Articulista
José Roberto de Lima Andrade

É economista, professor da UFS e presidente do Corecon-SE. Escreve às sextas.

Dovish x Hawkish: decifrando o economês e qual o real impacto para economia brasileira 
Compartilhar

O momento pomba na economia nacional: símbolo de calmaria 

Em um mundo globalizado, o uso de expressões de entendimento comum é cada vez mais usual. Em economia, principalmente na área de finanças, os estrangeirismos ocupam seu maior espaço, o que dificulta ainda mais o entendimento do já hermético economês.

Lendo o noticiário econômico esta semana, é possível notar um consenso entre os analistas que o Banco Central consolidou uma postura “dovish”. No jargão do mercado financeiro, é o oposto da postura “hawkish” observado nos últimos anos. 

Traduza para o bom português. Hawkish e Dovish são expressões associadas ao comportamento de dois animais - falcão - Hawk - e pomba - dove. Do primeiro, espera-se uma postura mais agressiva, o oposto da pomba, símbolo mundial da paz. 

Como o mercado financeiro não está preocupado com falcões e muito menos pombas, Hawkish e Dovish refletem o papel dos Bancos Centrais na condução da política monetária - mais agressiva em relação a juros – hawkish -, menos agressiva ou mais suave em relação a juros - dovish.

Vivemos um momento dovish no mundo. Me refiro principalmente aos EUA. No Brasil, as falas recentes do presidente e do diretor de Política Monetária do Banco Central reforçam a expectativa de mercado de redução da Taxa de Juros Básica da Economia - Selic - para 11,25% em 2023. 

Importante recordar que no início do ano, a Selic estava em 13,75%. E a expectativa para 2024 é de uma taxa de 9,25% ao final do ano. Economistas também tem seus números cabalísticos. 

Escrevi a algumas semanas sobre os 120.000 pontos do Ibovespa. Selic com um dígito é também motivo de comemoração. Um dos primeiros sinais de uma economia minimamente normal. 

Os mais pessimistas rebaterão que ainda assim temos uma das maiores taxas reais de juros do mundo - taxa de juros descontada a inflação. O que é verdade. Mas a felicidade em economia normalmente chega a prestação. Normalmente é difícil conquistar tudo ao mesmo tempo. Só o Flamengo de 2019. Boas lembranças.

Deixando os estrangeirismos e os animais de lado, qual a consequência deste momento dovish? Para nós cidadãos comuns, em primeiro lugar, financiamentos - os mais diversos - mais baratos. 

Para os empresários, a oportunidade de realizar investimentos, seja em função de um custo do capital menor, seja pelo fato de que a rentabilidade dos investimentos - me refiro a investimentos produtivos - será maior que o uso alternativo de recursos - tecnicamente, o custo de oportunidade do capital – que podemos considerar como parâmetro principal, a Taxa Selic.

Outro impacto importante é sobre a alocação de recursos no mercado financeiro. O Ibovespa, principal indicador do mercado de ações no Brasil, acumula no ano rentabilidade próxima dos 15%. Se o ano terminasse hoje, a renda variável superaria a renda fixa. Outro sintoma de uma economia normal. 

Há instituições importantes do mercado financeiro projetando um Ibovespa em torno de 142.000 pontos em 2024. É reforçar o uso do branco no dia 31 de dezembro. Pela paz em 2024. Pela pomba também.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Genival Nunes
Só assim eu aprendo alguma coisa de economia. Se torna mais fácil que um leigo compreender a taxonomia dos equinodermatas rsrsrs