Aparte
Clovis Silveira: “Quero encerrar minha carreira política com mandato de deputado federal”

Clovis Silveira: “Defesa dos grandes temas desenvolvimentistas e de infraestrutura do Estado”

Na frase acima, está embutido um desejo, mas seguido de uma reserva de convicção ou de provimento para realizá-lo.

“Eu sou o candidato com mais facilidade de ser eleito federal em 2022 - só me reservo de revelar agora o como e o porquê”.

Tudo isso é fala do velho Clovis Silveira, 73 anos, domador de partidos políticos em Sergipe, traçando o seu itinerário eleitoral para o ano que vem.

Alagoano de Maceió, Clovis Silveira atracou em Aracaju há 51 anos – em 1969, aos 23 -, fisgado pelo amor de uma mulher, sua Ana Maria Silveira, com quem viria a se casar, ter quatro filhos e nunca mais levantar a âncora de Sergipe.

Empresário – já lidou com representação de remédios e hotelaria - e ex-estudante de filosofia, por aqui Clovis sempre flertou com a atividade política.

Já disputou duas eleições - uma de prefeito de Aracaju, em 1992, e uma de vice-governador de Sergipe ao lado de João Alves Filho em 1998. Em ambas, deu com os burros n’água – todas pelo PTB.

Clovis Silveira já foi três vezes secretário - uma de Aracaju e duas de Estado, todas de Assuntos Políticos. Sob Wellington Paixão, de 1989 a 1992, e sob João Alves Filho, entre 1991 e 1995 e de 2003 a 2005. E presidiu umas duas dúzias de partido político.

Agora mesmo comando o Avante. Clovis tem dito a amigos que se cansou de trabalhar para eleger gente sergipana, e que agora teria chegado a sua vez de se eleger. Será? Veja o que diz disso na breve entrevista que concede à Coluna Aparte.

Aparte - É verdade que o senhor tem planos de disputar o mandato de deputado federal  em 2022?
Clovis Silveira -
Sim, tenho mesmo. Dessa vez vou atender às solicitações dos meus amigos. Eu quero encerrar minha carreira política com o mandato de deputado federal e hoje em Sergipe eu sou o candidato com mais facilidade de ser eleito federal em 2022 - só me reservo de revelar agora o como e o porquê.

Aparte - Mas qual seria a sua base eleitoral para esta empreitada?
Clovis Silveira -
Tenho há muito tempo, espalhado por todo o Estado, um grupo que me acompanha. Começarei por essas pessoas, que são as que estão me estimulando.

Aparte - O senhor não acha que lhe falta uma inserção maior na vida política ou em grupos regionais para essa busca?
Clovis Silveira -
Não, de jeito nenhum. Temos portas abertas em pelo menos 80% dos municípios de Sergipe, e isso me credencia a aceitar o convite que me está sendo feito.

Aparte - Que tipo de argumentos o senhor apresentaria aos sergipanos para convencê-los de que mereceria representá-los no Congresso Nacional?
Clovis Silveira -
Olha, eu apresentaria aos sergipanos a minha disposição de muito trabalhar pelo Estado de Sergipe. Apresentarei, sobretudo, o meu interesse de fazer por Sergipe algo que não tem sido feito nos últimos anos, que será a defesa dos grandes temas desenvolvimentistas e de infraestrutura do Estado. Está claro que Sergipe necessita de desenvolvimento. Eu me acho um cara muito conhecido e querido no Estado inteiro. Sempre tive uma vida política bem ativa, conquistei amizade, respeito e credibilidade, e estou certo de que tudo isso vai contar na minha ajuda.

Aparte - Qual é o conceito que o senhor tem dos 11 representantes sergipanos no Congresso?
Clovis Silveira
- É o de que o Estado de Sergipe precisa ser melhor representado. A maioria deles deixa muito a desejar.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.