Para Belivaldo, é “burrice pessoal” e “desrespeito a Sergipe” se lançar candidato a governador agora

Por Jozailto Lima
07 mar 2017, 00h00

Aos 56 anos, Belivaldo Chagas, PMDB, já teve quatro mandatos de deputado estadual e está no exercício do segundo mandato de vice-governador de Sergipe – ele foi eleito para a mesma função na primeira eleição de Marcelo Déda, em 2006.

Numa antecipação de quase dois anos da eleição de govenador de Sergipe em 2018, o nome dele aparece como o pretenso candidato a ser apoiado por Jackson Barreto e os demais governistas à sucessão. Mas para Belivaldo, há um grande equívoco em se botar o tema em pauta agora, com tamanha antecedência.

“É uma burrice pessoal e uma total falta de solidariedade aos dramas da seca vividos neste momento por Sergipe estar se lançando candidatura de governador faltando 21 meses para a eleição. É uma total falta de solidariedade às reais necessidades do Estado. Não é hora disso. Sergipe não merece isso”, disse ele ontem a coluna Aparte.

Segundo Belivaldo, ele fala de política “por ser um político”, mas impõe um limite. “Eu acho que fomentar candidaturas ao Governo nesta hora é um desserviço ao Estado e ao povo. Eu não estou fomentando. Não falo do assunto”, diz ele.

“Além de ser falta de solidariedade às pessoas em dificuldades nesta hora de seca histórica, ninguém consegue manter de pé uma candidatura por mais de 20 meses. Nem no Governo e nem na oposição”, insiste ele.

Aliás, Belivaldo entende que o tema está mais em pauta graças aos movimentos políticos do seu antigo aliado, o senador Antônio Carlos Valadares. “Não vejo essa sangria desatada no senador Eduardo Amorim. As pessoas estranham essa fome política e essa desvinculação com os interesses da vida real”, diz.

“Por exemplo: eles da oposição estão investindo muito em pesquisa, nas quais o senador Vavazão aparece bem. Mas é óbvio que assim aconteça, porque ele está na política há mais de 50 anos. Porém esquecem que Edvaldo Nogueira no ano passado começou com 5% e ganhou a eleição”, diz.

“Se esquecem que Jackson tinha entre 5% e 6% e se elegeu governador, e que Marcelo Déda em 2000 tinha apenas 7% das intenções para prefeito de Aracaju e terminou ganhando no primeiro turno. Mas insisto que nenhum candidato resiste à exposição por tanto tempo. É besteira, forçação de barra”, diz o vice-governador.

“NÃO LANÇAMOS CANDIDATO AO GOVERNO”
O senador Eduardo Amorim, PSDB, aponta “um equívoco” de Belivaldo Chagas sobre a suposta antecipação de candidaturas ao Governo de Sergipe: “Nós não lançamos candidato ao Governo. Não acredito que o senador Valadares esteja puxando esta coisa de candidatura. Nos reunimos agora em janeiro e dissemos que temos uma série de nomes, assim como o Governo tem Belivaldo como um deles, mas que só lançaremos no final o ano”, diz o senador.

OPOSIÇÃO VISITA AO MPF
O grupo de oposição, liderado pelos senadores Eduardo Amorim e Antônio Carlos Valadares, fez ontem mais uma ação de visita a instituições para-judiciárias com a finalidade de denunciar supostos desmandos do Governo de Jackson Barreto. A visita foi ao Ministério Público Federal e os componentes foram recebidos pelo procurador-chefe Heitor Soares e pelo procurador da República, Ramiro Rockenbach, que responde pela Promotoria da Saúde.    

DE OLHO NOS PROBLEMAS DA SAÚDE
“Os parlamentares protocolaram junto ao MPF pedido de investigação na Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) e análise de empréstimos realizados pelo Governo do Estado que tinham como objetivo investimentos na área. Além disso, querem que sejam analisados diversos vínculos empregatícios suspeitos e salários pagos. Outros pontos são as análises dos contratos com empresas terceirizadas e fornecedores da Saúde do Estado”, informou release divulgado pela assessoria do senador Eduardo. Além do próprio Eduardo, estiveram na visita o deputado federal Valadares Filho, PSB, e os deputados estaduais Georgeo Passos, PTC, Maria Mendonça, PR, Luciano Pimentel, PSB, e Antônio dos Santos, PSC. O senador Antônio Carlos Valadares estava em Brasília.

AS BOAS REMUNERAÇÕES DE VALADARES
Os ganhos salariais do senador Antônio Carlos Valadares, PSB, voltaram a entrar em pauta ontem mais uma vez na mídia nacional. Segundo o site PolíticaaoMinuto, o senador tem uma remuneração mensal acumulada de R$ 64.234,11, composta das junções do seu atual salário de parlamentar de R$ 33.763,00 e da pensão de ex-governador, de R$ 30.471,11. Valadares governou Sergipe de 1987 a 1991.

AS BOAS REMUNERAÇÕES DE ALBANO
Mas de Sergipe não é somente Valadares que entra no lista dos grandes salários. O ex-governador Albano Franco também pontua muitíssimo bem. Ele tem uma remuneração mensal de R$ 48.027,87, que vem da soma dos R$ 17.556,76 da aposentadoria como ex-senador com os R$ 30.471,11 da pensão do Governo de Sergipe. Albano governou Sergipe de 1994 a 2002.

“JB TERIA CORAGEM DE MEXER NAS PANELAS?
O senador Eduardo Amorim provoca Jackson Barreto, nestes tempos de crise econômica e de Governo difícil. “Será que hoje ele teria coragem de bater na porta de alguém, entrar e mexer nas panelas? Se fizer, certamente vai encontrar panelas vazias”, diz. Para Eduardo Amorim, essa “crise” da gestão está muito bem simbolizado “pelos mais de 80% de rejeição, entre péssimo e ruim, do Governo Jackson”.

MORTE DE ORLANDINHO SURPREENDE SERGIPE
A nota triste da política de Sergipe veio da morte de Orlando Andrade, prefeito de Canindé de São Francisco, no último domingo, 5. Ele estava prefeito em terceiro mandato. Orlandinho, como era tratado, faria 58 anos exatamente hoje, 7 de março. No ano passado, Orlandinho obteve 71,29 % dos votos válidos (12.796 votos) dos canindeenses, retomando um que havia passado para Heleno Silva em 2012. A família disse que ele foi vítima de uma pneumonia, mas desde o segundo mandato vinha lutando contra um câncer de garganta.

CANINDÉ SE DESPEDE DE ORLANDINHO
Orlando Porto Andrade foi sepultado ontem em Canindé. O governador Jackson Barreto esteve presente ao sepultamento e fez um discurso comovente. “Orlandinho é amado e querido pelo seu povo por sua simplicidade. Estou aqui hoje não apenas como governador do Estado, mas como cidadão Jackson Barreto para dizer ao povo de Canindé que, nesse momento, o que precisamos é fazer nossas orações e pedir a Deus que dê a Orlandinho paz e tranquilidade. Ele vai estar sempre olhando para Canindé. Orlandinho, vá em paz. Você aqui na terra cumpriu a sua missão. Estamos aqui para honrar o seu legado, sua história e seu amor ao povo de Canindé”, disse JB.

ERA UM ENCANTADOR DE GENTE
O segundo suplente de senador Kaká Andrade, irmão dele, ressaltou a sensibilidade de Orladinho. “Ele deixa esse legado de homem público dotado de uma sensibilidade ímpar, dedicação ao seu povo, nunca vista, um homem que carregava esse povo por onde ia. Orlandinho tinha um magnetismo que conquistava a todos, nas mais diversas classes sociais, ricos, pobres, cultos e incultos. Ele encantava. Era um encantador de gente. Orlandinho, enquanto prefeito, se confundia com as pessoas, ia até onde o povo estava. Orlandinho gostava de gente, tratava gente como gente e por isso ele era idolatrado, não como uma figura num pedestal, mas na adoração que as pessoas tinham por ele”, disse Kaká.

UM NOVO TEMPO PARA PROPRIÁ
O deputado estadual Luciano Pimentel, PSB, aposta que, com a nova gestão encabeçada pelo prefeito Iokanaan Santana e pelo vice Hélio Gomes, a cidade de Propriá vai retomar seu ciclo de importância na economia de Sergipe. “Iokanaan e Hélio são duas surpresas bastante agradáveis da política de Sergipe desta nova safra de gestores que se iniciou em primeiro de janeiro deste ano graças a uma decisão soberana do povo de Propriá. Eu tenho certeza absoluta de que os dois farão uma grande gestão. E digo isso embasado nos compromissos que os dois têm com a cidade e com seu povo. Na vontade e na garra de fazer uma Propriá melhor. De construir uma cidade verdadeiramente cidadã”, diz o deputado estadual Luciano Pimentel

EDVALDO NOGUEIRA REASSUMIU A GESTÃO
Depois de uma viagem internacional – EUA e México – de 10 dias, o prefeito Edvaldo Nogueira reassumiu ontem a gestão de Aracaju. “Foi uma viagem muito produtiva. Fui conhecer um sistema de semaforização inteligente e de controle de tráfego, que desejamos implantar em Aracaju. Primeiro, visitei a fábrica da empresa Semex, no México, onde são produzidos os equipamentos e os programas utilizados. Depois, fui conhecer a aplicação destas iniciativas na cidade de Nova York, onde o trânsito é muito complexo. Se funciona muito bem lá, acredito que é possível operacionalizá-lo aqui. Voltei ainda mais convicto da ideia que defendemos de construir um sistema de inteligência do trânsito, dentro do projeto de mobilidade que implantaremos na capital”, informou o prefeito.

ETC&TAL
@ Do leitor Nena Suassuna, a propósito do eventual poder de JB na sucessão de 18: “Jackson hoje é o príncipe com um sapato de cristal à mão e várias cinderelas descalças na fila”.

@ A Alese fez ontem sessão histórica para comemorar os 182 anos da PM de Sergipe. O governador Jackson Barreto participou do evento.

@ “Acho uma homenagem muito justa da Assembleia Legislativa com a Polícia Militar, que chega aos 182 anos briosa, qualificada e com grandes serviços prestados aos povo de Sergipe”, disse o governador.

@ O senador Amorim diz que os sergipanos querem saber onde Jackson Barreto aplicou os R$ 300 milhões dos recursos da repatriação remetidos pelo Governo Federal.

@ “Onde foram parar estes recursos? Quem foram os fornecedores priorizados para recebê-los”, questiona o senador.

@ Belivaldo reagiu com ironia e bom humor à notinha – “O senador Valadares, perspicaz, anda dizendo a amigos que não acredita que JB vá de Belivaldo pro baile da sucessão estadual – aqui do Etc&Tal.

@ “E com qual fantasia Vavazão vai para o baile da sucessão? Com a de Amoras ou com a dele mesmo?”, questiona ele. “Amoras” aí é uma referência a Eduardo Amorim.

@ O presidente do Tribunal de Contas, Clóvis Barbosa, visitou ontem o presidente da Alese, deputado Luciano Bispo. Clóvis foi comunicar a intenção de conceder 6% de aumento aos servidores do TCE.

@ “Esperamos que a Alese possa apreciar essa matéria e transformá-la em lei, uma vez que pretendemos ofertar benefícios como gratificação aos servidores que se destacarem em sua atuação e que cumprirem metas, além de indenizar servidores que estão trabalhando com prevenção de doenças ocupacionais”, disse Clóvis.

@ A vice-prefeita Eliane Aquino teve seu primeiro teste no comando da PMA, com a viagem de Edvaldo ao México e EUA. “Tinha confiança de que tudo transcorreria de forma tranquila”, disse Edvaldo, ao reassumir o posto ontem.

@ “Pude, de fato, me concentrar naquilo que fui fazer na viagem de trabalho, pois sei que a cidade estaria bem nas mãos de Eliane. Ela deu conta do recado, tomando decisões e enfrentando os problemas”, disse.