Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Belivaldo Chagas e Edvaldo Nogueira farão sala republicana para Bolsonaro na visita a Sergipe
Compartilhar

Jair Bolsonaro e o deputado Laércio Oliveira: uma visita demarcadora para Sergipe

Belivaldo Chagas e Edvaldo Nogueira farão sala republicana para Bolsonaro na visita a Sergipe 
O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, PSD, e o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, PDT, assumem posturas republicanas e de estadistas diante da vista do presidente da República, Jair Bolsonaro, sem partido, ao Estado de Sergipe na manhã da próxima segunda-feira, dia 17.

Ou seja, os dois, Belivaldo e Edvaldo, farão sala sem restrição à figura do presidente. Estarão, ambos coladinhos, nos palanques oficiais a que estiver presente Jair Bolsonaro. E não haveria de ser diferente - Edvaldo, num sentido figurado, porque nem poderá mais, a partir deste sábado, 15, participar de qualquer evento de inauguração, posto ser pré-candidato oficial à reeleição. Mas defende o respeito institucional.

Portanto, Belivaldo e Edvaldo pensam, em conjunto e harmonicamente, que está sendo recebido em Sergipe um presidente da República e não um candidato à Presidência da República em campanha. No que também estão rajados de razão.

Quem faz ou lê política sabe que Belivaldo, Edvaldo e Bolsonaro são politicamente água e óleo. Não se misturam nem que a vaca tussa. Mas só politicamente, porque administrativamente os três têm reponsabilidades com suas funções de comandar uma nação, um estado e uma prefeitura de capital.

E o presidente Jair Bolsonaro vem a Sergipe por um uma circunstância muito nobre e de extrema significação para Sergipe, para o Nordeste e para o Brasil: dar por inauguradas as operações da Usina Termelétrica Porto de Sergipe I, empreendimento da Centrais Elétricas de Sergipe S. A. – Celse. Num momento desse, os chiliques de ordem político e partidário não devem e nem deveriam mesmo ter acolhida. 

A Usina Termelétrica Porto de Sergipe I, como o I sinaliza, é apenas o início de um projeto que vai se desdobrar em outros e colocar Sergipe no centro da produção de energia para o Nordeste inteiro e de onde todos apostam que possa nascer uma nova realidade industrial alvissareira para o Estado. Serão R$ 6 bilhões de investimento, e alguns observadores econômicos comparam a chegada da Celse com a da Petrobras nos anos 1960, que dividiu em um antes e um depois o tempo socioeconômico de Sergipe.

“Acompanharei toda a agenda do presidente no Estado, farei um discurso na Celse em tom de agradecimento e de exaltação do momento que Sergipe vive, na expectativa de se tornar a nova estrela do gás no Brasil. Mostraremos que esta é a grande perspectiva de Sergipe avançar no desenvolvimento econômico via gás”, diz o governador Belivaldo,     que inclusive já foi confirmado pela agenda presidencial.

O prefeito Edvaldo Nogueira sempre ressalta que todas as tratativas no campo da visita presidencial devem ser respeitosas e inclusivas. Para ele, em momentos assim ele e Bolsonaro estão num mesmo campo. Mas Edvaldo terá um compromisso em São Paulo nesta segunda, 17, e nem vai estar presente a Sergipe. Mesmo assim, ele faz uma brincadeira em tom sério: “Se o presidente quisesse assinar um cheque de R$ 1 bilhão para investimentos nas necessidade de Aracaju eu acolheria no maior gosto”.

Jair Bolsonaro deve chegar a Aracaju por volta das 9h da manhã. De helicóptero, ele fará um sobrevoo de visualização da fábrica da Fafen e está previsto para as 10h30 dar por inaugurada a Usina Termoelétrica Porto de Sergipe I, que fica na Rodovia Cesar Franco, SE-100, s/n, no município da Barra dos Coqueiros – SE, vizinho da capital. 

Ali, depois do evento Bolsonaro dará uma coletiva de imprensa – aliás, o credenciamento para os profissionais que realizam a cobertura esporádicas em eventos e viagens da Presidência da República poderá ser feito até às 17h do domingo 16 de agosto de 2020.

Da comitiva presidencial fará parte o deputado federal Laércio Oliveira, que em Sergipe preside a Fecomércio e tem atuado junto ao Governo do Estado para tornar a questão do gás uma realidade. Laércio operou e ajudou a tornar possível a visita de Jair Bolsonaro a Sergipe - daí porque tenha lugar reservado na comitiva oficial da Presidência da República. “Eu considero esta visita do presidente Jair Bolsonaro um marco importante para os interesses futuros der Sergipe”, disse o deputado à Coluna Aparte.