Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Livro de Gilson Sousa conta com precisão a história do jornalista Cleomar Brandi
Compartilhar

Gilson Sousa: vinculação afetiva a Cleomar e pesquisa exaustiva

A história de vida de um dos jornalistas mais atuantes do Estado de Sergipe nos últimos anos está contada no livro biográfico “Cleomar Brandi, uma vida inteira”.

O trabalho foi escrito pelo jornalista Gilson Sousa, que durante os últimos 10 anos vinha realizando pesquisas e juntando material para o livro.

“É uma pesquisa extensa. Como o próprio nome do livro diz, a vida inteira de Cleomar Brandi é contada nele. Detalhes que vão surpreender muita gente. Mas o importante é dizer que trata-se de uma história digna e, acima de tudo, necessária. Dificilmente a gente encontrará nessa vida pessoas como Cleomar, em vários sentidos”, disse o autor.

Com 304 páginas, o livro é dividido em 22 capítulos, narrando desde o namoro dos pais de Cleomar e o seu nascimento em Ipiaú, interior da Bahia, até a improvável história “da última saideira” dele.

Os prefácios são de Chico Ribeiro Neto, jornalista e irmão de Cleomar, e de Arlinda Carvalho, também jornalista que conviveu muitos anos com Cleomar e hoje mora em Brasília.

“Posso garantir que é um livro muito bem cuidado. Uma verdadeira biografia, pois narra com precisão e detalhes vários aspectos da vida profissional e também boêmia do jornalista que até hoje é um exemplo para muita gente Brasil afora”, afirma Gilson Sousa.

A biografia “Cleomar Brandi, uma vida inteira” apresenta muitos relatos da sua infância no interior da Bahia fazendo peripécias nas águas do Rio de Contas, e a juventude em Salvador, onde tornou-se campeão baiano de natação.

“Cleomar Brandi, uma vida inteira”: 304 páginas para evocar e contar de uma figura singular

Cleomar ficou doente ainda muito jovem e perdeu os movimentos das duas pernas. Teve que passar praticamente oito anos entre hospitais e a cama de casa. Depois voltou a estudar e se formou em Pedagogia pela Universidade Federal da Bahia.

Prestou concurso público e ingressou no Irdeb - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia -, órgão ligado à Secretaria de Educação da Bahia, e que cuidava da comunicação pública estatal baiana. De lá, foi requisitado para o trabalho de implantação da TV Aperipê em Sergipe e nunca mais voltou a morar em sua terra natal.

O livro também registra as várias homenagens que o jornalista recebeu em vida e pós-morte, como o belíssimo poema feito pelo amigo Marcelo Déda, ex-governador de Sergipe, o título de cidadão sergipano recebido na Assembleia Legislativa, as medalhas de mérito cultural da Prefeitura de Aracaju e da Universidade Federal de Sergipe; os diplomas, as turmas de Jornalismo que levaram o seu nome - enfim, uma série de gestos que engrandecem o nome do jornalista. 

“Talvez eu seja um dos últimos homens que tratam a vida com a realidade extrema, observo a vida com toda crueza de realidade e acredito no poder da fé”, sentenciou Cleomar um dia.

Por causa da pandemia do coronavírus não haverá solenidade de lançamento. As pessoas interessadas em adquirir o livro, que custa R$ 30, podem entrar em contato com o autor através do telefone 79 99926 3831. Ou pelo e-mail gilson.sousa302@gmail.com.

A biografia de Cleomar Brandi é um produto financiado pela Lei Aldir Blanc, de incentivo à cultura, através da Fundação Aperipê de Sergipe - Funcap. Cleomar Brandi faleceu em Aracaju no dia 17 de julho de 2011, aos 65 anos de idade.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.