Aparte
Cristiano Viana: “Simão Dias viverá uma nova era. É a hora de cuidar das pessoas”

Cristiano Viana: “Renaldo Prata, terá papel essencial nas políticas públicas que construiremos”

Confiante em dias melhores para Simão Dias e seguro de que vai buscar relação institucional com o governador do Estado, Belivaldo Chagas, PSD, um filho e morador do lugar, contra quem se debateu nas eleições municipais deste ano.

É assim que se sente o prefeito eleito da politicamente histórica Simão Dias, Cristiano Viana, PSB, 44 anos. Com 514 votos de diferença, Cristiano venceu o tio em primeiro grau Aloizio Viana, PSC, 56 anos, que é o atual vice-prefeito da cidade, sentou praça na Câmara Municipal por cinco mandatos de vereador e foi o candidato de Belivaldo e do prefeito Marival Santana, PSC.

Mas Cristiano Viana não faz pieguismo disso. “Estávamos em uma disputa onde apenas um sairia vitorioso. Ele compreende e eu compreendo. Somos adultos e responsáveis”, diz.

Da busca institucional - de prefeito a governador - a Belivaldo Chagas, Cristiano está convencido de que vai dar tudo certo, apesar dos lados opostos a que pertencem ambos.

“Acredito que os homens públicos estão preparados para a derrota e a vitória no campo político. Mas também devem estar preparados para realizar as grandes mudanças que a sociedade precisa”, diz ele.

Veja a breve entrevista que Cristiano Viana concedeu à Coluna Aparte sobre eleição e o futuro.



Aparte - Em algum momento o senhor pensou que faltasse força ao seu grupo para vencer a união de dois Governos - o do Estado e o do município?

Cristiano Viana - Compreendíamos todas as dificuldades, mas em cada canto da cidade de Simão Dias, no aperto de mão e no abraço do povo, era possível sentir que a vitória era uma questão de tempo. Eles - o governador e o prefeito - queriam nomear um novo prefeito. Contudo, o povo me elegeu.

Aparte - O senhor acha que esta campanha foi mais apimentada do que outras do passado?

Cristiano Viana - Enfrentar as máquinas do Estado e da Prefeitura da cidade não é uma tarefa fácil. É cruel uma eleição desse modo, mas a sociedade compreendeu nossa história. Com isso, a minha responsabilidade só aumentou,

Aparte - O que o senhor espera institucionalmente do governador Belivaldo Chagas na relação com o futuro gestor de Simão Dias?

Cristiano Viana - Espero que as obras continuem e as verdadeiras políticas públicas sejam construídas para beneficiar a coletividade. Nosso dever é amenizar os problemas, e para isso temos que nos unir em prol do povo.

Aparte - E acha que ele descerá do palanque e tratará os pleitos da terra dele sem segregação ao prefeito opositor?

Cristiano Viana - Acredito que os homens públicos estão preparados para a derrota e a vitória no campo político. Mas também devem estar preparados para realizar as grandes mudanças que a sociedade precisa. Precisamos atender e cuidar das pessoas. Esse é meu propósito.

Aparte - O senhor vai procurá-lo quando e com que discurso?

Cristiano Viana - Assim que eu assumir, pedirei uma audiência e apenas informarei que estou à disposição para discutir os problemas de Simão Dias. Serei bem-atendido - espero isso fielmente.

Aparte - Já foi pedir a bênção ao tio Aloizio Viana derrotado?

Cristiano Viana - Não guardo raiva e nem rancor. Família deve ser preservada. A vida continua e espero que meu tio continue tendo sucesso em sua vida.

Aparte - Não lhe incomoda tê-lo derrotado?

Cristiano Viana - Estávamos em uma disputa onde apenas um sairia vitorioso. Ele compreende e eu compreendo. Somos adultos e responsáveis.

Aparte - Qual será o papel do seu vice-prefeito? Ele vai ter gabinete de despacho ou o senhor vai “despachá-lo” desse ritual?

Cristiano Viana - O vice-prefeito eleito, Renaldo Prata, terá papel essencial nas políticas públicas que construiremos. Quero ele ao meu lado nas discussões e ações. Simão Dias viverá uma nova era. É hora de cuidar das pessoas. Escrevam!

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.