Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Gilson Andrade e Ivan Leite podem morrer afogados em candidaturas de 2022, e ainda arrastar Valdevan
Compartilhar

Gilson Andrade: “Irei competindo e para ganhar”

Reeleito prefeito de Estância no ano passado, o médico e ex-deputado estadual Gilson Andrade, PSD, 59 anos, admite, sim, que tem projeto de disputar mandato de deputado federal no ano que vem - 2022. Esta hipótese corre de boca em boca entre os estancianos, Gilson não a nega e faz questão de reforçá-la.

“Se o meu grupo político entender que eu deva sair da Prefeitura em 2022 para disputar o mandato de deputado federal, e se o povo de Estância compreender que eu possa contribuir com a cidade na condição de deputado muito mais do que na de prefeito, irei à disputa tranquilamente”, disse o prefeito Gilson à Coluna Aparte nesta quarta, 13.

“Eu sou de grupo e hoje não me pertenço mais a mim. Pertenço ao povo de Estância. Meu destino não é mais meu. É do povo estanciano - e para onde o povo de Estância me chamar, eu vou. E nesse caso, irei para mais um desafio”, reforça o chefe do Executivo estanciano.

Se Gilson Andrade de fato bancar esta candidatura de deputado federal em 2022, ela será a sexta disputa eleitoral na qual ele se jogará em 16 anos. Itabaianense que optou por Estância como sua pátria, Gilson aventurou-se pela primeira vez pelas veredas das disputas eleitorais em 2004, ao se eleger vice-prefeito de Ivan Leite. Tinha ali um projeto de ser vereador e Ivan Leite o atalhou, de olho na boa reputação de médico que ele amealhara no município - até hoje atua como ginecologista e obstetra.  

Mas com Ivan Leite dividindo a mesma intenção as águas podem turvar

Seis anos depois, em 2010, Gilson deu o primeiro passo por conta própria, sendo eleito deputado estadual com 15.395 votos pelo PTC e por este mesmo partido renovou o mandato em 2014, com uma votação mais encorpada, de 26.170. Em 2016, pelo mesmo PTC, se faz prefeito de Estância, com 14.405 votos, e se reelege em 2020, agora pelo PSD, e com 18,867 votos.

“A minha vida é feita de desafios e irei para mais este - com a intenção de contribuir ainda mais com a minha cidade. Se for um desejo de Estância e dos estancianos, irei a esta candidatura, sim. Irei competindo, e competindo para ganhar. Tenho condições fazer muito bem ao meu município e ao meu Estado - que tenham certeza disso”, reforça ele.

Gilson Andrade e Ivan Leite, ex-prefeito de dois mandatos de Estância, são hoje farinhas que não cabem num mesmo saco - nada mais resta de uma parceria que durou por mais de dez anos entre eles. E tudo azedou a partir das relações políticas pouco amistosas entre Gilson e Adriana Leite, esposa de Ivan, que fora vice-prefeita dele de 2017 a 2020.

E para tornar o caldo futuro um pouco mais turvoso, os dois - Gilson e Ivan - anunciam ao mesmo tempo uma mesma pretensão de chagar a Brasília em 2023 empunhando um mandato de deputado federal - uma espécie de Fábio Reis e Gustinho Ribeiro, de uma Lagarto cujo colégio eleitoral é composto por volumosos 74.041 votantes.

E até entornar o projeto de Valdevan Noventa, que tem Estância como ancoradouro

Mas esta coincidência de objetivos e de intenções não é ruim para os projetos de Gilson e de Ivan e para os interesses da cidade de Estância? Tocado por uma tensão muito forte contra tudo que diga respeito ao nome de Ivan Leite, Gilson Andrade nem permite a formulação com fôlego desse óbvio questionamento.

“Eu não tenho nada a ver com Ivan Leite. Minha vida política não depende da de Ivan em hipótese nenhuma. Eu não tenho mais nenhuma relação política com Ivan Leite”, diz ele. Ok, calma Gilson: nem está mais aqui quem iria lhe perguntar.

Mas que as candidaturas de ambos a um só tempo, tendo Estância como ponto de partida eleitoral - com seus apenas 47.613 votos - têm tudo para sofrer um embotamento letal, ah isso têm. Pelo pragmatismo político, ambos podem morrer afogados nas intenções.

Ah, e ainda levariam à bancarrota a de Valdevan Noventa à reeleição, se é que vai haver candidatura de Valdevan Noventa à reeleição em 2022. Dos 45.472 votos obtidos pelo Noventa em 2018, garbosos 8.225 deles foram estancianos. Isso equivale a 18,08% de toda a votação desse  paulista de Estância.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Elito Hora Fontes Menezes
Vejo que já se inicia de forma mais acentuada, a disputa preliminar para os candidatos a Deputado Federal. Tá na hora de se pensar nas mudanças, evitando assim as costumeiras continuidades que não justificam crescimento para Sergipe. Tem candidatos querendo morar definitivamente na Câmara Federal. Filtrem os candidatos que podem merecer, por resultados, o voto, assim como, os que não têm bagagem nenhuma para representar o nosso Estado, principalmente os que encerram mandatos agora e não produziram nada.