Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Luta de Luciano Pimentel por energia nova vale um mandato
Compartilhar

Luciano Pimentel: capaz de viajar 1,5 mil km para ver um exemplo

Se um dia o Estado de Sergipe vir a ter um papel preponderante na produção, comercialização e distribuição de energia solar, fotovoltaica, o deputado estadual Luciano Pimentel, PSB, certamente será lembrado como uma referência. Uma boa e persistente referência.

Luciano Pimentel tem feito da defesa das políticas de geração e comercialização deste tipo de energia uma espécie de profissão de fé. Acredita nelas como uma tábua de salvação de um futuro perto e próximo.

Ele não é empresário da área e nem tem interesse em empreender pessoalmente nada neste setor. O faz por pura convicção de que o futuro passa por esse tipo de produção de energia. E um futuro pra já.

Em nome disso, ontem pela manhã lá estava Luciano Pimentel em Brasília, batendo às portas do ministro Fernando Bezerra Filho, das Minas e Energia, que lhe tem sido um solícito interlocutor.

Motivo direto: pedir um técnico daquele Ministério para vir a Sergipe dia 1° de setembro se juntar a dois outros sergipanos para uma Audiência Pública com o sugestivo nome de “Sergipe e a geração de energia renovável solar fotovoltaica: precisamos nos inserir”, a ser feita na Alese.

E obteve o objetivo: ao lado dos professores Douglas Bressan Riffel, da UFS, e Carlos Eduardo Gama da Silva, do IFS, dois engenheiros com excelentes conhecimentos na área e que serão palestrantes também, estará em Sergipe Guilherme Wehb Syrkis, assessor especial de Bezerra e estudioso de energia solar fotovoltaica.

Por tudo isso, Luciano Pimentel vai se constituindo numa referência neste debate. É capaz de pegar um carro e varar 1500 km de Aracaju a Bom Jesus da Lapa, na Bahia, para visitar por três dias a maior usina de geração de energia solar fotovoltaica baiana, e depois sofrer por ver Sergipe de costas viradas para esse futuro.

“Estive durante o recesso visitando a maior usina de geração de energia solar fotovoltaica da Bahia por ver nela exatamente aquilo que hoje temos que buscar como modelo para o nosso Estado para a produção de energia limpa, para geração de emprego e de receita para o Estado”, diz Luciano.

Mas Sergipe está tão por fora desta atividade assim? Sim, admite ele, mais do que asa de bule. “O Estado está extremamente atrasado”, diz.

“Nós somos o pior o Estado do Nordeste, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica. Não podemos continuar assim, e mudar isso é uma responsabilidade técnica que está acima das questões políticas e partidárias”, diz o deputado.

A luta de Luciano Pimentel é tanta e tamanha que em dezembro do ano passado ele fez aprovar entre seus 23 pares um projeto de lei que criava no Estado uma política perfeita para esta atividade. O Estado negou. Não sancionou a lei.

Quase um beato da causa, Luciano não se aquieta. “Vou reapresentar o projeto de lei de volta, por entender a importância do que ele preconiza para o futuro. Tenho conversado com a Procuradoria do Estado para fazer ver que ele não tem qualquer tipo de inconstitucionalidade”, diz.

E está certo. Na verdade, esta luta de Luciano Pimentel por uma política de energia nova e renovável vale por um mandato. E, pelas convicções que ele nutre em favor da causa, é possível que nem seja isso o que de fato o move.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.