluisse, os nomes dos profissionais envolvidos ficariam desacreditados. E aí entramos de corpo e alma. Foi um ano construindo o projeto com regulamento, metas, objetivos, princípios, a cor das ambulâncias, marca, cor do uniforme. Após um ano, apresentamos o projeto", explica Conceição Mendonça. 

O serviço funcionava com duas Unidades de Suporte Avançado - USA - e cinco Unidades de Suporte Básico - UBS -,  além de um veículo de apoio. Contava com 120 profissionais incluindo médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores, equipe de apoio administrativo, vigilância, serviços gerais e a equipe de coordenação. O projeto, criado em Aracaju, serviu de modelo para o resto do país, consolidado ao final de 2002, quando o Ministério da Saúde lançou a portaria 2048/2002 que instituía o regulamento Técnico da Politica Nacional de Atenção as Urgências e cria o componente Samu 192.

"Nós fizemos o treinamento dos profissinais, fizemos processo seletivo e ele começou a ser concretizado. O sonho saiu do papel em 8 de julho de 2002. É uma emoção muito grande porque é como se um filho nosso estivesse completando 17 anos. Além de Márcio Barreto, Clóvis França e Bilu, nós convidamos outros profissionais como os médicos, como Edson Franco e  Fábio Alves. Foram inúmeros médicos e Enfermeiros envolvidos no processo. E ai começamos a crescer, transformando profissionais assistenciais em  novos gestores para compor o órgão. Iniciamos com apenas duas USA e cinco USB. Na época, com o apoio da SMTT e da Polícia Militar. Após 17 anos, saímos de cinco ambulâncias para 59. Funcionávamos com apenas uma base no bairro Siqueira Campos, hoje são 36 em vários municípios", afirmou Mendonça. 

O Samu 192 Sergipe cresceu e hoje conta com 36 Bases Descentralizadas para atender todo o Sergipe. É o único Samu do Brasil com apenas uma única Central de Regulação de Urgência - CRU - como observatório da Rede de Urgência. O serviço funciona 24 horas por dia. Através de chamada telefônica gratuita ao 192, a Central de Regulação Médica do Samu analisa cada caso de socorro solicitado e envia uma Motolancia, uma USB ou uma USA (ambulância UTI) para realizar o atendimento. Todavia, caso o Médico Regulador não identifique risco iminente e caracterize como uma ocorrência ambulatorial poderá apenas orientar e/ou referenciar a uma Unidade de Saúde.

"Temos uma responsabilidade com a população de Sergipe e com os nossos profissionais. O compromisso que nós temos é de proporcionar uma assistência de qualidade, salvar vidas, com eficiência, rapidez e ética. Com humanidade e acolhimento, e principalmente, respeitando toda a população que necessita do SUS. O SUS é feito por pessoas , por nós, por 1.086 profissionais abnegados. Hoje somos  reconhecidos nacionalmente. Em 2015, pela revista Emergência como um dos mais eficientes do país. Pelo Ministério da Saúde também. Não precisamos ser o melhor, mas ser o diferente. É essa a nossa meta, o nosso objetivo", argumenta Conceição. 

Faça sol ou faça chuva,  eles estão sempre dispostos a atender q população. Não importa de onde venha o chamado, todos são atendidos, orientados ou removidos para os hospitais. A luta desses profissinais é pela vida. Esse é o maior sentido da sua atividade. Está-se falando do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - Samu - 192 Sergipe, um dos orgãos mais importantes da Rede Estadual de Saúde, que nessa segunda-feira, 8, completou 17 anos de história.