“Quanto a 2022, qualquer especulação é verdadeira miragem”

Por Jozailto Lima
14 fev 2017, 00h01

O NEnotícias, portal que agrega uma das melhores audiências da web em Sergipe, de propriedade do radialista e deputado estadual Gilmar Carvalho, tem insistido na tese noticiosa de que o prefeito Edvaldo Nogueira, PC do B, quer se constituir num candidato a governador do Estado em 2022.

Paradoxalmente, a insistência do espaço noticioso não encontra ecos nem no próprio Edvaldo Nogueira. Pelo contrário: o prefeito acha que esse tipo de conjectura é impertinente e lhe atrapalha no presente e no futuro.

“Essas especulações podem ser uma tentativa de criar divisões no nosso grupo, e de tentar desviar as atenções para tema secundário. Sou candidato, sim, mas a governar Aracaju pelos próximos quatro anos. Não penso em 2018. Nem em 2022. Penso e trabalho para reconstruir nossa cidade. Cada dia com sua agonia”, diz Edvaldo Nogueira, com exclusividade ao JLPolítica.

“A respeito dessas especulações sobre meu futuro político eleitoral, quero afirmar que não conversei com ninguém acerca desse tema, pois minha única e exclusiva preocupação são os problemas que temos que enfrentar para reconstruir nossa cidade”, insiste o prefeito.

“Acho muito cedo para discutirmos a eleição de 2018 e o governador Jackson Barreto é o coordenador e líder na condução desse processo. Quanto a 2022, qualquer especulação é verdadeira miragem”, alerta o prefeito.

Edvaldo admite que esse futurismo é um “exercício” no qual ele não entra e pelo qual não se deixa enquadrar. “Tentar fazer previsões do que pode acontecer com cinco anos de antecedência é um exercício com o qual não gasto minhas energias”, diz.

“As minhas energias estão concentradas em administrar Aracaju pelos próximos quatro anos e trabalhar diuturnamente para reconstruir nossa cidade e recuperar a qualidade de vida que perdemos nos últimos quatro anos”, diz.

Na verdade, Edvaldo está mostrando, em menos de dois meses de mandato, um estilo mais arejado. O de ir às comunidades, discutir com elas as intervenções, e o de montar sua equipe sem pressa. “Isso não é pensar no futuro. É agir sobre um presente que o novo tempo nos impõe”, diz ele.

MARIA NO IATE: TESE NAUSEABUNDA
É meio nauseabunda, bastarda e tardia esta tese de que o governador Jackson Barreto plantou a senadora Maria do Carmo naquele fatídico evento de campanha de Valadares Filho na segunda-feira, 10 de outubro do ano passado, no Iate Clube. E desrespeitosa, até. Pelo menos para com Maria, que é tratada nessa questão como se fosse uma autômata. Uma atarantada, manietada e manipulada por alguém.

MARIA NO IATE: TESE BASTARDA
Os que espalham isso – alguns doidins-doidins do juízo – não se dão nem ao mínimo esforço de entender que o alpiste que atraiu Maria ao Iate Clube foi o mesmo da convicção de que Valadares Filho “estava eleito”. O de que ninguém lhe tomaria mais a Prefeitura. E pelo mesmo alpiste, que era semeado com a presença de ACM Neto, lá se foram Machado, Vinicius Porto, Jailton Santana e todo uma espécie de então governistas municipais.

MARIA NO IATE: TESE TARDIA
Não custa lembrar, para potencializar essa tese do alpiste bom e sedutor, que naquele 10.10 um certo instituto de pesquisa de Sergipe dava Valadares com mais de 19 pontos percentuais à frente de Edvaldo Nogueira. Simples assim: como a classe política é pragmática e modela seus projetos a partir “de quem vai ganhar”, a passarada toda, de bico seco e sedento, baixou sobre o cocho de Valadares Filho. Sem, logicamente, necessitar que Jackson Barreto nem ninguém a tangesse até ali. Isso, sim, é fato. O resto, é teoria para deixar mais tontas as baratas.

CARLOS AYRES E OS DIREITOS HUMANOS
O ex-ministro do STF, Carlos Ayres Britto, recebeu ontem, no Rio, o Prêmio FGV de Direitos Humanos por sua contribuição na promoção e defesa dos Direitos Humanos. Segundo Carlinhos, a Fundação Getúlio Vargas lhe confirmou que o prêmio foi concedido pelo conjunto de seus votos professados durante os 11 anos de STF, notadamente por aqueles que atenderam demandas muito fortes, como a do uso das células troncos e a do reconhecimento da união estável entre pessoas do mesmo sexo.

CARLOS AYRES E OS DIREITOS HUMANOS II
De acordo com o site FGV Notícias, esta foi “a segunda edição do prêmio, criado em 2014 por ocasião dos 70 anos da FGV, que reiteradas vezes ao longo da sua trajetória renovou o compromisso com o desenvolvimento social, com a democracia e com os direitos humanos”. O primeiro foi agraciado o professor Paulo Sérgio Pinheiro, presidente da Comissão Internacional Independente de Inquérito para a República Árabe da Síria. Carlinhos recebeu o prêmio acompanhado de Rita, a esposa.

MUDA COMERCIAL DA TV SERGIPE
O jornalista Victor Amaral não responde mais pela Diretoria Comercial da TV Sergipe. Ele foi sucedido desde a sexta-feira da semana passada pela comunicadora social Bartira Brito, que já era diretora de Marketing da Casa e está na TV Sergipe há um ano e oito meses. Victor esteve ali por 11 anos e meio. “Me sinto tranquila. É mais um desafio a encarar”, diz Bartira.

MUDA COMERCIAL DA TV SERGIPE II
Bartira é baiana de Amargosa. Fez Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda pela Unifacs, em Salvador, e antes de chegar à TV Sergipe pilotou o marketing nacional do Ceconsud, grupo mantenedor do GBarbosa. A coluna não conseguiu falar com Victor Amaral. Mas apurou que na TV Sergipe ele deixou um rastro de bom companheiro. Apurou, também, que já tem um grupo de comunicação de olho nele.

TERNURA CUTUCADA
Apesar do momento “ternura” de Almeida Lima, Saúde, que evita confronto com seus desafetos no Governo, ele não tem conseguido se livrar dos tridentes de João Augusto Gama, Seplag. Segundo informes do entorno de Almeida, Gama tem retirado da Saúde alguns quadros importantes. Outro que o cutuca é Zezinho Sobral, da Ação Social. Esse lhe trata com paralelepípedos nas mãos. Almeida adota um silêncio-jesus. Mas dizem que o governador Jackson Barreto, nem tanto.

A TERMÉLETRICA VEM AÍ
Mesmo que em tom fogo de monturo, não se fala em outra coisa nos meios econômicos, com viés político, de Sergipe que não seja na futura termelétrica que está se instalando no Estado. Ela vai ficar no agourento espaço do Pólo Cloroquímico, na Barra, vizinho ao Porto Inácio Barbosa, já está em obra na sua primeira planta, tem um nome feio pra caramba – Porto de Sergipe I – e deve entrar em fase de teste no segundo semestre de 2019.

GÁS DOS EUA OU DO CATAR
O trem é complexo e simples: vai receber gás liquefeito dos EUA ou do Catar, em navios especiais, e aqui em águas sergipanas se converte em gasoso – para depois entrar em distribuição nas cadeias industriais já existentes no Estado e em outras que venham a surgir. O investimento é de R$ 5 bilhões, e será liderado pela Ebrasil e pela Goular LNG, uma multi de extrema expertise em transporte de gás.

QUE A ECONOMIA AJUDE
Oliveira Júnior, assessor para Políticas de Desenvolvimento do Estado, uma função ligada à Casa Civil, anda mais feliz do que pinto no lixo com esta novidade que, a propósito, tem uma divulgação bem mais inferior do que a sua importância – embora tudo fique à cargo do Ministério de Minas e Energia e da Aneel, como interlocução com a Sedetec. Júnior só espera que a barafunda da economia não bote tudo a perder.

TERMELÉTRICAS LARANJEIRAS E DÉDA
Segundo Oliveira Júnior, depois da Termelétrica Porto de Sergipe I virão a Termelétrica Laranjeiras II e a Termelétrica Governador Marcelo Déda. Tudo no mesmo espaço onde um dia deveria ter acontecido o Pólo Cloroquímico. Que tudo isso não seja mais um tiro de culatra como fora a REF Brasil prometida solenemente pelo gatuno e ex-diretor de Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Lembra que em 2014 REF Brasil viria num investimento de R$ 120 milhões e seria erguida em Carmópolis pela sociedade entre as empresas Energio e Costa Global? Bufa! 

ALMEIDA ESCOLHE ADJUNTO…
O secretário de Saúde, Almeida Lima, escolheu ontem o seu adjunto – que agora atende pelo nome de secretário Executivo da Saúde – e o retirou do melhor espaço de saúde pública de Sergipe, a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes – MNSL. Vai ser o então superintendente dali, o médico obstetra Luis Eduardo Prado Correia. No lugar de Luis, fica o administrador e atual coordenador administrativo, André Nascimento. Almeida, que trabalha até aos sábado e domingos pela causa da Saúde, tem adotado o espírito corpo a corpo. Para comunicar que confiscaria Luis Eduardo, ele foi diretamente à Nossa Senhora de Lourdes dizer que ela é referência e que estaria tirando seu adjunto dali para ajudar a disseminar este conceito referencial para o resto do Estado.

ESTE MODELO A OUTROS LUGARES
“De todas as unidades de saúde do Estado que eu já conheço, é a melhor referência. É como se houvesse a necessidade – e há – de levar este modelo daqui para outros lugares. E olhe que nós precisamos e vamos conseguir melhorar e muito, ainda, a MNSL. Até porque, a MNSL não teve a gestão (da Saúde) próxima, para poder ajudar a cuidar e a estender a mão. Para assisti-la. E não é por outra razão que eu estou lavando Luis, que já está aqui há quatro anos e que ao lado de vocês já conseguiu imprimir uma cultura de eficiência. Nós precisamos levar esta expertise para outros lugares”, disse ele ontem pela manhã aos servidores.

ETC@TAL
@ O biólogo Genival Nunes e seu sócio Cássio Martins mandam ver com a GN Consultoria de Projetos e Meio Ambiente e torcem por projetos como o da Termelétrica de Sergipe.

@ Eles produzem EIA – Estudos de Impacto Ambiental -, Rima – Relatório de Impacto Ambiental – e desenvolvem mais de 30 atividades ligadas ao meio ambiente durante implantação de empresas.

@ Beijinho de fel: uma trinca de usineiros de Sergipe pode passar um devo amargo no BNB local. O que se fala é que a dívida pode chegar a R$ 1 bilhão. E seria impagável.

@ Mas o calote seria um vexame para a economia sergipana. A transação envolve desde vestais da economia local a novos “feirenses” e um advogado dos mais jeitosos.

@ Desde o dia 14 de dezembro do ano passado que o cientista político Alailson Modesto não é mais o coordenador técnico do Dataform. E isso quer dizer muita coisa.

@ Alexandre Porto, depois de madurão, está fazendo jornalismo. Talvez ajude a ser melhor do que já o é como comunicador de investidas nas coisas da economia. Vá em frente!

@ Jorge Mitidieri e seus sócios querem elevar o Mastar ao pódio de ensino superior – em estrutura fora da sede do Jardins, claro, sem prejudicar o colégio. “A faculdade está aguardando a publicação do edital. Os cursos já foram aprovados”, diz Jorge.

@ A instituição quer fazer vestibular ainda este, começa com 200 vagas, vai se chamar Faculdade Master e se inicia com Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Administração e Educação Física. O primeiro campus será em Itabaiana.

@ O irrequieto homem de teatro Jorge Lins estreia hoje uma produção ousada: “Déda, história de uma geração”. É uma montagem que vai tentar passar às novas e antigas gerações a importância de Marcelo Déda.

@ Com 67 atores em cena, Jorge fará uma síntese desse camarada que nasceu em 11 de março de 1960, morreu precocemente em 2 de dezembro de 2013, mas conseguiu vincar no tempo e no espaço político de Sergipe uma das mais belas histórias humanas.

@ Déda foi advogado, poeta, cineasta, fotógrafo, deputado estadual, federal, prefeito de Aracaju, governador do Estado e o melhor orador que Sergipe já teve.

@ Ao morrer aos 53 anos, Déda deixou cinco filhos. A peça tem 1h20 de duração e a estreia será às 20:30 no Teatro Atheneu, com temporada até sexta.

@ Senador Eduardo Amorim e o primeiro suplente de senador pelo mandato de Maria do Carmo, Ricardo Franco, terão um encontro em breve para discutir política.