Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

Fábio Reis lidera duas últimas pesquisas de Lagarto e deixa Hilda Ribeiro em segundo
Compartilhar

Fábio Reis: numa média 14 pontos percentuais acima de Hilda

As duas últimas pesquisas divulgadas em Lagarto apontam crescimento da candidatura a prefeito de Fábio Reis, MDB. Duas delas foram realizadas pelo Instituto de Pesquisas do Nordeste - INOR -, aferindo uma preferência dos cidadãos lagartenses pelo candidato dos Reis, deixando a candidata Hilda Ribeiro, Solidariedade, em segundo lugar, com médias acima de 12 pontos percentuais de vantagem em favor de Fábio.

Na primeira pesquisa, divulgada em 8 de outubro, Fábio Reis figurou com 35,35% das intenções de votos e Hilda com 21,64% - ou exatos 13,71 pontos à frente da candidata do Solidariedade. Ele é deputado federal e ela, prefeita da cidade.

Aqui, o candidato Ibrain Monteiro, PSC, Ibrain de Valmir, tem 12,50% das intenções de votos, e Genildo Souza Cruz, o Nininho da Bolo Bom, Cidadania, 3,82%, e Jorge Prata, Pode, 0,47%.

Nesta pesquisa, que tem registro de número 09023/2020 TSE, foram ouvidas 1.052 entrevistados no município de Lagarto entre 29 e 30 de setembro de 2020. A margem de erro dela é de 3% e o intervalo de confiança, de 95%.

Hilda Ribeiro: rivalizando em segundo lugar com Fábio Reis

Numa segunda e mais recente pesquisa, o candidato dos Reis cresceu um pouco mais e chegou a 37,88% das intenções de votos, com Hilda Ribeiro evoluindo-se e ficando com 23,80%. A margem de vantagem dele sobre ela é de 14,50%.

Nesta segunda pesquisa, Ibrain de Valmir teve 12,38% das intenções de votos, Nininho da Bolo Bom, 2,38% e Jorge Prata, 0,25% - nas duas, Jorge se passa como uma espécie de café-com-leite.

Essa pesquisa ouviu 800 entrevistados entre 12 e 15 de outubro. A margem de erro é de 3,45% e o intervalo de confiança é de 95%. Ela está registrada no TSE com o número SE-04601/2020.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.