Aparte
“Colocaremos em prática um novo Plano de Desenvolvimento Industrial”, afirma Eduardo Amorim

Eduardo Amorim com Ivan Leite, no Assedis: por um novo Plano Sergipano de Desenvolvimento Industrial

Candidato ao Governo do Estado, o senador Eduardo Amorim, PSDB, participou, nesta quinta-feira, 23, de um almoço com empresários da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro – Assedis. Ao lado do candidato a vice-governador, Ivan Leite, Eduardo apresentou as propostas que constam no plano de governo para o setor industrial em Sergipe.

Entre os pontos, o fomento à indústria como atividade produtiva para geração de emprego e renda. “Criar e colocar em prática um novo Plano Sergipano de Desenvolvimento Industrial – PSDI -, mais moderno e adequado à nossa realidade. Assim, conseguiremos atrair novas indústrias para incrementar a cadeia produtiva de nosso estado”, ressaltou Eduardo.

“Também vamos investir em qualificação profissional, por meio da oferta de cursos técnicos e profissionalizantes para atender a demanda das indústrias e dos demais setores da economia. Vamos manter o diálogo constante para ouvir as demandas”, afirmou o candidato a vice, Ivan Leite.

O presidente da Assedis, Celso Hiroshi, disse que organizou o encontro para discutir do Distrito Industrial de Socorro. “Verificamos as propostas do candidato ao Governo do Estado. Nós temos uma preocupação imensa com o futuro porque o processo econômico tem levado a uma desindustrialização enorme no país e em Sergipe”, destacou Hiroshi.  

O empresário associado à Assedis, Sadi Gitz, demonstrou preocupação com a falta de incentivos por parte do Governo do Estado à indústria. “Nos últimos 20 anos, os candidatos ao governo estiveram aqui nesse encontro. Esse grupo chegou a ter 100 pessoas, mas hoje tem apenas 25. Alguns não participam mais porque as empresas quebraram e já foram embora. O governo não olha seus gastos, mas quer arrecadar mais e aumentou impostos”, salientou Sadi, detalhando que o distrito de Socorro já teve mais de sete mil funcionários e hoje temos apenas três mil somando as 50 indústrias instaladas.