YoutubeFacebookTwitterInstagram
TEMER NA LISTA
Por PODER360 | 02 de Set de 2017, 09h49
Lúcio Funaro delatou pelo menos 20 políticos, diz jornal
Geddel e Henrique Alves são 2 dos citados
CompartilharWhatsapp internalFacebook internalTwitter internal
355359237f77c2ae

O operador Lúcio Funaro, preso desde 2016

A delação do operador financeiro ligado ao PMDB Lúcio Funaro cita pelo menos 20 políticos próximos ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Os principais nomes do grupo seriam os dos ex-ministros Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). As informações são do jornal O Globo.

Segundo a publicação, Funaro indicou contas bancárias onde propinas teriam sido depositadas para os 2 caciques por determinação de Cunha.

O suposto caso de Geddel seria o mais detalhado. Funaro, de acordo com O Globo, relatou como o dinheiro chegava ao político. Teria indicado até os números dos voos que usou para ir à Bahia encontrar o peemedebista.

O político baiano está em prisão domiciliar em Salvador. Sua detenção, em 3 de julho, foi determinada com base em delações premiadas. As colaborações são da JBS e de Lúcio Funaro.

Henrique Eduardo Alves está preso preventivamente desde 6 de junho. Ele é suspeito de receber R$ 7,15 milhões em propina para favorecer as construtoras OAS, Odebrecht, Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia. A obra em questão era a Arena das Dunas, estádio da Copa do Mundo de 2014 em Natal.

A delação do operador está no STF (Supremo Tribunal Federal). Aguarda homologação pelo ministro Edson Fachin, relator dos casos ligados à Lava Jato. Há expectativa de que a PGR (Procuradoria Geral da República) use partes da delação na provável próxima denúncia contra o presidente Michel Temer. A principal acusação deverá ser obstrução à Justiça.

Autores