Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Fábio Reis faz a feira de pedidos junto a Temer
Compartilhar

Fábio Reis: se conseguir tudo, vale o mandato

Naturalmente, os opositores dirão que se trata de uma paga pelo voto dado na Câmara para trancar a investigação contra o presidente pelo Supremo Tribunal Federal. Isso é da política.

Mas diga o que disseram, o deputado federal Fábio Reis, PMDB, foi recebido nesta terça-feira pelo presidente Michel Temer, junto a quem fez uma feira quase completa de pedidos em forma de obras e serviços por Lagarto, pelo centro-sul, pelo sertão e, sobretudo, por Aracaju.

O pacotaço de pedidos envolve educação, abastecimento de água e obras de infraestrutura – inclusive, com a maior delas atendendo a Aracaju e não a Lagarto dele, o que revela um bom desprendimento. Ao todo, contando com a liberação mensal de R$ 5 milhões para IFS e UFS, o pacote envolve a bagatela de R$ 246 milhões.

“Senti boa vontade do presidente. Ele chamou os ministros da área e já determinou ação imediata”, disse Fábio a Aparte ontem. Fizeram parte da audiência, os ministros da Educação, Mendonça Filho, e da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, o líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi, e o ex-deputado federal Sérgio Reis, seu irmão. Mas, afinal, o que foi solicitado? Foi um bom bocado.

1 – A liberação de recursos para abastecimento de água ao município de Lagarto. Aqui, são R$ 85 milhões. “A luta é antiga, mas, dando um passo de cada vez, vamos chegar lá”, disse Fábio Reis.

“Conseguimos a rede de esgoto de Lagarto, que já está 80% concluída, e agora necessitamos urgentemente da duplicação do abastecimento de água. O presidente reconheceu o tamanho e a importância desta obra para a região”, frisou o parlamentar.

2 – Recursos para custeio e manutenção de instituições de ensino superior sergipanas, como os Campi da UFS e do IFS de Lagarto, e o Campus da UFS do Sertão. Serão algo em torno de R$ 5 milhões continuados a ser liberados até dezembro.

“O presidente determinou ao ministro Mendonça Filho ação imediata em relação aos Campi da UFS e do IFS. Já havia liberado 70% do custeio do ano inteiro e por sinal liberou hoje mais 5% e até o final do ano vai librar os 100% restantes tanto do IFS quanto da UFS”, diz Fábio.

“Ele só me pediu uma coisa: que os reitores da UFS e do IFS não abrissem mais nenhuma nova linha de trabalho, a não ser as que já estão em execução. Para não impactar mais”, diz Fábio, numa referência a Ângelo Antoniolli e Ailton Ribeiro de Oliveira, com quem diz ter bom relacionamento.

3 – Recursos para a inclusão de obras estruturantes no PAC em Aracaju, como a construção da prometida ponte que ligará a Avenida Tancredo Neves ao bairro Coroa do Meio, e um viaduto no encontro dessa Avenida com a Beira Mar, que daria suporte de acesso à nova ponte.

Estas obras viárias, que dariam uma incrível mobilidade num dos pontos mais apertados de Aracaju, terão um custo de R$ 156 milhões. “Eu quero deixar um legado positivo do nosso mandato. O resto vem depois”, diz Fábio Reis.

 

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.