Aparte
OPINIÃO - Ruim com eles, melhor com outros

[*] Adalberto Andrade Vasconcelos

“Os homens são diferentes uns dos outros, mas os maridos são todos iguais”. William Somerset 

A frase do William Somerset, usada como epígrafe acima, é só uma metáfora, mas tem tudo a ver com a política. Se o Governo de Sergipe diz através da mídia que a sua maior obra é cuidar do povo, que cuide primeiro da saúde financeira do Estado, que está agonizando por falta de investimento nas áreas de educação, saúde, segurança e de infraestrutura.

Esse drama vivido pelos sergipanos é apenas um retrato 3x4 comparado ao cenário nacional. Os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte que o digam. 

Não importa o tamanho da unidade federativa, o fato é que o cidadão brasileiro está refém da incompetência e da falta de planejamento por parte dos gestores públicos, e isso está acontecendo em todos os níveis de poder.

Claro que em Sergipe não é diferente. E por aqui, com um agravante. Não há nem como o governador justificar ou alegar que recebeu uma “herança maldita” de seu antecessor - seja de A ou B.

Como explicar, se pertencem ao mesmo grupo de políticos que só se alternam no comando do Estado há mais de 50 anos? Aliás, não houve renovação significativa de nomes no quadro político dos nossos “representantes” ao longo dos anos, nem aqui e nem em Brasília. 

O comando do Estado pertence a uma dinastia - basta olhar os sobrenomes dos que estão no poder há meio século. No Congresso Nacional, na Alese e na Câmara Municipal de Aracaju, as figuras são as mesmas há décadas. A renovação é muito aquém do ideal. A política sergipana precisa de gente nova, de bem e de caráter republicano.

Como estamos entrando na reta final para a formação das chapas majoritárias para o Governo e Senado, todo fim de semana têm reuniões e mais reuniões da alta cúpula, em busca de apoio dos prefeitos, vereadores e agregados. Felizmente, a política não é uma ciência exata - maioria não quer dizer supremacia.

Parafraseando o escritor William Somerset, eu posso afirmar que “os homens são de fato diferentes uns dos outros, mas os políticos não são todos iguais”. Dizer que são iguais, seria o mesmo que não acreditar que ainda existem pessoas de bem e do bem - políticos também.

Sempre discordei de uma frase que cansei de ouvir ao longo da vida, e que fez das mulheres vítimas da cultura machista e patriarcal por séculos: “Ruim com ele, pior sem ele". Demorou muito, mas elas provaram o contrário. Na política o princípio é levemente invertido: o que é ruim a gente já sabe, então elimina. Amanhã é outro dia, e com ele renasce a esperança de um Brasil melhor.

[*] É administrador de Empresas, policial rodoviário federal aposentado e escritor.