Aparte
Opinião - Transporte coletivo de Aracaju e região travado no sinal vermelho

[*] Ricardo Marques

Na manhã desta quarta-feira, 25, a população aracajuana foi surpreendida com mais uma paralisação do transporte coletivo de Aracaju. Só neste ano de 2022 já ocorreram três outras paralisações.

A verdade é que esse é o sintoma de uma doença maior. Vez em quando levo os reclames do povo aracajuano ao parlamento e algumas sugestões em especial no que diz respeito a mobilidade urbana.
Quero lembrar ainda que a mobilidade urbana é um problema de todos e apenas com uma ação efetiva e conjunta dos poderes é que poderemos resolver esse problema que se arrasta há décadas em nossa cidade.

Uma cidade que cresce de forma desenfreada e mal planejada, afinal não foi feita a revisão do Plano Diretor. Não podemos esquecer que nossa capital tão bem vista na propaganda não é uma cidade real.
A licitação do transporte público virou lenda. Aquilo que era uma promessa de campanha, parece que continuará sendo apenas mais uma promessa.

Como vereador de Aracaju, apresentei leis que foram aplicadas em outras cidades que minimizaram o sofrimento dos usuários. Algumas dessas leis visam impedir que ônibus velhos circulem na cidade e que em caso de má prestação do serviço coletivo, que o usuário seja ressarcido.

Quando falo em mobilidade urbana, não falo apenas de ônibus, mas dos pedestres, dos ciclistas e daqueles que possuem carro. A verdade é uma só: estamos no escuro.

Os pedestres não são priorizados como deveriam, inúmeras ciclovias e ciclofaixas não estão conectadas, carros e mais carros ganham as ruas, não sem razão, visto que temos um dos piores sistemas de transporte público do Nordeste e uma das passagens mais caras do Brasil.

A nossa cidade é da qualidade de vida, mas apenas no marketing. Os problemas do transporte público abundam e transbordam dia e noite. Há ônibus velhos, sujos e sucateados.

Motoristas que ficam meses sem receber ou recebem em parcelas, alguns exercendo dupla função, linhas de ônibus com frota reduzida. Construíram um terminal de integração no mercado central, bonito é verdade, mas com duas das cinco plataformas que não funcionam porque os ônibus simplesmente não entram.

Quero lembrar ainda que é a mobilidade urbana que conecta a sociedade com os principais serviços públicos. Uma pessoa que sai hoje de casa para trabalhar não consegue ter certeza da hora em que vai chegar no seu trabalho e tão pouco quando vai chegar em casa. Todos os principais serviços ofertados pelo governo municipal passam pela mobilidade urbana.

Uma ambulância poderia chegar mais rápido em seu atendimento se o semáforo inteligente realmente fosse inteligente.

Se o monitoramento dos ônibus fosse em tempo real e conectado com a SMTT e a SSP, poderíamos evitar os assaltos aos passageiros e também poderíamos saber da necessidade de uma comunidade com mais agilidade.

Se realmente fôssemos a cidade da qualidade de vida, teríamos quilômetros e mais quilômetros de ciclovias conectadas entre si e não uma aqui, uma ali. Infelizmente, nossa cidade cresce e se desenvolve de uma forma confusa, desorganizada e que não consegue atender os clamores e necessidades do povo.

Muito está se falando nos círculos políticos sobre as eleições presidenciais e para governo do Estado enquanto que os problemas do município estão sendo esquecidos.

A paralisação que aconteceu nessa quarta pode e irá se repetir a qualquer momento enquanto nada de efetivo for feito. O subsídio concedido às empresas de ônibus e o aumento da passagem ajudam de forma paliativa as empresas, e nada mais que isso.

Somente com coragem para organizar e vontade política para iniciar o processo de licitação é que poderemos pensar num futuro melhor para nosso transporte. Para encerrar, faço uma pergunta: quando é que algo vai ser feito a favor do povo que mais sofre?

[*] É jornalista profissional e vereador de Aracaju.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.