YoutubeFacebookTwitterInstagram
Retaliação
Por Terra | 27 de Mai de 2020, 12h57
Aliados de Bolsonaro tratam operação como troco a Witzel
STJ autorizou busca nos palácios das Laranjeiras e da Guanabara
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
36fb126f88f1191a

Presidente Jair Bolsonaro deu "parabéns" à Polícia Federal pela operação

Em meio às investigações de suposta interferência na Polícia Federal, o presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e aliados deram tom político à Operação Placebo na manhã desta terça-feira, 26, que teve como alvo o governador do Rio, Wilson Witzel.

A busca e apreensão nos palácios das Laranjeiras e da Guanabara, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça - STJ -, tem origem em investigação que apura desvios de recursos para atender emergência da Covid-19 no Estado e foi comemorada no Palácio do Planalto e vista como um "troco" ao adversário político do presidente.

Pela manhã, o presidente, com um sorriso no rosto, deu "parabéns" à PF. A declaração da deputada Carla Zambelli , PSL-SP, que antecipou operações contra governadores, e publicações nas redes sociais dos filhos do presidente municiaram o discurso do chefe do Executivo fluminense de que é alvo de uma perseguição política.

Fonte: Terra