Aparte
“Para ser generoso, dou nota 0,5 ao prefeito de Lagarto”

Fábio Reis: Lagarto merecia um prefeito mais ativo, mais decisivo, mais atencioso

O duro professor doador desta nota aí é o deputado federal Fábio Reis, PMDB. O aluno, é o prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro, PSC, a quem cabe administrar a segunda maior população sergipana – 104.099 - genuinamente do interior, tirando Nossa Senhora do Socorro.

O prefeito de Lagarto é uma tragédia. É como se eu fosse deputado e prefeito ao mesmo tempo, porque até para se trocar uma lâmpada na cidade me procuram como deputado. Até parece que o prefeito sou eu”, diz Fábio.

É aí que a coluna Aparte pergunta a Fábio: quanto, de zero a 10, daria de nota à gestão de Valmir Monteiro? “Até agora, dou zero. Não vale nem um”, respondeu Fábio, na lata. A coluna ponderou se ele não estava sendo muito duro. “Rapaz, para ser generoso, dou nota 0,5 ao prefeito de Lagarto. Mais, ele não merece”, completou.

“Valmir está cansando politicamente. Temos um prefeito totalmente inoperante. Aliás, toda a vida ele foi inoperante. Ele é muito vaidoso. Centralizador. É muito bruto. Pergunte aos amigos dele. O histórico dele está aí. Ele mesmo mostra o perfil em diversas entrevistas quando se sente aperreado”, revela Fábio.

Para o tema não ficar apenas no blablablá político, Fábio diz que o mandato dele já destinou mais de R$ 50 milhões para obras em Lagarto, com cerca de “70% na conta da Prefeitura para diversas realizações, mas o prefeito nada faz”.

“Veja o grau de compromisso de Valmir: desde o dia 29 de dezembro de 2016 nós, eu e o governador Jackson Barreto, entregamos o novo Mercado Municipal de Lagarto e até hoje se encontra fechado. É moderno, com as câmeras frigoríficas mais modernos do país, mas o prefeito irresponsável o mantém inoperante. As condições em que se encontra a feira de Lagarto hoje é uma vergonha. Eu não tenho um pingo de dúvida de que uma cidade do porte de Lagarto merecia um prefeito mais ativo, mais decisivo e mais atencioso”, diz Fábio.