Interviewer e7db9f0f739c1f77

Reportagem Especial

Jozailto Lima

Compartilhar
Newspapper report 933632e513781e1d

Pesquisa confirma força oposicionista na sucessão, com Valadares Filho muito bem posicionado

Num segundo turno, Belivaldo perderia até para André Moura; Governo Temer tem reprovação vergonhosa e quase 80% dos sergipanos não têm simpatia por partidos

Uma pesquisa realizada pelo Instituto França de Pesquisa e Assessoria - IFP - no âmbito estadual confirma a força do bloco oposicionista no processo sucessório de Sergipe, com destaque para os senadores Antônio Carlos Valadares, PSB, e Eduardo Amorim, PSDB, e sobretudo para o deputado federal Valadares Filho, PSB, que pontua com índices bastante competitivos na disputa de governador, mesmo tendo sido o último a anunciar a pretensão de disputar o Governo.

Em posições não tão significativas para o Governo de Sergipe e da União, pontuam, ainda, o pré-candidato Belivaldo Chagas, MDB, e André Moura, PSC - este, levando uma desvantagem descomunal na questão da rejeição. A rejeição de Belivaldo não é significativa, mas é espantoso o índice de sergipanos que dizem que não votariam no candidato apontado pelo Governo de Sergipe (leia mais à frente).

O IFP fez sondagens espontâneas e induzidas para Governo. Nas induzidas, apresentou cenários diferentes para o Governo, de inclusão e exclusão de nomes da oposição mais suave - Valadares pai e filho, Eduardo Amorim, André Moura e Mendonça Prado -, do governista Belivaldo Chagas, à mais radical, como Émerson Ferreira, Professor Dudu da CUT, João Tarantella, Milton Andrade e Vera Lúcia.

7eacc9998385de5a
Eduardo Amorim: um nome cristalizado na disputa pelo Governo
Newspapper report internal image 67f4dbc8bc8ef64b
Senador Valadares: mantém-se bem posicionado

PRIMEIRO CENÁRIO 
Neste questionário, os resultados foram estes: Eduardo Amorim e Valadares Filho aparecem num empate técnico, o primeiro com 16% e o segundo com 14,6%. Em terceiro, Belivaldo Chagas, com 7,1%. Vera Lúcia tem 4%, Mendonça Prado, 3,6%; Dr Emerson, 2,8%; João Tarantella, 0,7%; Professor Dudu da CUT, 0,6%; Milton Andrade, 0,4% e Márcio Sousa, 0,1%. O IFP apurou que há 36,8% dos eleitores que não votariam em nenhum desses nomes ou anulariam o voto, e que 13,3% não souberam ou estão indecisos.

Eduardo Amorim   16,0

Valadares Filho  14,6

Belivaldo Chagas  7,1

Vera Lúcia     4,0

Mendonça Prado  3,6

Dr Emerson  2,8

João Tarantela  0,7

Professor Dudu da CUT  0,6

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza  0,1

NHBR/Nulo  36,8

NS/Indeciso  13,3

SEGUNDO CENÁRIO
Neste cenário, quem fica de fora é o nome de Valadares Filho. Aqui, Eduardo Amorim continua liderando, com 16,2%. O senador Valadares vem em segundo lugar, com 13,2%; Belivaldo Chagas, em terceiro, com 7,2%; Vera Lúcia, fica com 4,1%; Mendonça Prado com 3,7%; Dr Emerson, 3,3%; Professor Dudu da CUT e João Tarantella com 0,7%; Milton, com 0,4% e Márcio, 0,1%. Aqui, são 36,4% dos eleitores que não votariam em nenhum desses nomes ou anulariam o voto, e 14% os que não sabem ou que estão indecisos

Eduardo Amorim  16,2

Senador Valadares 13,2

Belivaldo Chagas  7,2

Vera Lúcia   4,1

Mendonça Prado   3,7

Dr Emerson   3,3

Professor Dudu da CUT  0,7

João Tarantela  0,7

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza  0,1

NHBR/Nulo  36,4

NS/Indeciso  14,0

TERCEIRO CENÁRIO
Num terceiro cenário, sem Eduardo nem o senador Valadares, o pré-candidato Valadares Filho vai a 18,4% de intenção de votos e Belivaldo Chagas permanece na casa dos 7,9%. Aqui, é inserido o nome de André Moura e ele aparece com 7%; Mendonça Prado tem 4,3%; Vera Lúcia, 4,1% e Dr Emerson, 3% - os demais não chegam a 1%. (Veja nas tabelas). Nenhum, branco e nulo são 37,8%, e não souberam ou indecisos, 15,7%.

Valadares Filho  18,4

Belivaldo Chagas  7,9

André Moura  7,0

Mendonça Prado  4,3

Vera Lúcia   4,1

Dr Emerson   3,0

João Tarantela  0,7

Professor Dudu da CUT  0,6

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza  0,1

NHBR/Nulo 37,8

NS/Indeciso  15,7

112276e2e2df9b0e
Belivaldo Chagas: não chega a 10% em nenhum cenário

Quem levaria vantagem num eventual segundo turno

O IFP fez sondagem de um hipotético segundo turno, com aplicação de oito questionários com nomes cruzados envolvendo os Valadares Filho e pai, Eduardo Amorim, Belivaldo Chagas e André Moura.

Pelos resultados, em nenhuma situação Belivaldo Chagas sairia vencedor do pleito. O melhor desempenho dele é perante André Moura, mesmo assim em tese perderia - em tese, porque há um empate técnico muito apertado em favor de Moura. André perderia num segundo turno para qualquer outro candidato.

Aos cenários. No primeiro, que trouxesse Eduardo e Belivaldo, seria de 23,9% para o tucano e 12,8% para o medebista.

Eduardo Amorim    23,9

Belivaldo Chagas   12,8

Nenhum/Branco/Nulo  47,2

Não sabe    16,1

No segundo, entre Eduardo e Valadares Filho, haveria dureza no páreo, um empate técnico, com 18,8% para o tucano e 17,5% para o candidato do PSB. 

Eduardo Amorim   18,8

Valadares Filho  17,5

Nenhum/Branco/Nulo  48,3

Não sabe  15,4

Num terceiro cenário de segundo turno, que dispusesse Eduardo Amorim contra senador Valadares, seriam 18,3% para o primeiro e 17,7%. para o segundo.

Eduardo Amorim   18,3

Senador Valadares   17,7

Nenhum/Branco/Nulo  48,0

Não sabe  16,0

Num quarto cenário, entre André Moura e Belivaldo Chagas, seriam 11,4% a 10,9% em “favor” de André.

André Moura   11,4

Belivaldo Chagas  10,9

Nenhum/Branco/Nulo  59,3

Não sabe  18,4

Num quinto cenário, em que eventualmente os candidatos fossem Valadares Filho e André Moura, seriam 22,7% a 9,4% para o político do PSB.

Valadares Filho  22,7

André Moura  9,4

Nenhum/Branco/Nulo  50,7

Não sabe   17,2

André levaria a pior também, e quase na mesma proporção, se fosse a um segundo turno com o senador Valadares, num sexto cenário: seriam 22,8% contra 8,7%.

Senador Valadares  22,8

André Moura  8,7

Nenhum/Branco/Nulo  51,0

Não sabe  17,5

Num sétimo cenário, Valadares Filho teria 23,1% e Belivaldo, 10,8%.

Valadares Filho  23,1

Belivaldo Chagas  10,8

Nenhum/Branco/Nulo  49,9

Não sabe  16,2

E por fim, num oitavo e último cenário que opusesse o senador Valadares a Belivaldo Chagas, seriam 22,4% para o pessebista e 8,9% para o medebista.

Senador Valadares  22,4

Belivaldo Chagas   8,9

Nenhum/Branco/Nulo   52,1

Não sabe   16,6

Mas na questão do segundo turno, há que se levar em consideração o alto índice de indecisos. Em alguns casos, passa dos 50%, o que revela que muito desse jogo está por ser jogado ainda. (Confira esses índices nos gráficos).

A pesquisa do IFP contemplou também a disputa pelo Senado, pela Câmara Federal e pela Assembleia Legislativa. Tem grandes surpresas. Mas o portal JLPolítica optou por divulgar estes três dados numa matéria a posterior, para não cansar o seu leitor.

E6df2bf2d61d4ef5
André Moura: projeção baixa e alta rejeição

QUARTO CENÁRIO
Com Eduardo Amorim e Valadares Filho de fora, o senador Valadares seria a opção de voto para 16,1% dos sergipanos, e Belivaldo Chagas ascenderia a uma segunda opção, com 8,1%. Em terceiro, com 7,4%, viria André Moura. Seguido por Mendonça, com 4,4%, Vera, 4,3% e Emerson, 3,7%. Os demais não atingiram 1%. Não votariam em nenhum desses, em branco ou nulo, 38%, e não souberam ou indecisos, 16,1%.

Senador Valadares 16,1

Belivaldo Chagas  8,1

André Moura  7,4

Mendonça Prado  4,4

Vera Lúcia  4,3

Dr Emerson  3,7

Professor Dudu da CUT  0,7

João Tarantela  0,7

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza  0,1

NHBR/Nulo  38,0

NS/Indeciso  16,1

QUINTO CENÁRIO
No questionário de quinto cenário, sem André Moura e Mendonça Prado, Eduardo Amorim e Valadares Filho aparecem empatados, bem perto um do outro: o primeiro, com 15,7% e o segundo, com 14,4%. Aqui, Belivaldo teria 8,2%; Vera Lúcia iria a 4,3% e Dr Emerson, 2,8%. Os demais não chegaram a 1%. Disseram não votar em nenhum ou anular, 33,8% e não souberam ou se declararam indecisos, 19%.

Eduardo Amorim 15,7

Valadares Filho  14,4

Belivaldo Chagas  8,2

Vera Lúcia    4,3

Dr Emerson   2,8

João Tarantela  0,7

Professor Dudu da CUT  0,6

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza   0,1

NHBR/Nulo   33,8

NS/Indeciso  19,0

SEXTO CENÁRIO
Num questionário de sexto cenário, sem André Moura, Mendonça Prado e Valadares Filho, novamente Eduardo Amorim se impõe com 16,2% e o senador Valadares tem 14,4%. Belivaldo teria 8,4%, Vera Lúcia 4,3% e Emerson, 3,3%. Os demais não pontuam a 1%. São 32,7% os que não votariam em nenhum, branco e nulo, e 18,8% que não souberam ou indecisos.

Eduardo Amorim  16,2

Senador Valadares  14,4

Belivaldo Chagas  8,4

Vera Lúcia   4,3

Dr Emerson  3,3

Professor Dudu da CUT  0,7

João Tarantela  0,7

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza   0,1

NHBR/Nulo  32,7

NS/Indeciso  18,8

E1a0ad2f2b1e8f64
Jackson Barreto: governo com baixa aprovação e dificuldade de transferir votos

Os partidos não vão bem e Governo Temer tem reprovação vexaminosa

A pesquisa IFP da sucessão estadual de Sergipe traz alguns dados subsidiários curiosos. Por exemplo, a massiva reprovação da administração do presidente Michel Temer. Apenas 3,4% dos sergipanos aprovam o governo dele, enquanto outros 90,4% reprovam. Mais 6,2% não souberam opinar.

GOVERNO TEMER 

Aprova  3,4

Desaprova  90,4

Não sabe  6,2

O Governo de Jackson Barreto não vai lá muito bem também. Nada menos do que 69,1% desaprovam a administração estadual. Apenas 18,8% aprovam, enquanto que 12,1% não souberam opinar. O MDB vem a seguir, com 3,7%; o DEM tem 1,5%; o PV 1%; o PR, 0,8%; o PSDB, 0,7%; o PDT, PSB e o PSC, 0,6%; o PSOL e o PNM, 0,4%; PSL e PPS, 0,3%; e PRB, PTB e Rede, cada um com 0,1%.

GOVERNO JACKSON BARRETO 

Aprova  18,8

Desaprova   69,1

Não sabe   12,1

A pesquisa do IFP traz um dado que deve deixar Belivaldo Chagas muitíssimo preocupado: nada menos do que 70,7% dos entrevistados dizem que “não votariam de jeito nenhum” em um candidato apoiado pelo governador Jackson Barreto. Outros 13,5% disseram que “com certeza votariam”. Que “talvez votariam”, são 12%. Outros 3,8% disseram que não sabem.

CANDIDATO APOIADO POR TEMER 

Com certeza votaria  1,8

Não votaria de jeito nenhum  90,9

Talvez votaria  4,0

Não sabe   3,3

CANDIDATO APOIADO POR  JACKSON BARRETO 

Com certeza votaria  13,5

Não votaria de jeito nenhum  70,7

Talvez votaria    12,0

Não sabe   3,8

Outro dado curioso vem da identidade ou simpatia que os sergipanos têm por ou com um partido político. O PT é líder disparado nesta boa questão: 19,4% dos sergipanos disseram que é com ele que eles mais se identificam, ou simpatizam.De qualquer modo, ainda são muito desvantajosos para os partidos políticos os 33,8% dos sergipanos que disseram que não se identificam nem simpatizam com nenhum deles. Somados aos 35,6% que não souberam opinar, dão nada menos que 79,4% que têm os partidos num campo de indiferença.  

PARTIDO QUE MAIS SE IDENTIFICA 

PT   19,4

PMDB   3,7

DEM (PFL)    1,5

PV    1,0

PR    0,8

PSDB  0,7

PDT   0,6

PSB   0,6

PSC   0,6

PSOL  0,4

PMN  0,4

PSL    0,3

PPS     0,3

PRB    0,1

PTB    0,1

REDE   0,1

Nenhum  33,8

Não sabe   35,6

71e8014206085b2d
Michel Temer: aprovação desastrosa entre os sergipanos

SÉTIMO CENÁRIO
No questionário sem os senadores Valadares e Eduardo Amorim e nem o deputado André Moura, que compõe o sétimo cenário, Valadares Filho é a opção de votos para 19,4% dos sergipanos, deixando Belivaldo Chagas com 9,9%. Vera Lúcia tem 4,1%, Mendonça 4% e Émerson, 3%. Os demais, menos de 1%. São 40,3% os entrevistados que disseram votar em nenhum deles, em branco ou anular, e 17,5%, os que não souberam e os indecisos.

Valadares Filho 19,4

Belivaldo Chagas 9,9

Vera Lúcia   4,1

Mendonça Prado  4,0

Dr Emerson  3,0

João Tarantela  0,7

Professor Dudu da CUT  0,6

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza   0,1

NHBR/Nulo  40,3

NS/Indeciso  17,5

OITAVO CENÁRIO
No oitavo e último cenário das questões induzidas, sem Valadares Filho, Eduardo Amorim e nem André Moura, o resultado daria 16,8% para o senador Valadares, 9,1% para Belivaldo Chagas; 4,3% para Vera, 4,1% para Mendonça e 3,7% para Émerson. Os demais não chegaram a 1%. São 42,3% os entrevistados que disseram votar em nenhum, em branco ou que anulariam, e 17,8%, os que não souberam e os indecisos.

Senador Valadares 16,8

Belivaldo Chagas  9,1

Vera Lúcia   4,3

Mendonça Prado  4,1

Dr Emerson   3,7

Professor Dudu da CUT  0,7

João Tarantela  0,7

Milton Andrade 0,4

Márcio Souza  0,1

NHBR/Nulo  42,3

NS/Indeciso  17,8

REJEIÇÃO
No capítulo rejeição entre os pré-candidatos ao Governo, André Moura leva a pior: 11,4% dos entrevistados admitem que jamais votariam nele. Eduardo Amorim vem em segundo plano, com 9,1%; Belivaldo em terceiro, com 4,4%; Valadares Filho, 3,9%; Mendonça Prado, 2,5%; Emerson 2,3%; Vera Lúcia, 2,1%; Tarantella, 1,7%; senador Valadares, 1,4%; Márcio Souza, 1%; Professor Dudu, 0,8% e Milton, 0,4%.

André Moura  11,4

Eduardo Amorim  9,1

Belivaldo Chagas  4,4

Valadares Filho  3,9

Mendonça Prado  2,5

Dr Emerson  2,3

Vera Lúcia   2,1

João Tarantela  1,7

Senador Valadares 1,4

Márcio Souza  1,0

Professor Dudu da CUT  0,8

Milton Andrade 0,4

NHBR/Nulo  25,4

NS/Indeciso 33,6

19952f1e5b85797b
Vera Lúcia: índices bons, mas foco é a Presidência da República

Pesquisa contemplou 28 municípios e foi contratada pelo JLPolítica

Esta pesquisa do IFP foi feita entre os dias 27 de fevereiro e dois de março, entrevistando mil sergipanos em idade eleitoral. Ela foi contratada pela empresa Miracerta Comunicação, Publicidade, Propaganda, Marketing e Pesquisa - CNPJ: 24394631000109 -, de propriedade do jornalista Jozailto Lima e com recursos próprios.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitora sob número de identificação SE-00403/2018 e pelo IFP responde o Willian França. “Na pesquisa quantitativa de opinião pública foi utilizado o processo de amostragem probabilística, onde todos os entrevistados tiveram as mesmas chances de figurarem na amostra”, diz França.

“As entrevistas foram realizadas pessoal e individualmente, com aplicação de questionários estruturados e padronizados perante a amostra representativa dos moradores em estudo. Os questionários foram aplicados com perguntas espontâneas e perguntas estimuladas para tabulação simples em respostas únicas = 100%. Houve filtragem em todas as entrevistas e a fiscalização in loco pelos supervisores treinados exclusivamente para este tipo de trabalho nas seguintes proporções: Um fiscal para cada quatro entrevistadores”, reforça Willian França.

Esta pesquisa do IFP tem margem de erro de 3,1% e intervalo de confiança de 95%. As cidades usadas como universo da sondagem foram as seguintes, com as perguntas feitas em domicílio: Aracaju, Tobias Barreto, Poço Verde, Simão Dias, São Miguel do Aleixo, Canindé, Porto da Folha, Poço Redondo, Itaporanga D'ajuda, Boquim, Itabaianinha, Estância, Socorro, Laranjeiras, Capela, Japoatã, Carmópolis, Pacatuba, Japaratuba, Lagarto, Itabaiana, São Cristóvão, Frei Paulo, Carira, Areia Branca, Propriá, Aquidabã e Nossa Senhora da Dores