Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Edvaldo Nogueira vencerá a eleição de Aracaju no primeiro turno
Compartilhar

Edvaldo Nogueira: obra portentosa, melhor marketing político e a melhor propaganda eleitoral

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, PDT, está a um passo - mais precisamente a 30 dias - de se reeleger no primeiro turno para mais quatro anos de chefia do Executivo Municipal da capital de Sergipe.

Edvaldo Nogueira está a um passo de repetir, nestas duas décadas do novo milênio, algo já materializado por Marcelo Déda duas vezes - em 2000 e 2004 -, por ele próprio - em 2008 - e por João Alves Filho - em 2012.

Sim, todos eles são marcados pelo signo das vitórias em primeiro turno nos embates pelo poder de Aracaju, a vitrine política, eleitoral e administrativa deste pequeno gigantinho chamado Sergipe. Isso corresponde a 16 anos de mandatos exercidos por esses três entes políticos.

Mas, quer refrescar a memória com os índices das vitórias de cada um deles, leitor? É bom - então tome aí: Déda começou esse círculo vitorioso com 58,80% dos votos válidos lá em 2000 e o repetiu melhormente em 2004, com 71,38%.

Um parêntesis: estava aqui nestes 71,38% de Aracaju de 2004 a semente fecundada da primeira eleição de Déda dois anos depois ao Governo de Sergipe - ele ganha em primeiro turno de um João Alves no posto de governador do Estado em 2006. Foi um 52,46% contra um 45,02% do Negão, e se reelege em 2010. De novo contra João.

Mas volte-se ao Governo de Aracaju. Déda ao deixar em 2006 a Prefeitura com Edvaldo Nogueira para disputar o Governo do Estado, este se reelege prefeito em 2008 com 51,72%. Em 2012, João Alves se elege prefeito de Aracaju de primeira, com 52,72%.     

Só o próprio Edvaldo não conseguiu a proeza de um primeiro turno em 2016 - 37,76% a 38,09% -, indo então pelo PC do B à segunda rodada com Valadares Filho, PSB, quando se elege com 52,11% dos votos válidos contra 47,89%.

Mas de onde se conclui, agora, que Edvaldo Nogueira está a 30 dias - a eleição é de hoje a um mês - de se reeleger no primeiro turno? Simples: dos números reais e concretos da primeira pesquisa do Ibope - se eles não falharem - realizada pela TV Sergipe na sexta-feira da semana passada, dia 9.

O resultado daquela pesquisa - divulgado pela TV Sergipe e replicado por diversos meios de mídia, incluindo este Portal JLPolítica -, foi este: Edvaldo, PDT, 32%; Delegada Danielle, Cidadania, 21%; Rodrigo Valadares, PTB, 6%, Márcio Macêdo, PT, 5%, Almeida Lima, PRTB, 3%, Georlize, DEM, 3%, Lúcio Flávio, Avante, 3%, Alexis Pedrão, PSOL, 2% e Delegado Paulo Márcio, DC, 1%. Branco/ Nulo, 18% e não sabe/não respondeu, 6%, Gilvani Santos, PSTU, e Juraci Nunes, PMB, não foram citados pelos entrevistados.

Mas um dado constante da pesquisa do Ibope e não divulgado respalda o que esta coluna prediz no título “Edvaldo Nogueira vencerá a eleição de Aracaju no primeiro turno”. Ele está assentado na questão “Independente da sua intenção de voto, na sua opinião, quem será o próximo prefeito de Aracaju?”, aplicada pelo Ibope.

A essa questão, 56% dos entrevistados responderam que será Edvaldo Nogueira o prefeito e Danielle Garcia cairia para 15%. Nesse caso, as intenções de voto para Edvaldo, convertidas aos válidos, pulariam para 61,6% - e, como se sabe, bastariam 50% dos votos mais um para que a eleição fosse decidida num primeiro turno.

Os demais 10 candidatos na corrida sucessória de Aracaju teriam, em votos válidos, 38,4% juntos. Nogueira estaria 11,6% acima do bloco inteira. Não custa lembrar que a margem de erro da pesquisa Ibope foi de quatro pontos percentuais.

Isso são dados dos dias 7, 8 e 9 de outubro, quando a propaganda eleitoral oficial sequer tinha começado. Uma vez iniciada, Edvaldo Nogueira tende a crescer, e por razões óbvias. Daí a dificuldade de que esse quadro mude em desfavor dele.

Primeiro, Edvaldo Nogueira tem uma obra portentosa a mostrar aos aracajuanos em nome de Aracaju. Segundo, ele tem o melhor marketing político e a melhor propaganda eleitoral – ambos consequência da obra portentosa -, tem o maior tempo de mídia entre as demais 10 outras candidaturas e tem naquela que seria a sua maior concorrente, Danielle Garcia, Cidadania, uma pira de fel, sem rumo nem horizonte, que possivelmente ficará atrás dos 16,6% dos votos válidos com os quais a pesquisa do Ibope lhe aponta. Portanto, ...

(Na pesquisa do Ibope foram ouvidos 504 eleitores da cidade de Aracaju e ela tem identificação na Justiça Eleitoral de número SE‐02812/2020).

Foto: Marcos Correa

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.