Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Jeferson Andrade defende “mais vacinas” para todos e “meios seguros de produção econômica”
Compartilhar

Jeferson Andrade: vacina para todos e meios de se agir economicamente

O deputado estadual e presidente da Executiva do PSD do Estado de Sergipe, Jeferson Andrade, defendeu nesta terça-feira, 30, que o estado brasileiro “agilize mais e com mais responsabilidade” as possibilidades de as pessoas se vacinarem contra a Covid-19 e que também garanta “meios seguros de produção econômica” para as pessoas dentro dos cuidados da pandemia.  

“Creio ser inadmissível que estejamos com pouco menos de 10% da população brasileira imunizada, e mesmo assim, nem tudo isso nas duas doses da vacina aplicadas. Por todos os estudos, está claro que não tem outra saída para conter a escalada de morte das pessoas que não seja pelo caminho das vacinas”, diz ele.

“Eu sou daqueles que pensam que, por ser a imunização das pessoas a prioridade número um, devemos parar todos os demais investimentos, incluindo os de obras púbicas, para pensarmos na vacina. Aliás, já ouvi isso do governador Belivaldo Chagas, que diz que para qualquer obra se for necessário, mas que não deixará de comprar vacinas para a população”, diz.    

Jeferson Andrade lembrou, em tom de aprovação, o gesto do deputado federal Fábio Mitidieri, do seu partido, que tentou puxar a possibilidade de que cada um dos 11 membros da bancada de Sergipe no Congresso Nacional destinasse R$ 9 milhões de suas emendas ao orçamento da União para ajudar o Governo de Sergipe a comprar vacina.

Mas somente o próprio Fábio e o senador Alessandro Vieira, Cidadania, fizeram isso. “A atitude de Fábio foi republicana. Mas. Infelizmente, apenas ele e Alessandro materializaram. Não podemos nos silenciar diante de uma doença que chega a matar mais de 3.600 brasileiros por dia, como ocorreu nesta terça”, diz Jeferson Andrade.

O parlamentar Jeferson Andrade cobrou, também, uma ação mais organizada que garantisse um escalonamento das atividades econômicas do país. Para ele, isso deveria contar com o Governo Federal na linha de frente.

“Me incomoda saber que já passamos de um ano da pandemia do coronavírus e que até agora não conseguimos fixar um calendário preciso de em que horário e em que situação devam funcionar as atividades de comércio, de indústrias e outras importantes da economia. Vivemos esse tempo todo improvisando”, diz Jeferson.

“Sinto nisso a falta de uma autoridade nacional que garante ritmo e objetividade. Mesmo porque, devemos nos preocupar com meios de fazer a economia andar em meio à pandemia, não levando risco sanitário às pessoas. Para mim, esses meios não foram viabilizados ainda”, afirma o deputado do PSD.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Alberto Marcelino
Concordo plenamente com Jeferson. Mas é preciso lembrar que a autonomia , no tocante ao que abre e fecha, tá com os gestores estaduais municipais e municipais. Foi o que o STF decidiu.