Aparte
Opinião - A irresponsabilidade teológica da direita católica. Ou um pertinente alerta à CNBB

[*] Romero Venâncio

Acabo ler um importante texto de um historiador italiano e professor na Villanova University, nos Estados Unidos, de nome Massimo Faggioli. O texto é intitulado “A tragédia de uma Igreja excessivamente politizada” - Revista IHU on-line.

É um alerta sobre a situação decadente da Igreja Católica nos EUA por sua politização à direita e uma irresponsabilidade pastoral sem tamanho dos “pastores de lá”. Se calaram, aceitaram ou contribuíram para esta desgraça interna ao catolicismo dos EUA.

Mais do que um texto, trata-se de uma análise e um alerta - se ainda for possível aos americanos do norte. Parece que por lá ainda é assim: “os ventos do norte não movem moinhos”.

Quero adaptar a tese do historiador italiano ao Brasil de Jair Bolsonaro e da direita católica crescente e belicosa cotidianamente nas redes sociais daqui.

Alerto logo de cara: não tenho ilusão de que meu textinho chegue a CNBB ou que ela – e seus bispos mais lúcidos... Por Deus, deve haver - não saibam do que digo em forma de alerta aqui.

O Brasil, o seu catolicismo romano está caminhando a passos largos para o que está acontecendo nos EUA no que diz respeito ao catolicismo de lá. Mas por que digo isso? Basta ver as redes sociais de católicos de direita, anticomunistas delirantes, paranoicos e limitados teologicamente do Brasil.

Esse catolicismo de direita - ou de extrema direita, tanto faz por ora -, tem se tornado o inimigo da política mais aberta e moderna do Papa Francisco e tem incentivado fieis a uma cruzada insana contra um “comunismo fantasmagórico” em dias atuais.

Fantasmagórico, porque criado apenas no cérebro dessa gente. Um moralismo tacanho e anacrônico e uma política aliada a uma extrema direita política do tipo Bolsonaro e família, totalmente irresponsável - Bolsonaro e sua família não têm fé alguma. Acreditam apenas em dinheiro, poder e na prática miliciana. Só. A fé bolsonarista é uma hipocrisia calculada e populista.

Essa direita católica está levando o catolicismo praticado no Brasil a uma divisão sem sentido e sem rumo. É pura destruição e desconstrução de uma prática pastoral moderna e que, a duras penas, se tornou importante nas lutas democráticas e históricas desse país.

Essa prática da direita católica é teologicamente irresponsável, porque não tem base cristã ou teológica, e nem no histórico “magistério da igreja”. Trata-se de uma invenção recente inspirada em práticas integristas e fundamentalistas. E só.

A CNBB não pode apenas assistir a isso tudo sem tomar uma “posição profética” - de denúncia e anúncio -, ou pagará o preço de seu silêncio ou da omissão - o que é bem pior!

O preço é a divisão do catolicismo, a desmoralização da teologia cristã e uma humilhação perante o mundo moderno, deixando-a sem credibilidade. Um cristão sem credibilidade é um idiota que repete fórmulas rituais gastas e que ninguém lhe respeita.

O melhor legado de um Dom Helder Câmara, de um Dom Paulo Evaristo Arns, de um Dom José Maria Pires, de um Padre José Comblim, de um Padre Júlio Renato Lancellotti, de uma Ivone Gebara, de uma Maria José Rosado Nunes não pode ser jogado no ralo comum de uma direita católica rancorosa, odiosa, despreparada teologicamente e sem tino pastoral algum.

Essa direita católica só prega ódio e moralismo. É preciso que instâncias católicas ainda sérias se posicionem e saibam da responsabilidade cristã que ainda possuem, enquanto é tempo. No mais, paciência!

[*] É professor da Universidade Federal de Sergipe.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.