Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 39 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração / Tanuza Oliveira.

Dois homens de Itabaiana apostam as bundas em nome de vitórias de seus candidatos ao Governo. Com registro em cartório
Compartilhar

Cópia do contrato de aposta, com firma reconhecida

O município de Itabaiana, no agreste sergipano, a 57 km de Aracaju, é um dos mais vistosos e aguerridos do Estado de Sergipe. Ele tem 96.834 habitantes e é o quarto maior do Estado em população.  

Itabaiana guarda como um dos traços básicos o fato de ter um povo criativo e mais do que empreendedor - a partir de filhos dali, nascerem grandes redes nordestinas de supermercados, como a Bompreço, através de Pedro Paes Mendonça, que foi parar em Pernambuco, e a Paes Mendonça, via Mamede Paes Mendonça, pelos caminhos da Bahia. Ambos eram irmãos.

O itabaianense de Sergipe - tem Itabaiana na Paraíba também, que é onde nasceu Sivuca, o grande músico - guarda um traço de militância e de paixão política que exorbita para além dos demais 74 municípios do Estado.

Habita ali um dos povos mais politizados do Nordeste - dado a brigas e a apostas bizarras em épocas eleitorais. Nos anos 60, foram assassinados a tiro num só dia pai e filho que eram deputados federal e estadual - Euclides Paes Mendonça e Antônio Mendonça.

Mas neste dia 21 de junho de 2022 essa paixão nada platônica pela política engendrou uma bizarra aposta entre dois homens do lugar: eles levaram a cartório um contrato averbando o uso da bunda de um pelo outro que perca a aposta na disputa pelo Governo do Estado.

O contrato é simples, direto e sem mungangas: o que ganhar a aposta, papa a bunda do perdedor. É o que está lá escrito, com firma reconhecida e tudo.

A causa motriz da aposta é exatamente uma candidatura ligada à cidade - a de Valmir de Francisquinho, PL, que foi prefeito itabaianense por dois mandatos até 31 de dezembro de 2020 e está liderando nas pesquisas, contra a tradição do Estado.

Os dois mantenedores da contenda anal apostam em Valmir e em Fábio Mitidieri. Os termos são diretos. Na lata: “Eu José Edson dos Santos desafio o senhor Carlos Roberto Silva a apostar os anus (CU’s) nas eleições para o Governo de Sergipe 2022”, diz a introdução do “texto de aposta”.

No parágrafo seguinte, os dois apostadores “verbalizam” melhor as condições do trato e em termos diretos: “Édson aposta que se Valmir de Francisquinho passar do julgamento da próxima quinta-feira, 23 de junho de 2022, será eleito governador de Sergipe no próximo dia 2 de outubro de 2022. Carlos aposta que mesmo com Valmir na disputa, o governador será Fábio Mitidieri. O que perder a aposta, dá o c. ao outro”, diz o texto.

O contrato exige, ainda, que “a aposta deverá ser registrada em cartório”. E foi, com a data deste 21 de junho de 2022. Mas nem mesmo o fato de esse registro se dar num cartório de Florianópolis, em Santa Catarina, desaquece os ânimos em Itabaiana diante da estranha e bizarra aposta.

Na cidade sergipana, suspeita-se que a oposta e o registro dela possam ser obra e graça de vendedores itabaianenses de castanha de caju nos balneários catarinenses. Vai que sim e vai que não. Mas não haveria uma outra mercadoria para servir de paga e quitação nessa aposta?

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

jose augusto de gois
Ambos querem perder.
Peter Costa
É fake amigo.
Lindiane
Que seja prazeroso para ambos, o ativo e o passivo. Seja quem for é só lucro. A tensão homo erótica tá pesada no agreste. Queremos o agreste colorido!