Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Eduardo Amorim começa a quebrar silêncio político e sinaliza projetos para 2022
Compartilhar

Amorim: à disposição de um projeto em que acredite 

Quem acompanha política de Sergipe, percebeu que nos últimos dias o ex-senador Eduardo Amorim tem atuado com mais frequência nessa seara. Ele começa a quebrar silêncio político e sinaliza projetos para 2022.

Isso porque, mesmo na Presidência do PSDB em Sergipe, Eduardo Amorim passou por uma espécie de período sabático, no qual se dedicou mais às atividades profissionais - leia-se à Medicina - do que à vida pública.

Mas, ao que parece, esse silêncio político está ficando para trás. À Coluna Aparte, Eduardo Amorim confidenciou que essa atuação mais frequente no campo político sinaliza que ele continua à disposição para disputas eleitorais.

“Foi de proposto o silêncio nesse dois anos no pós-mandatos. Voltei para minha profissão, praticamente não dei entrevistas, desmontei o palanque”, diz Eduardo Amorim. Além de senador por oito anos, ele foi deputado federal por quatro - de 2007 a 2010, quando pulou pro Senado e saiu de lá em 2019.

Eduardo Amorim afirma que soube respeitar a vontade do povo. Mas não esconde que tinha razão nas críticas que fez naquela época à política estadual.

“Muito do que pregamos, está acontecendo. Eu estudei a fundo a situação do Estado de Sergipe e já apontava isso. Me aprofundei para fazer o plano de governo, mas fui vencido, sobretudo pela máquina, que, num Estado pequeno, manda e desmanda”, afirma.

Apesar de ter respeitado a soberania popular, que o colocou em 3º lugar na disputa pelo Governo do Estado em 2018, com 202.349 votos - 20,50% dos válidos -, ele diz que isso não significa que estava acomodado.

“Pelo contrário, eu estava trabalhando intensamente. E por onde passei, procurei ajudar meus colegas e a população”, garante Amorim.
Já na eleição municipal de 2020, pouco se ouviu falar de Amorim. Ele mesmo admite que só se envolveu em duas cidades: Aracaju e Itabaiana.

Ainda assim, o silêncio político permaneceu. E deve começar a ser quebrado a partir de agora. “Estou sempre à disposição. Se o grupo entender que posso contribuir, com certeza não fugirei da luta. Sou movido a desafios”, afirma.
Mas, para Eduardo Amorim, ainda é muito cedo para isso. “Me considero preparado para qualquer espaço, e só entro numa luta se acreditar no projeto, na ideia. Não coloco interesses individuais como prioridade. Faço política porque gosto”, define.

Então vai continuar fazendo política? “A gente já está atuando, trabalhando. Política nunca foi profissão para mim, como é para alguns, que tiveram sua vida inteira alicerçada nisso”, critica.

O que a bolsa de valores do mercado político aponta é que Eduardo Amorim já é um pré-candidato a deputado federal em ação para 2022.

Os mais informados dizem que ele pode ter dificuldade na empreitada, porque o irmão e padrinho de seus projetos políticos anteriores, Edivan Amorim, estaria de fora.

Edivan teria como objetivo para 2022 um tal de Zezinho Guimarães, que é deputado estadual e quer mudar pro andar de cima, de federal.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Edson Santana Costa
As decisões jurídicas em última instância passa pelo tribunal superior da justiça. ? A constituição federal guia o nosso pais.?