Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

SSP analisa se atropelo de João Tarantella foi “acidente ou tentativa de homicídio”. Pelo Huse, ele está mal
Compartilhar

João Tarantella: um direitista palatável

Duas notícias não muito agradáveis no entorno de empresário e político João Tarantella, 60 anos, gravemente atropelado no finalzinho da tarde da última terça-feira, 11 de janeiro, na Avenida Tancredo Neves, nas imediações da empresa Ferreira Costa.

A primeira: ele “segue em vigilância neurológica, intubado, em estado delicado de saúde, sendo acompanhado pela equipe médica em Unidade de Terapia Intensiva” do Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho - Huse -, segundo boletim de informação distribuído às 18 horas desta quarta por aquela casa de saúde pública.

A segunda: a Secretaria de Segurança Pública não conseguiu, ainda, identificar quem foi o autor do atropelamento a ele. Mas não por falta de uma ação investigativa por parte da polícia. Muito pelo contrário.

Até o governador do Estado, Belivaldo Chagas, já pediu por duas vezes a intensificação nas investigações que se dão desde o momento em que o fato ocorreu, o secretário de Segurança Pública, João Elói de Menezes, está sendo informado de tudo e as investigações são tocadas com efetividade pela delegada Daniela Ramos, titular da Delegacia Especial de Delitos de Trânsito.

Na supervisão de tudo, está diretamente o Delegado-Geral da Polícia Civil do Estado de Sergipe, Thiago Leandro de Oliveira. No começo da noite desta quarta, ele conversou com a Coluna Aparte, disse que há uma série de vertentes do atropelamento sendo analisada e revelou que algumas tangentes não estão sendo reveladas para não atrapalhar as linhas de possibilidades.

“Nós temos que investigar se foi realmente um acidente com omissão de socorro, ou se foi uma tentativa de homicídio. Tudo teremos que apurar. Não podemos desconsiderar nada até esclarecer os fatos. Estamos seguindo algumas linhas. O João Tarantella é um comerciante, tem algumas atividades imobiliárias lá pro lado do Marivan, de onde ele estaria vindo, e é político”, disse Thiago Leandro de Oliveira.

A SSP não sabe que tipo de veículo o atropelou. Sabe apenas que ele estava de moto e há suspeita de que o capacete não estava bem ajustado à cabeça, o que facilitou a ocorrência das fraturas e o “politraumatismo e traumatismo craniano” apontados desde o primeiro boletim do Huse na noite de terça.

“Vamos aguardar o que a perícia dirá sobre isso. Estamos em diligências e temos que admitir que é uma investigação complexa. Não ainda ter somente imagem (do ocorrido)”, reitera Thiago Leandro. O chefe da Polícia Judiciária sergipana admite que “são vários fatos a serem analisados”.

“As investigações ocorrem em sigilo, porque se a gente ficar abrindo muito as dificulta. Estamos tratando de um cara que já foi candidato ao Governo, de uma pessoa importante no cenário político, onde se tem amigos e inimigos. Mas pode ser também somente um acidente. O próprio governador por duas vezes já pediu todo o empenho da SSP para esclarecer o fato. Confiamos muito no trabalho da delegada Daniela Ramos. Ela já desvendou casos mais graves”, diz Thiago Leandro.

João Paes da Costa, o João Tarantella, nasceu no dia 13 de setembro de 1961 em Itabaiana. Mas vive Aracaju desde a adolescência, onde tem mulher - Maria José da Cruz Menezes - uma única filha - a jornalista Juliana Menezes Paes - e negócios. “A gente vê que a família dele está bem abalada”, constata a sensibilidade do delegado Thiago Leandro.

João Tarantella é um camarada amigueiro. Apesar daquele estilo zoadento, às vezes espalhafatoso, é uma figura afável. Um direitista palatável, bem diferente de outros mais novos, emergentes e afetados, discípulos diretos do integralista Plínio Salgado, que batem continência para um modelo decadente de defesa da família, da pátria e da propriedade.

“Eu tenho a cara do povo. Sou um cidadão comum”, disse Tarantella, numa das Entrevistas Domingueiras deste Portal JLPolítica publicada aqui no dia 1º de setembro de 2018, a propósito da candidatura ao Governo de Sergipe que ele tentou manter naquela época, mas foi indeferida pela Justiça Eleitoral.

Relembre a Entrevista dele aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.