Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 37 anos, tem formação pela Unit e é fundador do Portal JLPolítica. É poeta.

João Daniel vê vitória de Baleia Rossi pela Presidência da Câmara. Mas só com dois votos de Sergipe
Compartilhar

João Daniel: cantando a pedra em favor de Baleia Rossi

O deputado federal João Daniel, PT, previu nesta segunda-feira, 11, que seu colega Baleia Rossi, do MDB de São Paulo, tem chances reais de se eleger presidente da Câmara, em sucessão ao deputado Rodrigo Maia, do DEM do Rio de Janeiro, que foi interditado de concorrer a mais um mandato.

A disputa está muito polarizada com a candidatura do deputado Arthur Lira, do Progressista de Alagoas, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, sem partido. “Na minha visão, o Baleia Rossi tem chances de levar a Presidência da Câmara Federal, e logo no primeiro turno”, diz o parlamentar de Sergipe.

“Pelos cálculos feitos em nível nacional pelos partidos, os votos para Baleia Rossi chegariam hoje entre 276 e 280, e levemos em conta que o quórum necessário para ele se fazer presidente é de apenas 257”, afirma João Daniel. Onze partidos fecharam com Rossi - PT, DEM, PDT, PSB, MDB, Cidadania, Rede, PV, PCdoB, PSDB e PSL.

Pelos cálculos do petista sergipano, a bancada de Sergipe vai ser escassa e somítica na colaboração da vitória do paulista Baleia Rossi. “Pelo que tenho ouvido dos colegas, de Sergipe aqui só tem votando no Baleia Rossi eu e o Fábio Reis, do partido dele”, diz João Daniel. “De modo que eu acho que na bancada de Sergipe vai dar de seis a dois”, completa.

“O Fábio Henrique ficou de ver e discutir, mas acho que ele pode ir com André Figueiredo - que apoia Lira e está na coordenação dele. Valdevan Noventa vai de Artur Lira, assim como Laércio Oliveira, até por ser Progressista, vai com o Lira também. O Fábio Mitidieri já deu declaração de voto em favor de Lira”, diz. Gustinho Ribeiro é da coordenação da campanha de Lira.

O deputado João Daniel vê com muita relevância “a necessidade” de Baleia Rossi levar a Presidência da Câmara Federal em derrota ao Governo Federal. “A importância de Jair Bolsonaro não fazer o presidente é a de nós termos uma Câmara Federal independente, que tenha uma pauta de interesses do povo brasileiro”, diz ele.

“É a importância de uma Câmara que possa pautar com seriedade a questão da vacina contra a Covid-19, outros temas da saúde pública e também pautas e de outros programas e projetos que hoje estão paralisados, em especial esta questão das estatais brasileiras e dos serviços públicos”, completa.

Para João Daniel, não há risco de o seu partido negar fogo nesta disputa. “O PT vota com Rossi. Fizemos uma reunião da bancada e 24 de nós votaram para se ter uma candidatura da oposição num primeiro turno e no segundo irmos todos nós com o Baleia Rossi. Como essa tese perdeu, acho que a integralidade dos 54 petistas vai votar toda com Baleia Rossi e não creio que haja uma dissidência. Agora surgiu até uma nova candidatura aí, por dentro da Câmara, que eu acho que tira mais voto do Artur Lira - que é a de Fábio Ramalho, um deputado pelo Estado de Minas e também do MDB”, diz João Daniel. Tem ainda as candidaturas dos deputados André Janones, do Avente de Minas Gerais, e do Capitão Augusto, do PL de São Paulo.

 

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.