Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 38 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração Tanuza Oliveira.

Governo de Poço Verde adota uma série de medidas restritivas para conter a Covid-19
Compartilhar

Iggor Oliveira: “Medidas podem ser desconfortáveis, mas necessárias e imprescindíveis”

O Governo Municipal de Poço Verde divulgou na quinta-feira da semana passada, dia 27, um novo decreto que trata do fechamento temporário de estabelecimentos comerciais, da antecipação da feira livre da cidade e da adoção de uma série de medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19.

De acordo com o decreto, ocorrerá a antecipação do dia 5 para o dia 4 de junho da feira livre de comercialização de gêneros alimentícios do município. Cabe ressaltar que, em medidas já aplicadas, a feira do sábado, dia 29 de maio, foi suspensa no município. 

Ainda segundo o novo decreto, ficaram proibidas, a partir da sexta-feira, dia 28, até as 5h dessa segunda-feira, 31 de maio, a comercialização, entrega e distribuição de bebidas alcoólicas, como também a abertura dos demais estabelecimentos comerciais.

As medidas restritivas estendem-se sobre os dias 2 a 7 junho. Durante este período, a circulação de pessoas, exceto quando comprovada a necessidade ou urgência, também é terminantemente proibida. 
Já as farmácias, consultórios odontológicos, padarias, serviços de distribuição de água mineral, de gás de cozinha e de distribuição exclusiva de gêneros alimentícios deverão seguir as seguintes exigências: 

As farmácias funcionarão apenas na modalidade de delivery e passe e pegue. Os clientes não poderão ter acesso às dependências desses estabelecimentos.

Os consultórios odontológicos atenderão apenas em casos de urgência e emergência, com limitação de uma pessoa por vez. 

Os serviços de distribuição de água mineral, de gás de cozinha e de destruição exclusiva de gêneros alimentícios funcionarão apenas em modalidade delivery.

As padarias funcionarão também apenas em modalidade de passe e pegue. Os clientes não poderão ter acesso às dependências comerciais.

De acordo com o prefeito Iggor Oliveira, essas decisões foram tomada para tentar frear o crescimento do número de casos de Covid-19 no município, reduzir o aumento drástico do uso de insumos hospitalares e conter o risco de desabastecimento, bem como regular a indisponibilidade de leitos de UTI e de vagas para a regularização de pacientes graves em todo o Estado. 

Também foram consideradas as restrições pelo Estado da Bahia e de seus municípios que fazem divisa com Poço Verde, que potencializam o aumento do fluxo de pessoas vindas da divisa, expondo a população do município a um maior risco de contágio. 

Durante o período de vigor das medidas restritivas, os serviços de distribuição de combustíveis, borracharias, serviços de manutenção e assistência automotiva atenderão com prioridade às demandas da Saúde e Segurança Pública. 

Em caso de descumprimento dessas medidas, será aplicada multa pela Vigilância Sanitária, interdição dos estabelecimentos e cassação do alvará de funcionamento. Para a constatação da violação desse ato, os agentes públicos poderão utilizar gravações ambientais de sons e imagens, ainda que sem a autorização dos participantes. 

O prefeito Iggor Oliveira, PSD, identifica todas essas ações como “extremamente necessárias”. “Pelo que se vê em Sergipe e no Brasil, a pandemia da Covid-19 é algo muito sério e ameaçador, e não deu sinais de arrefecimentos”, diz ele.

“Portanto, é necessário que cada cidadão em particular e cada gestor público façam a sua parte para que não agravemos mais e mais a situação. E é exatamente isso o que essas medidas de Poço Verde querem fazer. Podem até ser desconfortáveis, mas necessárias e imprescindíveis”, reforça Iggor Oliveira, prefeito em segundo mandato.

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.