Aparte
Opinião - Nossa Senhora do Socorro precisa voltar a ter voz na Alese

[*] Bruno Henrique Santana Rezende

Como a segunda maior cidade do Estado de Sergipe, Nossa Senhora do Socorro carece de um representante específico na Assembleia Legislativa. Desde 2017 que o município não tem essa voz própria, que fale dos seus anseios e das suas virtudes ali naquele espaço.

Nossa última voz na Alese foi a do então deputado estadual Padre Inaldo, hoje prefeito da cidade, que teve uma atuação forte na defesa do povo socorrense. Faz enorme falta aquele seu gabinete sempre aberto ao povo de Sergipe, mas sobretudo ao de Socorro.

Faz falta, porque ter um deputado estadual não é apenas uma questão de status de uma cidade ou de uma região. Eu diria que é  uma necessidade urgente.

Um deputado estadual é fundamental para garantir mais recursos e obras a um município ou a uma região. Só para lembrar um fato novo e importante, o Instituto de Identificação de Sergipe veio para Socorro exatamente através de uma intervenção do deputado estadual Padre Inaldo.

Cidades menores têm o orgulho de eleger, eleição após eleição, representantes seus para a Assembleia. Sim, e por que Socorro também não pode agir assim? Pode e deve.

Arrisco a dizer aqui que, dos 24 deputados estaduais eleitos de Sergipe em 2018 todos tiveram ao menos um voto nesta cidade grande e generosa que é Socorro.

Esse é o reflexo de um município com raízes culturais diversas, com pessoas de origem em todo o Estado e que, pela proximidade com a capital, acaba recebendo ainda mais um choque cultural e de identidade com interferências infinitas.

As eleições do próximo ano serão importantíssimas para o povo brasileiro e, sem dúvida, para os sergipanos - e, óbvio, para os socorrenses. Será um momento decisivo para definição de futuro das nossas vidas.

Obviamente, Nossa Senhora do Socorro não pode ficar de fora disso. Precisamos ocupar uma cadeira específica na Assembleia Legislativa e ter participação efetiva nos rumos do nosso Estado.

Para isso, é fundamental que saibamos escolher alguém com perfil e identidade de nosso povo, e que viva a cidade e conheça cada aflição e sonho dos socorrenses.

Nesse aspecto, hoje não tenho dúvidas de que esse nome é o de Carminha Paiva, atual secretária Municipal de Assistência Social de Socorro, moradora do Conjunto João Alves e uma socorrense de corpo, alma e vivências.

Carminha conhece cada canto dessa cidade e a sua gente, a quem tanto se dedica. Comprometida, Carminha tem propriedade para tratar de qualquer assunto relacionado ao município e, por viver aqui diariamente, entende quais são os desafios postos. Mais do que entender, é preparada para apontar saídas. 

Desde os mais envolvidos com a política aos menos chegados a essa essencial atividade, todos reconhecemos o belíssimo trabalho feito por Carminha na cidade.

Reconhecem e se identificam com ela pela simplicidade e pelo jeito fraterno de ser, tratando todos com igualdade e respeito. Respeito e, o melhor, resolutividade.

Carminha é, portanto, uma pessoa do coração enorme que não mede esforços para minimizar o sofrimento do povo mais necessitado e levar amor e compaixão a quem precisa.

Ademais, ela é um nome de consenso no grupo político do qual faz parte. Respeitada pelos adversários e admirada pela população, Carminha será, sem dúvida, a voz que Nossa Senhora do Socorro tanto precisa na Assembleia Legislativa de Sergipe.

[*] É bacharel em Administração de Empresas, pós-graduado em Gestão Pública, graduando em Direito e atual superintendente da SMTT de Nossa Senhora do Socorro.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.