YoutubeFacebookTwitterInstagram
São Cristóvão
Por Ascom | 04 de Jul de 2018, 12h53
Prefeitura garante mais de R$ 10 milhões para obras
Em 2017, a gestão municipal alcançou a aprovação de 12 projetos
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
D550bf8e33498284

Prefeito Marcos Santana: Empenho para melhorar vida dos sancristovenses (Foto: Danielle Pereira)

A população sancristrovense pode acompanhar o andamento de obras e de projetos da gestão municipal no Painel Transparências Abertas, do ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. O site traz informações sobre os projetos enviados e aprovados pelo governo federal, bem como de repasses, execução e valores. Em 2017, a gestão municipal alcançou a aprovação de 12 projetos entre obras de infraestrutura, de turismo, cultura, abastecimento de água e esporte. No total, o município tem a garantia de R$ 10.318.870,00 para obras em execução e que aguardam ordem de serviço.
 
O site está disponível para a população acessar detalhes sobre situação dos projetos e dos valores de repasses por municípios brasileiros e por ministérios, número de documentos assinados por ano, valor de contrapartida entre outras informações. Por exemplo, as obras de pavimentação de ruas do Jardim Universitário constam no cronograma de projetos aprovados pelo governo Federal e encontram-se em execução. Orçada em R$ 1.286.850, a pavimentação objetiva oferecer mobilidade e segurança aos pedestres, motoristas e moradores. No site, é possível acompanhar o plano de trabalho, dados e prestação de contas do serviço. Assim como das obras de pavimentação do Luiz Alves (investimento de R$ 269 mil já entregue); do Tijuquinha (R$ 1.286.850); do conjunto Arnaldo Ramos de Moura (R$ 519 mil) e a reforma da praça do Luiz Alves, (R$250 mil). 
 
O prefeito Marcos Santana explicou que as solicitações apresentadas ao governo Federal respeitam as prioridades observadas pela gestão para melhorar a qualidade de vida da população. 

“Preparamos um portfolio com as obras prioritárias. Nossas equipes de Planejamento e de Infraestrurura, e outras secretarias operacionais, se encarregam da elaboração dos projetos, da defesa desses projetos, de acordo com nosso plano de gestão. Minha parte é captar recursos junto aos deputados federais de Sergipe para que remetam os recursos necessários para esses projetos. Esse é um trabalho feito diuturnamente”, disse, afirmando que próxima sexta, dia 06, será entregue a pavimentação do conjunto Arnaldo Ramos de Moura.

“Vamos entregar as ruas do Arnaldo Ramos de Moura e daremos ordem de serviço para início das obras da rua R2, no Rosa do Oeste; rua da escola da Várzea Grande; construção da praça Romualdo Prado, na Enseada; pavimentação de ruas no Lauro Rocha e da rua A no Madre Paulina”, informou.
 
Transparência

Para o diretor de Planejamento Estratégico da Secretaria de Planejamento e Finanças, Willyam  Correia, a ferramenta mostra a transparência com que a Prefeitura administra os recursos públicos. “É fundamental que a população acompanhe quais são as obras que o município já tem recursos garantidos, para que possa fiscalizar e cobrar o andamento das mesmas. Essa ferramenta é muito interessante, pois mostra a transparência de todo o processo de investimento da verba pública. A partir do Painel, é possível ainda acessar o link de cada convênio num outro portal, o SICONV, que traz informações mais detalhadas sobre o projeto em si, inclusive sobre a licitação, contratos e os pagamentos a fornecedores”, declarou.
 
Apenas em 2017, a Prefeitura Municipal obteve a aprovação de 12 projetos pelo governo federal nas mais diversas áreas. São eles: Festival de Artes de São Cristóvão, reforma da Praça Romualdo Prado, pavimentação em diversas localidades, reforma da Praça da Estação, implantação de sistemas de abastecimento em áreas rurais, reforma do campo Renatão, construção de quadra esportiva coberta. Juntos, eles totalizam mais de R$ 5 milhões, os quais já estão garantidos junto ao governo federal. O número de projetos aprovados pela atual gestão é superior ao de gestões anteriores. Exemplo, em 2014, foram aprovados seis projetos. Já em 2015, nenhum documento foi protocolado para apreciação do governo federal. Em 2016, foram cinco.