Aparte
Zé Franco: “Carminha Paiva é preparada, e sensível à causa dos mais necessitados”

Inaldo, Carminha, Manelito Franco e Zé Franco: “Nosso grupo em Socorro é o maior grupo municipalista do Estado de Sergipe”

“Claro que eu continuo defendendo que o município de Nossa Senhora do Socorro, pelo nosso lado, pelo grupo do prefeito Padre Inaldo, merece ter uma representação direta na Alese em 2023. E eu até identifico um nome que possa disputar esse mandato pela cidade ano que vem. Inclusive, foi uma ideia minha e unanimemente foi dada a palavra de que o nome deve ser o de Dona Carminha”.

Estas afirmações são de Zé Franco, ex-prefeito de Socorro, ex-deputado estadual e pai do vice-prefeito de Socorro, Manelito Franco. A Dona Carminha da fala dele é a assistente social Maria do Carmo Paiva da Silva, 53 anos, secretária da Assistência Social da cidade, que já declarou-se aqui uma pré-candidata a deputado estadual para 2022, esperando somente a hora certa para jogar sua jangada política nas águas de Sergipe.

Para Zé Franco, por vários aspectos, Carminha Paiva da Silva se faz credora convincente da candidatura e do mandato. “Para mim, não tem nome melhor. Dona Carminha é uma assistente social que mora em Socorro há 32 anos e é uma pessoa preparada e sensível à causa dos mais necessitados. É pessoa leve, que tem um bom espírito de grupo, conciliadora e, com certeza, uma candidata que não vai decepcionar a comunidade nem a ninguém do grupo. Eu diria que Carminha hoje está preparado para um mandato e para fazer bem nele. Ela tem a humildade de ouvir as pessoas e uma ótima qualidade: é muito inteligente”, reforça.

Mais do que reconhecer méritos e qualidades na pessoa pública da futura candidata, Zé Franco afirma que está convencido de que deve ir à campo pela candidatura dela como se fosse alguém da sua família. “Eu estou preparado e vou pedir voto para ela no Estado de Sergipe inteiro. Não estou fazendo isso agora porque não é tempo eleitoral, mas quando for...”, diz Zé Franco.

“Eu só não posso dizer que vou coordenar a campanha de Carminha porque para isso tem o meu irmão do coração, o Padre Inaldo. Mas não fosse essa grande liderança dele, para mim seria um prazer. Mas vou andar com ela por Sergipe afora como se andasse com Dona Celinha Franco, minha irmã, ou com Dona Venúzia Franco, minha mulher”, reforça. Como ele, as duas - Venúzia e Celinha - já foram deputadas estaduais.

“Isso tudo porque eu acredito na capacidade de trabalho de Carminha e porque o Legislativo de Sergipe está necessitando de gente assim, ainda mais no campo feminino. Venúzia e Celinha apoiarão ela 100%. Toda a nossa família - é só chegar a hora, porque não estamos em campanha ainda. Digo isso porque a gente tem de pensar numa composição que seja significante, e Carminha é”, afirma.

Para Zé Franco, o projeto coletivo em torno de Carminha Paiva da Silva está bem em sintomia com o significado da cidade de Socorro para as estruturas políticas, econômicas e eleitorais de Sergipe. “Mais do que um deputado estadual, Socorro merece uma Secretaria de Estado. Porque, a partir de Sergipe, Socorro é a terceira cidade que mais cresce no Nordeste e a primeira disparada em Sergipe, em função do seu polo industrial e do comércio que a cada dia se incorpora mais”, avisa.

“Eu tenho a humildade de dizer que o nosso grupo em Socorro hoje é o maior grupo municipalista do Estado de Sergipe. Em 2022, nós vemos ter 125 mil votos e isso decide qualquer eleição estadual. Por isso, nosso grupo merece ter uma deputada estadual, um federal, um senador que tenha 100% de compromissos com o município, e até espero que o futuro governador seja da nossa coligação”, reitera Zé Franco.

Outro fator que motiva Zé Franco em favor do projeto futuro de Carminha é a figura pessoal e pública do prefeito Padre Inaldo, PP, companheiro dela. “O Padre Inaldo é uma pessoa simples, do tipo que acerta e cumpre. Ele tem essa qualidade extraordinária de cumprir com a palavra. É por isso que sou amigo e irmão de coração dele. Porque ele tem palavra. Isso é uma coisa rara no mundo hoje e eu gosto de dizer isso para que outros, os que não têm palavras, se toquem. Porque num homem, palavra é tudo. O resto não vale nada. Não carece nem de documento para a palavra. Juridicamente, cartório não vale nada para a palavra. Palavra é sinônimo de firmeza, e isso é coisa que Padre Inaldo tem de sobra”, afirma Zé Franco.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.