Aparte
Jozailto Lima

É jornalista há 39 anos, poeta e fundador do Portal JLPolítica. Colaboração / Tanuza Oliveira.

João Marcelo: “Estou seguro de que, juridicamente, não vou ter maiores problemas para me recandidatar”
Compartilhar

João Marcelo: confiante na justiça e no espaço político que gerou

Esta afirmação é do deputado estadual João Marcelo, PT, que está com uma pré-candidatura à reeleição posta e em andamento pelo Estado afora. Recentemente, no entanto, o nome dele ganhou as mídias sociais tido como interditado judicialmente pela Justiça Eleitoral de Sergipe em sua pretensão de se candidatar à reeleição.

João Marcelo, no entanto, diz que há muita desinformação nisso. E reforça: “O meu planejamento é o de ganhar a eleição. Não tem outro. Eu poderei ser candidato”, reafirma. Mas o que se passa judicialmente em seu entorno político?

João Marcelo revela. “Eu na verdade fui alvo de uma ação de cobrança, num contrato que fiz verbalmente, da seguinte maneira: durante a minha campanha pela reeleição de prefeito de Nossa Senhora das Dores, lá em 2016, a juíza Ana Paula reuniu todos os candidatos majoritários da região para dizer que não havia condições de segurança para se realizar comício. Eu tinha feito um contrato verbal com o dono de um trio elétrico e mediante essa determinação da juíza cheguei para ele, aleguei essa decisão de não haver mais comício e disse que portanto não haveria mais necessidade de trio elétrico”, revela o deputado.

Mas aquele não foi o entendimento do dono do trio, que resolveu levar o problema à justiça e isso virou denúncia de ordem eleitoral contra o então candidato a prefeito João Marcelo. “Dante da alegação do empresário, de que deixou de fazer outros contratos por ter feito aquele verbal comigo, propus a ele pagar a metade do acertado. Ele disse que só queria receber o valor do contrato inteiro, mas eu só paguei a metade. Ele alegou que eu era ainda devedor da outra metade e deu essa informação na ação de cobrança. E ganhou a ação”, lembra João Marcelo.

Daí veio o problema maior. “Quando ele ganhou essa ação, o Ministério Publico aí pensou: “Oxente, se tem essa ação de cobrança e João Marcelo perdeu, o trio elétrico em questão, então, deveria ter constado da prestação de contas da campanha dele em 2016”. Mas veja que a situação: um trio elétrico que não foi usado mediante determinação da própria justiça de que não teria mais comício, mesmo assim ainda paguei a metade, ele entra com a ação de cobrança, ganha, e ali naquela mesma ação ele informa que não tocou, que queria apenas receber pelo tempo que ficou parado e por não ter alugado o trio para outras pessoas. Aí eu pergunto: como um trio assim deveria constar da minha prestação de contas de 2016?”, questiona o parlamentar.

É daí que vem a convicção de João Marcelo na frase “estou seguro de que, juridicamente, não vou ter maiores problemas para me recandidatar”. Ele pensa até mais do que isso. “Diante de tudo isso, só tenho a dizer que o meu direito é bom. Só não posso é deixar correr frouxo, mas penso que não tenho uma condenação que me interdite numa candidatura à reeleição de deputado estadual. Não incorrei em erros”, avisa.

“Hoje a minha principal testemunha é justamente o empresário dono do trio elétrico e ganhador da ação - que reconhece que não tocou na campanha e está inclusive disposto a dizer isso em juízo. A decisão que ganhou as redes sociais aí foi apenas negando seguimento a um recuso da minha defesa. De modo que não tem ainda nenhuma decisão de mérito, e ainda que eu não consiga dar seguimento ao recurso, caberá, no final das contas, uma ação rescisória, que será julgada pelo próprio Tribunal de Justiça de Sergipe”, diz.

De modo que, além de estar, supostamente “seguro de que juridicamente” não terá “maiores problemas” para se recandidatar, João Marcelo está confiante no ambiente política eleitoral em que se meteu. “Eu fui para um partido que me dá boas condições de ir bem para a disputa pela renovação do mandato”, teoriza.

“O PT tem na figura do senador Rogério Carvalho um competitivo candidato majoritário ao Governo, tem os votos de legenda e, ainda por cima, tem candidatos no mesmo nível de buscar votos e, juntamente com a sua federação, poder fazer de quatro a cinco deputados estaduais. Estou certo de que, uma vez fazendo estes quatro a cinco, tenho totais condições de estar entre eles. De ser um deles”, diz. Será?

 

Ω Quer receber gratuitamente as principais notícias do JLPolítica no seu WhatsApp? Clique aqui.

Deixe seu Comentário

*Campos obrigatórios.