Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Ufa: finalmente ação concreta do Governo do Brasil promete vida ao Canal de Xingó
Compartilhar

Rogério Marinho: não adianta a retórica do discurso sem a concretude do gesto

Quase que por unanimidade e em tom perto da exaltação, a classe política do Estado de Sergipe celebrou a assinatura de ordem de serviço para elaboração do Projeto Executivo para a construção do Canal de Xingó. Ufa: finalmente não era sem tempo.

A assinatura foi feita nesta sexta, 23, com a presença do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, em solenidade que aconteceu na sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba - Codevasf - em Aracaju. Trata-se do lote I da Fase I, que vai abranger o Sertão sergipano. O investimento nos estudos será de R$ 5,9 milhões e tudo deverá ser entregues em até 440 dias. 

“Estamos assinando o Projeto Executivo hoje de obra tão importante para o Estado de Sergipe, que ao longo dos últimos anos viveu algumas frustações em relação a sua realização. Estamos aqui hoje para mostrar o nosso compromisso com este Estado e dizer que não adianta a retórica do discurso sem a concretude do gesto”, disse o ministro Rogério Marinho.

E completou: “Para uma obra nesse porte, que é mais de R$1,3 bilhão quando das duas etapas conclusas, é necessário um Projeto Executivo que permita que a obra se ponha de pé, nós estamos dando o primeiro passo, assinando e contratando o projeto executivo”. 

O entusiasmo da classe política de Sergipe em torno deste anúncio é justificável e seria deslealdade censurar o modo como cada parlamentar sergipano se apropriar deste momento. Não era pra menos.

“Quando este canal estiver pronto, não passará apenas água, mas também esperança, prosperidade e dignidade para os sertanejos”, disse o deputado federal Gustinho Ribeiro. Sim, o gesto desta sexta-feira, 23, é sinal de que o Governo do Brasil começa a resgatar uma dívida histórica com Sergipe.

O Canal do Xingó é uma compensação prometida pelo Governo brasileiro ao Estado de Sergipe desde quando ele aprovou, nos anos 80, a transposição das águas do Rio São Francisco para o Nordeste setentrional -Pernambuco, Paraíba, Rio Grane do Norte e Ceará.  

A compensação seria para Sergipe e para a Alagoas – dois braços de rio derivados do São Francisco seriam feitos para atender aos sertões destes dois Estados. Sergipe pagou de patinho feio, e nada aconteceu. Em Alagoas, o Canal do Sertão -, que é o Xingó deles - já varou mais de 200 km. Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro esteve lá, inaugurando mais uma extensão.  

Daí esse foguetório todo com o gesto do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, nesta sexta. Diante da importância do fato, esta Coluna Aparte acolheu as manifestações de todos os políticos sergipanos que viram nisso algo muito simbólico. E é.

Representando governador Belivaldo Chagas na solenidade, o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade - Sedurbs -, Ubirajara Barreto, ressaltou a importância da assinatura e de outras obras que estão em andamento em Sergipe com recursos do Ministério.

“É importante a assinatura dessa ordem de serviço do Projeto Executivo no valor de R$ 5,9 milhões. Como bem disse o ministro, o projeto sendo executado, proporcionará ao Estado de Sergipe uma segurança hídrica em torno de 50 anos a 60 anos”, disse Ubirajara.

“Não só por conta disso, mas também no que diz respeito à liberação de recursos. Nós temos, desde 2013 a 2014, investimentos na parte de água e de esgotamento sanitário que totalizam cerca de R$ 800 milhões, dos quais, entre convênios e financiamentos com o aval do Ministério do Desenvolvimento Regional, já foram liberados cerca de R$ 514 milhões, faltando R$ 284 milhões. E, como o ministro garantiu, fará com que esses recursos cheguem ao Estado de Sergipe para que as obras sejam concretizadas”, disse Ubirajara Barreto. 

O ministro Rogério Marinho explicou que após concluído o Projeto Executivo, haverá a licitação e em janeiro do próximo ano os trabalhos estarão prontos para serem iniciados.

“Essa obra é a espinha dorsal do desenvolvimento do Estado de Sergipe, que só se dará em sua plenitude na hora em que as pessoas tiverem a segurança de que a água que é vida, que diminui a pressão no sistema de saúde, que diminui a mortalidade infantil, que propicia a instalação de indústrias que geram emprego e renda, que permite o comércio, que permite o tratamento do esgoto e da destinação adequada do resíduo sólido, possa ser fator de desenvolvimento humano, social e econômico que transcende governos, porque essa é uma ação do Estado brasileiro que tem de permanecer e continuar, independentemente do governante”, disse Marinho.

Toda essa fase, que compreende a captação no Reservatório de Paulo Afonso IV e extensão até o local do antigo Reservatório R-5, em Poço Redondo, permitirá usos múltiplos da água em cinco municípios sergipanos beneficiados e dois baianos. Canindé, Porto da Folha, Poço Redondo, Monte Alegre e Glória. Além de Paulo Afonso e Santa Brígida, na Bahia.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.

Guga Santos
Com todo respeito,JL, mas esse "Ufa" no título da matéria sobre o canal de xingó soa como se o governo Bolsonaro fosse o engavetador mor desse projeto. Quando nós sabemos que, desde os governos criminosos do PT ele amarelava em Brasília. Uma simples frase gera uma grande desinformação. Menos fígado, JL!