Aparte
Luciano Bispo rejeita atos de violência em Itabaiana. “Decisão popular sempre será respeitada por mim”

Luciano Bispo: sem subscrever atos de violência

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe, deputado estadual Luciano Bispo, MDB, rejeita qualquer associação do seu nome aos atos de violência pública que teriam sido praticados pela figura do empresário de Itabaiana, Carlito Ferreira de Jesus, o Galeguinho da Roupa, acusado de ter dissolvido com tiros e pânico a carreata da vitória do prefeito eleito desta cidade, Adailton Sousa, PL, na noite da última segunda-feira, 16.

As escaramuças e arruaças atribuídas desse empresário da Roupa renderam a nota Galeguinho da Roupa dissolve a tiros e pânico carreta da vitória do prefeito de Itabaiana, publicada aqui na Coluna Aparte. Num trecho desta nota, o nome do Galeguinho foi associado ao do deputado.

“Galeguinho da Roupa é tido como um protegido do deputado estadual Luciano Bispo, MDB, e é um personagem que está acostumado a fazer arruaças em Itabaiana contra quem se oponha a Luciano ou pense diferente dele próprio”, disse o trecho.

O deputado Luciano Bispo mandou nota rechaçando qualquer ato de violência e se dizendo uma pessoa democrática e da paz. “Em discordância total com as informações atribuídas ao meu nome na matéria jornalística, é preciso relembrar que desde que fui eleito presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe zelo pela democracia tal qual deve ser, com diálogo na Casa política e de decisões importantes para a população que é a Assembleia”, disse ele. 

Sem citar uma única vez o nome do Galeguinho da Roupa, uma trecho da nota do presidente da Assembleia diz o seguinte na terceira pessoa. “O deputado estadual Luciano Bispo informa que nunca concordou com nenhum tipo de violência. A Constituição Brasileira rege a democracia do país e no município de Itabaiana não é diferente”, disse ela, a nota.

E aqui Luciano Bispo retoma o trecho em primeira pessoa. “Sempre disse e continuo a afirmar que aqui (refere-se a Alese) é a Casa dos iguais, a Casa do povo, e é exatamente o povo quem escolhe por quem quer ser governado. Essa decisão popular sempre foi e será respeitada por mim e minha família, com dignidade, com respeito às pessoas”, disse Luciano Bispo.

“Qualquer que seja a decisão da população, é preciso respeitar, assim como respeitei ao longo da minha trajetória política. Não concordo com nenhum tipo de violência e repudio veementemente qualquer relação ao meu nome. É covardia tentar atribuir tal fato violento à minha pessoa, pois todos em Itabaiana e em Sergipe sabem da minha índole e que sou contra qualquer ato de violência”, disse o presidente da Alese.

Nas frases “repudio veementemente qualquer relação ao meu nome” e “é covardia tentar atribuir tal fato violento à minha pessoa”, o deputado Luciano Bispo sai inteiramente da calha desta questão.

Sobretudo porque não houve qualquer associação do nome dele aos atos atribuídos ao Galeguinho da Roupa. Foi apenas dito, repetindo o senso comum de Itabaiana, que o “Galeguinho da Roupa é tido como um protegido do deputado estadual Luciano Bispo, MDB, e é um personagem que está acostumado a fazer arruaças em Itabaiana contra quem se oponha a Luciano ou pense diferente dele próprio”. 

Sobre esse vínculo entre os dois, não houve uma só vírgula na nota do deputado Luciano Bispo que negasse ou atenuasse -o que pareceria mais do que justo que houvesse.

“Para finalizar e em discordância total com as informações atribuídas ao meu nome na matéria jornalística, sempre disse e continuo a afirmar que aqui é a Casa dos iguais, a Casa do povo e é exatamente o povo quem escolhe por quem quer ser governado. Essa decisão popular sempre foi e será respeitada por mim e minha família com dignidade e com respeito às pessoas”, disse o deputado estadual, Luciano Bispo.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.