Aparte
Presidente do Sindijor recebe convites para se filiar em diversos partidos

Paulo Sousa: observando a tudo, mas não cedendo

Jornalista profissional há 15 anos, com formação pela Universidade Tiradentes, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe, e um dos âncoras do programa “Jornal da Manhã, Edição Local”, ao lado de Rosalvo Nogueira, na Jovem Pan, Paulo Sousa, 43 anos, tem sido convidado insistentemente por políticos para filiação partidária e eventuais disputas eleitorais.

Já recebeu proposta do Rede, do Partido Novo, do PT, através do grupo liderado pela deputada estadual Ana Lúcia Menezes e pelo vereador de Aracaju Iran Barbosa, e recentemente de Mendonça Prado, pré-candidato ao Governo do Estado, para se filiar no DEM. Mendonça lhe franqueou espaços para disputar nas eleições deste ano mandato de deputado estadual ou federal.

Paulo tem acolhido com educação os assédios partidários, mas não capitula. Não cede. “Agradeci o convite”, diz, referindo-se ao último. “Mendonça pediu que eu refletisse. Disse-me que a política precisa de gente nova, de bem e de caráter republicano”, diz o jornalista sindicalista.

Segundo Paulo, se a militância político-partidária tiver que lhe acontecer, só será opção depois de muita discussão. “Se um dia eu tiver de tomar uma decisão para entrar na política, antes conversaria com minha família, com meus amigos e sobretudo com a nossa categoria jornalística pra só depois decidir”, diz.

O jornalista não criminaliza a atividade político-partidária. Para Paulo, é até necessária que gente nova oxigene bem esta atividade. “Porque, se os novos não chegam para renovar a política, as velhas raposas continuarão se perpetuando”, filosofa o moço.