Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Quando a poesia capta e revela a dor e a agonia de uma pandemia 
Compartilhar

[*] Assuero Cardoso 


PRIMEIRO DE ABRIL

Queria que fosse mentira
O que a vida me conta,
Que o mundo anda doente,
Que o desespero desponta
E que as pessoas, infelizmente,
Nem remediadas estão,
Estão também enfermas,
Vazias, trancadas e ermas
Dentro da mesma solidão.

Ah, se fosse mentira
Que alguns amigos, pra sempre,
Viajaram sem despedida
E que a luta pela vida 
É resumida e em vão!

Digam a mim que é mentira
Que o mundo não gira
E a terra agora é plana
E que o ser, tão humano,
Entre tantos desenganos
A si mesmo se engana.


[*] É poeta, ator e professor natural de Lagarto, Sergipe. É autor de oito livros de poemas e um de contos e crônicas. Atualmente, exerce a função de coordenador da Biblioteca Municipal da sua cidade natal.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Nilma Fonsecs
Que alegria ver meu aluno depois de tanto tempo! Parabéns pela trajetória e orgulho de vê-lo continuar poeta. Um grande abraço.
Rômulo Rodrigues
Parabéns. Tocou fundo.
José Américo
Belíssima e real. Fantástica.
Everaldo Fontes Santos
Beus parabéns meu querido professor quem deras fosse verdade essa tal pandemia não existisse e que através dessas circunstâncias as pessoas desse mais a atenção às escrituras sagradas e que Deus nus der uma boa sorte amém
Euvaldo Lima - O Pequeno Diminuto
Esse cara é a reencarnação de Hermes Fontes, é o Tobias Barreto mais moderno, É um enviado dos céus a serviço das letras É um ser de luz, a serviço do Eterno.
É poesia do jeito que a poesia é!
O universo da poesia é sem fronteira, mas as pessoas preferem o mundo da insanidade. Um abraço, poeta!
Róger Kbelera
Parabéns poeta! Produziu uma poesia prozaica, profunda e pragmática!!!