Aparte
OPINIÃO - “É carteira de trabalho assinada numa mão e um livro na outra”

[*] Jefferson Lima

Em nenhum outro momento da história o povo brasileiro foi chamado a votar com a razão, com a esperança e com a ponderação como neste momento. 

O que está em jogo é a democracia, o futuro da nação e das próximas gerações. É um novo ciclo social, econômico e político no Brasil contrapondo o ódio, a violência e o preconceito.

O professor Haddad propõe ao país uma transformação imprescindível, dispondo-se a enfrentar os interesses do capital financeiro com o propósito de retomar o desenvolvimento e reduzir as desigualdades, tendo em vista a defesa da soberania nacional, profundamente ameaçada pelo outro candidato. Professor Haddad, sem dúvidas, é um político jovem, inteligente e um quadro preparado da República brasileira. 

Votar em Haddad é acreditar na democracia, na renovação e na reconstrução da política alicerçada em bases éticas, em bases orientadas para a justiça, nas quais instituições se tornem mais eficazes na solução dos problemas do povo e do Brasil.

Votar em Haddad é ter compromisso com a soberania do nosso povo, com os direitos humanos, com a luta contra o racismo e as desigualdades. É respeitar diversidade religiosa, as mulheres, LGBTS+ e a cultura. 

É defender o meio ambiente, a população indígena e os animais. 

Uma das características de Fernando Haddad é o dialógo, e isso é muito importante em um momento que ameaça a liberdade de expressão.

Haddad tem condições políticas e pessoais de unir e pacificar o país. Nós acreditamos na cultura de paz. Não acreditamos em violência, mas na educação e no trabalho.

É importante esclarecer o que significa cada projeto que está sendo apresentado: votar em Bolsonaro é levar o Brasil para caminhos escuros e escorregadios, ameaçando o regime democrático, disseminando o ódio e a violência política, quiçá, a uma guerra civil e a neo-ditadura.

Votar em Haddad é reconstruir um novo pacto constitucional e social, sempre fortalecendo a democracia, com justiça, liberdade, direitos e igualdade. 

Haddad foi o ministro que mais fez pela educação na história brasileira. Ele criou o ProUni e o Fies sem fiador; levou faculdade para 126 cidades de todo o Brasil; conseguiu dobrar o número de matrículas nas universidades federais. 

Foi o responsável pelas políticas do Ministério da Educação que visavam uma educação de qualidade para todos. Como gestor público, Haddad tem conhecimento e é a confiança que o povo precisa. Confio no que ele diz, confio na plataforma política que ele e a Manuela apresentam. 

A campanha neste segundo turno unificou diversas propostas e conseguiu apresentar um plano que abarca aspectos essenciais, sejam eles a retomada do investimento em educação, saúde, ciência e tecnologia e inovação. É também uma visão voltada para as questões sociais, a luta contra a pobreza e a violência, buscando o desenvolvimento das cidades e da sociedade. 

A candidatura de Haddad tem um programa que vai criar oportunidades para o maior problema do Brasil: o desemprego, fomentando e ampliando a geração de empregos, através do programa “Meu Emprego de Novo”. 

O que nós esperamos é que o Brasil continue no caminho do desenvolvimento democrático. 

Nesta eleição o Haddad é o mais preparado. Tem as melhores propostas e o melhor time para fazer O Brasil Feliz de Novo.

[*] É presidente do PT de Aracaju e membro da Direção Nacional do PT.