Articulista
FALA, DEPUTADO!

Marcos Oliveira é deputado estadual e advogado. Escreve aos sábados.

Ações propositivas na Alese à partir de uma oposição aguerrida e pedagógica
Compartilhar

Georgeo Passos: reconheço que somos poucos, mas eficientes

A semana passada terminou com  vitória da oposição na Alese. É que após denúncias feitas desde a semana antepassada, inclusive por nosso mandato, a taxa exorbitante para se tirar uma habilitação, que poderia chegar até R$ 4.400, felizmente caiu.

O governador Fábio Mitidieri, PSD, sentiu na pele a impopularidade de uma medida que prejudicava toda a sociedade, mas que penalizava mais ainda quem é mais pobre, quem mais precisa.

Imagina que o filho do trabalhador assalariado, que ainda não conseguiu fazer um curso numa faculdade, e para ele a CNH é o mesmo que um diploma, pois facilita o acesso ao mercado de trabalho, ter de desembolsar os olhos da cara para tê-la.

E foi com a pressão de todos os parlamentares da oposição que esse assunto invadiu as redes sociais, subiu na tribuna da Alese e se tornou o chamado meme. O resultado não poderia ser melhor, com o governador revogando a portaria do aumento. Mas a oposição esteve alerta o tempo todo e já tinha feito um projeto de decreto legislativo e protocolado.

E não se tratou de uma pressão isolada. Tanto o mandato de Marcos Oliveira se colocou a serviço dessa causa, quanto os mandatos do líder da oposição, Georgeo Passos, de Paulo Junior e de Linda Brasil. Todos somados, a pressão foi forte e intensa, sem tergiversar.

Mas essa não foi a primeira vitória desse grupo da oposição. Georgeo Passos conseguiu suspender a contratação de psicólogos e assistentes sociais, exigindo concurso público para isso. Linda Brasil tem promovido diversas audiências públicas para a discussão de temas importantes, a exemplo das comunidades quilombolas, e Paulo Junior praticamente pautou a ativação do Consórcio de Transporte Público da Grande Aracaju ao levar o assunto para a Alese.

E o meu mandato contribuiu com a queda do ICMS sergipano de 22% para 19% ao denunciarmos o quanto Sergipe seria prejudicado pelo fato do ICMS da Bahia e de Alagoas serem menores do que era então o nosso.

Não somos bestas de não reconhecer a maioria governista – eles são 19 e nós, cinco. Aliás, foi de minha autoria uma frase que ficou marcada nesse primeiro ano da atual legislatura quando disse, numa votação em que a oposição foi derrotada, que “lutamos como nunca, perdemos como sempre”.

Mas a grandeza da democracia está justamente nisso, em se respeitar a maioria. E outra riqueza da democracia é que a oposição pode, deve e tem que se manifestar constantemente.

Nesses exemplos que citei até aqui, seja do nosso mandato, seja do mandato dos colegas de oposição, se não nos manifestássemos, aí é que o Governo deitaria e rolaria, sem passar pelo crivo popular, pois o povo ficaria sem ter voz para a defesa na Alese.

Por isso que me sinto muito bem em fazer parte da oposição, em ser propositivo e em ver que a oposição sergipana tem sido pedagógica, bem feita, pertinente e, acima de tudo, tem sido muito séria.

O caminho das pessoas de bem é o debate. O caminho da oposição é a tribuna. E o caminho da democracia é o respeito a tudo isso! Até a semana que vem com mais um Fala, Deputado!

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.