Aparte
São Cristóvão não aceita população que o IBGE lhe deu e pede mas 6 mil

Marcos Santana: “Não é impossível fazer um censo localizado, mas tenho que bancar”

Pelo censo aproximativo do IBGE agora de 1º de julho de 2017, o município de São Cristóvão ficou com 89.232 habitantes. Mas esse quantitativo desagradou ao prefeito Marcos Santana, PMDB. 

“É muito mais do que isso, e estou protocolando uma contestação no IBGE. Não diria 100 mil, mas é bem superior a 90 mil habitantes. Isso é bem notório, e eu já estive no IBGE inclusive”, diz Marcos, um prefeito que chegou com vontade de mudar para melhor os destinos desta cidade.

Marcos Santana não quer superdimensionar a população sancristovense. Mas não aceita somente isso que o IBGE aponta. “Eu me contento, porque é isso que de fato tem, com uns seis mil habitantes a mais”, diz ele. Isso elevaria a população para 95 mil e deixaria a velha ex-capital emparelhada com Itabaiana, que tem 95.196 habitantes.

“Eles (do IBGE) têm um critério completamente equivocado. Avaliam como foi o comportamento de 2000 a 2010 e projetam para esta década. Mas há em São Cristóvão um comportamento totalmente fora da curva por causa dos inúmeros empreendimento imobiliários que surgiram nesta década”, teoriza o prefeito.

“O IBGE faz um recenseamento a cada 10 anos, e cinco anos depois faz uma recontagem por amostragem e não fez em 2015 por falta de dinheiro. Logo estão pegando uma base que é a de 2010. Uma base totalmente caduca. Dizem: “Está bom, referindo-se à minha constatação, mas de onde vou tirar?” Ai são vocês que tem que saber. Não é impossível fazer um censo localizado, mas eu tenho que bancar”, diz o prefeito.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.