Aparte
Opinião - Simples assim: a política é o melhor meio de transformação da sociedade

[*] Gilza Góes

Sou aracajuana, mãe de três filhos e avó de cinco netos. De família humilde e trabalhadora, nascida e criada no Bairro Industrial de Aracaju. Meu saudoso pai, Gerson dos Santos, foi garçom e servidor municipal. Minha saudosa mãe, Zulmira Araújo, foi servidora municipal e irmã do também saudoso seu Araújo, o da Sorveteria Cinelândia.

A Sorveteria Cinelândia foi um espaço que marcou época e geração como ponto de encontro de políticos, artistas, intelectuais e da sociedade sergipana. Eu vivi essa atmosfera, e acho que foi ali que despertei para a política. Aracaju tem uma história linda e sou apaixonada pelo povo da minha cidade.

Tenho cinco irmãos, que muito amo, e sou a única mulher. E entre eles, um craque do futebol sergipano que marcou uma geração, o Nininho, ídolo do Sergipe e do Confiança. Aliás, o esporte faz parte da minha vida: eu também já fui jogadora de futebol da Associação Desportiva Confiança.

Sei a diferença que o esporte faz pra juventude e, hoje, vejo com tristeza a falta de eventos esportivos que num passado nem tão distante assim enchiam as ruas de jovens esbanjando saúde e alegria. Os gestores públicos têm a obrigação de criar oportunidades para que os jovens desenvolvam suas habilidades e potencialidades. Como candidata a vereadora de Aracaju, tenho projetos para reviver esses bons momentos.

A política despertou em mim ainda jovem, na adolescência, quando participei do Diretório Estudantil do antigo Colégio Estadual Presidente Castelo Branco e trabalhava ajudando meu tio na Sorveteria Cinelândia. Concluí o segundo grau no Atheneu Sergipense numa época em que ele era referência na qualidade de ensino em todo o Estado.

Conclui os estudos na Escola Técnica Federal de Sergipe, me formando no curso de Telecomunicações. Não atuei diretamente como técnica, mas esta formação aprimorou minhas habilidades de lidar com as pessoas. Nos últimos 30 anos atuei como liderança comunitária nos bairros onde morei - o Industrial e atualmente a Coroa do Meio.

Fui vice-presidente da Associação dos Vendedores Ambulantes de Sergipe na gestão de Paulo Preto. Trabalhamos na defesa dos direitos e por respeito e mais dignidade a esta categoria batalhadora, que são os ambulantes. Sei dessa luta diária, porque também fui ambulante. 

Apoio e tenho o apoio dos profissionais de beleza de Aracaju. Trabalho nesta área há mais de 25 anos e este ano foi, sem dúvida, o de maior desafio para a classe, em virtude da pandemia do coronavírus. Arregacei as mangas e fui pra linha de frente juntamente com Gildeni, presidente da Associação, e Rosileide, do Sindicato dos Cabelereiros.

Lutamos para sensibilizar os gestores públicos para flexibilizar o calendário de retomada das atividades da nossa categoria, pois a nossa classe já estava há mais quatro meses sem atividade e era uma das mais prejudicadas com a paralisação. Conseguimos sensibilizar as autoridades e o calendário foi flexibilizado para os cabeleireiros.

Tenho a vocação natural de ajudar as pessoas a resolver os mais diversos problemas. Resolver problemas é o que me realiza. Amigos próximos dizem que sempre fui uma vereadora, só que nunca tive mandato - e é que busco agora.

Sempre fui determinada e perfeccionista. Vejo no dia a dia problemas que poderiam ser resolvidos apenas com boas ideias e vontade política.

Por exemplo: é inadmissível que uma capital como Aracaju não resolva esse problema de falta de vagas em creches públicas. É um problema crônico que se arrasta há anos sem solução. Tenho uma proposta que não acarretará custos aos cofres públicos e que o resolveria definitivamente.

Nessa minha missão de 2020, tenho um grupo de apoiadores muito ativos nas redes sociais, dando sugestões diariamente e produzindo conteúdo pra nossa campanha. É impressionante como as pessoas têm ideias boas e criativas para resolver os problemas de seus bairros. 

E é impressionante também como a maioria dos eleitos deixa de ouvir esse povo e suas sugestões – ou quando ouve não as executa. Eu sou uma pessoa simples, de luta diária para sobreviver. De contato diário com o povo. Ouço e assimilo tudo que as pessoas me dizem.

Tenha certeza, caro leitor, de que para cada problema nós temos uma sugestão para solucionar. Nunca fiquei em cima do muro com ninguém. Porque pra mim só tem um jeito: ou derruba ou aumenta o muro.

Decidi me candidatar a uma vaga na Câmara de Vereadores porque continuo acreditando que a política é o melhor meio de transformação da sociedade. E como mulher conservadora, vou lutar pelos direitos, segurança e bem estar social das famílias. Os problemas de cada bairro eu conheço muito bem. Nossos projetos são inspirados nas ideias e sugestões do próprio povo.

Tenho enxergado o futuro há muito tempo e vejo nele uma Aracaju muito melhor do que a que temos hoje. Só falta mais vontade política dos nossos gestores. E sinto no coração que o aracajuano quer uma renovação radical - quer novos nomes, quer conservadores, que tenham Deus no coração e respeitem a família. Porque de políticos corruptos, irresponsáveis e ateus, ninguém aguenta mais.

Sou pré-candidata pelo Democratas pela afinidade com os valores conservadores, as ideias e os projetos defendidos e por ser um partido que sempre esteve ao lado do povo sergipano. O legado do ex-governador João Alves e dona Maria são a melhor prova disso. E o povo reconhece quem trabalha. Minha prefeita é Georlize Teles, outra mulher guerreira de origem humilde e simples assim.

[*] É representante comercial da área de produtos estéticos e pré-candidata a vereadora de Aracaju pelo DEM.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.