Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Valmir faz história em Itabaiana ao eleger Adailton Sousa contra agrupamentos de Luciano Bispo e Maria Mendonça
Compartilhar

Valmir de Francisquinho: depois dele, nada mais será como antes em Itabaiana

A cidade de Itabaiana está em festa e o grupo do prefeito Valmir dos Santos Costa, o Valmir de Francisquinho, PL, 51 anos, seguirá no comando da cidade pela terceira vez consecutiva

De há muito, a trajetória política de Valmir de Francisquinho tem sido marcada por grandes e convincentes vitórias.

De um líder estudantil no Colégio Estadual Murilo Braga nos anos 80 e marchante de porco na feira livre de Itabaiana, Valmir tem sido consagrado a cada eleição que passa como um das maiores representações políticos da história desse histórico município.

Vereador pela primeira vez em 1988 aos 18 anos, Valmir começou a sua carreira política com o incentivo do seu pai, Francisquinho dos Porcos, e do líder político Chico de Miguel, a quem manteve a sua fidelidade e de quem se recorda sempre com reverência e com respeitosa gratidão. “Aquele era um homem de verdade. Se dissesse que pau era pau, jamais seria pedra”, costuma dizer do velho Chico.

Em 1992, Valmir foi reeleito vereador como um dos mais bem votados da cidade. Em 1996 foi candidato a vice-prefeito de Carminha Mendonça - perderam - e em 2000 voltou ao mandato de vereador, de novo, como o mais bem votado da história do município.

Ali, Valmir obteve um recorde eleitoral que foi só batido por ele mesmo nas eleições de 2004 e de 2008, quando teve aproximadamente 5 mil votos, marca ainda não superada na cidade nos dias de hoje.

Nas eleições deste domingo, 15 de novembro, o mais bem votado vereador itabaianense - Breno de Vardo da Lotérica, PL, um seu aliado - obteve pouco mais de 3 mil votos – 3.223 , apesar do aumento do eleitorado.

Em 2012, com a liderança política de Luciano Bispo em ascensão nas duas últimas décadas, Valmir decidiu se candidatar a prefeito de Itabaiana, buscando o apoio do agrupamento do qual fazia parte, o dos Teles de Mendonça.

Sendo um nome de consenso e atendendo ao clamor das ruas, Valmir venceu a sua primeira eleição para prefeito com 27.435 votos, contra 23.758 do até então imbatível em pleno mandato Luciano Bispo, tendo de frente exatos 3.677 votos.

Depois de uma gestão saneadora e marcante, em 2016 Valmir consagrou a sua liderança quando se reelegeu com 35.559 votos contra 18.461 de Roberto Bispo, irmão de Luciano Bispo, que neste pleito já era presidente da Assembleia Legislativa.

Em 2018, Valmir decidiu colocar o filho Talysson de Valmir como candidato a deputado estadual, e o menino sagrou-se o mais bem votado no município e no Estado inteiro.

Adailton Sousa: nome dado a um projeto robusto que consolidou a maior liderança política de Itabaiana

Para as eleições de prefeito agora de 2020, Valmir apostou, em nome do grupo, no seu então secretário de Administração, Adailton Sousa, PL, - um amigo de confiança e de reciprocidades.

No outro lado, Luciano Bispo decidiu reinventar o seu agrupamento, convidando o empresário Edson Passos para ser o ser seu candidato.

A disputa também contou, pela primeira vez desde o ano de 2004, com mais de duas candidaturas, tendo também colocado os seus nomes à disposição a atual vice-prefeita Carminha Mendonça, PP, o advogado Olivier Chagas, PT, e o empresário Bráulio de Zé de Lourenço, PMN, todos angariando um desastre eleitoral. 

De homem simples e de vida pacata, Adailton Sousa, com o apoio de Valmir, tornou-se na noite deste domingo, 15, o prefeito eleito de Itabaiana, com fabulosos 28.853 votos – ou 53,22% dos válidos -, contra 21.246 do seu principal adversário, o Edson.

Amigo leal de Valmir, Adailton foi o nome dado a um projeto robusto que consolidou a maior liderança política de Itabaiana nos últimos tempos, deixando para trás Luciano Bispo e indelicadamente convertendo a pó a família Teles de Mendonça,  mais especificamente a deputada estadual Maria Mendonça, PSDB, que viu a irmã Carminha Mendonça, PP, pulverizada e dissolvida em míseros 2.969 votos – ou 5,48% dos válidos.

A performance desse tal Valmir dos Santos Costa, ou Valmir de Francisquinho, nas últimas quatro eleições de Itabaiana - as três sucessões municipais e a eleição do filho a deputado estadual – seguramente traz um recado lúcido e direto de que algo mudou profundamente no jeito de se fazer política, de ganhar eleições, de administrar a coisa pública e de decidir futuro itabaianense.

Como está bem cravada numa letra de uma das canções do grande mineiro Milton Nascimento, ali, já há algum tempo, está claro que “nada será antes”. Mesmo que alguns não queiram ver e nem admitir, como bem demonstram as perseguições de que tem sido vítima e alvo abusivamente esse Valmir em questão.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.