Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Pesquisa Ibope expõe Marcio Macêdo e o PT a um duro vexame
Compartilhar

Marcio Macêdo: desbancado pelo bolsonarista Rodrigo Valadares

A nota mais vexaminosa da pesquisa do Ibope divulgada pela TV Sergipe na noite desta sexta-feira, 9, recai sobre a pontuação obtida pelo candidato Márcio Macêdo, PT, junto aos aracajuanos: 5 pontos percentuais.

Essa pontuação sinaliza um quarto lugar e um desbanque - ainda que se chame de empate técnico - do petista pelo jovem radical de extrema direita, o deputado Rodrigo Valadares, do PTB, que obteve 6% das intenções.

Isso é mais digno de nota do que o óbvio primeiro lugar obtido por Edvaldo Nogueira, PDT, com 32% das intenções de voto, e o segundo por Danielle Garcia, Cidadania, com 21%.  

Possivelmente, os 5% de intenção de voto manifestados para Marcio Macêdo só encontrem consolo e guarida nos 42% de rejeição dados a José Almeida Lima, PRTB, outra tragédia previsível e anunciada na qual somente ele próprio não quer acreditar.

Mas o desbanque do candidato Marcio Macêdo por um rapaz que sonha ser filhote político adotivo de Jair Bolsonaro é o que ganha dimensões estratosféricas.

E ganha dimensões assim porque os petistas estão flutuando em nuvens e em maioneses quando acham que o PT ainda é em Sergipe, e sobretudo em Aracaju, aquele partido que ganhou quatro eleições de primeiro turno de 2000 a 2010 nas duas esferas mais importantes de poder do Estado - que foram a Prefeitura da Capital e o Governo de Sergipe.

Claro que não é e nunca mais será aquele partido. Não é, porque faltam ao PT dois aspectos primordiais para que ele pudesse reavivar o passado de glória por aqui.

Um: falta-lhe Marcelo Déda, personagem único, exclusivo e de quem jamais se terá réplica. Dois: falta dignidade ao próprio PT, que cometeu o profundo estelionato contra a confiança do povo brasileiro, incluindo aí o sergipano e, em virtude disso, nunca de são-nunca ele será mais o mesmo.

Marcio Macêdo, com sua visão pollyânica e de Alice no país das maravilhas, pagou por isso nas eleições de deputado federal de 2018 e paga e pagará bem mais agora. Aliás, ele é, entre os petistas, o mais radical e o mais reagente a ver que seu Deus Lula putrefou e que seu partido de estimação esboroou.

E, por pensar fora da lógica e do razoável, Marcio vem para a campanha erradamente. Em vez de eleger os bolsonaristas Danielle Garcia, Rodrigo Valadares, Lúcio Flávio como seus sacos de pancadas, mira na canela de Edvaldo Nogueira, que durante uma vida inteira foi ligado a Déda e ao PT de Déda, mas que sabiamente soube cascar fora na hora em que os ratos assaltaram o porão.

Aliás, o resultado da pesquisa Ibope não deve ser surpresa para os petistas de Aracaju. Eles devem ter acesso a outras tantas sondagens eleitorais de outros institutos nas quais Rodrigo Valadares é o terceiro colocado, sempre.

A se confirmar isso no dia 15 de novembro, estará chancelado o vexame não apenas para Márcio Macedo, mas sim para Rogério Carvalho, que quer usar a eleição de Aracaju de 2020 como laboratório para seu projeto de Governo de 2022.

Estará chancelado o vexame para Eliane Aquino, a vice-governadora do Estado que foi vice-prefeita de Edvaldo Nogueira em 2016 e agora dá uma de dissidente que põe à prova a sua capacidade eleitoral e de sobrevivência política e vê tudo despencar ao chão.

Em síntese, está em construção um vexame coletivo de um partido que um dia foi, mas que se foi. Se foi e deixou essa herança bastarda e maldita que se chama bolsonarismo.

Para não dizer que não se falou do geral da pesquisa Ibope, veja aí os resultados: Edvaldo, PDT, 32%; Delegada Danielle, Cidadania, 21%; Rodrigo Valadares, PTB, 6%, Márcio Macêdo, PT, 5%, Almeida Lima, PRTB, 3%, Georlize, DEM, 3%, Lúcio Flávio, Avante, 3%,Alexis Pedrão, PSOL, 2% e Delegado Paulo Márcio, DC, 1%. Branco/ Nulo, 18% e não sabe/não respondeu, 6%, Gilvani Santos, PSTU, e Juraci Nunes, PMB, não foram citados pelos entrevistados.

A pesquisa tem margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos, e nível de confiança de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

Foram ouvidos 504 eleitores da cidade de Aracaju nos dias 7 a 9 de outubro e ela tem identificação na Justiça Eleitoral de número SE‐02812/2020.

No capítulo rejeição, o Ibope perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum. Os percentuais foram os seguintes: Almeida Lima, 42%; Edvaldo, 26%; Rodrigo Valadares, 25%; Márcio Macêdo, 16%; Delegada Danielle, 13%, Alexis Pedrão, 7%, Delegado Paulo Márcio, 7%; Georlize, 5%; Gilvani Santos, 5%, Juraci Nunes, 5% e Lúcio Flávio 5.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.