Aparte
IURD deve ter um novo candidato a deputado estadual

Bispo Claudio Botelho: uma simpatia pelo avesso

A Igreja Universal do Reino de Deus - IURD -, em sua base de Sergipe, deve apresentar um candidato novo para disputar o mandato de deputado estadual por este Estado em 2018.

Este nome pode vir a ser o do bispo Cláudio Botelho, um religioso que está em Sergipe possivelmente há quatro ou cinco meses. Aqui, ele traz a chancela - dita por terceiros da igreja - de coordenador político da IURD.

Cláudio Botelho possivelmente seja carioca e provavelmente tenha estado representando a IURD nos Estados Unidos. Nos bastidores da política de Sergipe, em princípio comentava-se que o pré-candidato da IURD em 2018 seria o Pastor Mardoqueu Bodano.

Paulistano da Vila Matilde, 67 anos vida, 33 de IURD e 26 de Sergipe, Mardoqueu tem régua e compasso na política local. Foi deputado estadual por dois mandatos - em 2006 e 2010. Tropeçou em 2014 e não se reelegeu.

Mardoqueu Bodano, que não se esconde da interlocução política com os meios de comunicação, sabe pouco do projeto de Cláudio Botelho. Acredita, apenas, que ele será o candidato escolhido pela IURD. E, obviamente, como bom fiel, respeita o espaço que o neófito bispo em Sergipe vai disputar. “Se tivermos dois candidatos, não se elege nenhum”, diz Mardoqueu, do alto da sua experiência.

Já Cláudio Botelho nada diz. Empostado, pouco palatável e nada fleumático, consegue no máximo revelar a idade: 54 anos. No mais, se reveste de uma inacessível armadura: dá lição a jornalista, diz que não fala por telefone, questiona mais do que responde, desanda a conversa e passa a impressão de ser pouco sociável. Pelo menos, foi assim nas conversas telefônicas mantidas como autor de Aparte, que naturalmente o respeita, embora torça para que ele seja menos invertebrado politicamente.